Contratações do BNB com mini e pequenos produtores rurais crescem 16% em 2018

Cidades

 

Os mini e pequenos produtores rurais fecharam 2018 com crescimento de 16% no volume de contratações com o Banco do Nordeste. Ao todo, foi aplicado R$ 1,3 bilhão com o segmento em 2018, valor superior ao montante de R$ 1,1 bilhão financiado em 2017. Os recursos são oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).
Em Sergipe, foram aplicados R$ 112,4 milhões com o setor, com destaque para as contratações destinadas a pequenos produtores, que correspondem a 60% do total. O ponto forte é o custeio agrícola, que representa 76% do valor financiado.
Nordeste - Mais de seis mil contratos foram formalizados no período. O crédito contemplou empreendimentos rurais de pequeno porte, em todos os estados do Nordeste, norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. Ao todo, 53% das contratações foram destinadas a propriedades localizadas na região do Semiárido.
Entre as operações realizadas, o custeio representou 52% do valor total contratado, atendendo aos setores agrícola e pecuário. Os financiamentos incluíram itens como compra de vacinas, plantio, aquisição de ração, pagamento de mão de obra, entre outros.
Já as operações de investimento e comercialização responderam por 48% do montante aplicado. O crédito de longo prazo é utilizado na ampliação da produção e comercialização, compra de máquinas e equipamentos, reposição de peças e serviços de manutenção, expansão, modernização ou realocação de empreendimentos do seu agronegócio.

Os mini e pequenos produtores rurais fecharam 2018 com crescimento de 16% no volume de contratações com o Banco do Nordeste. Ao todo, foi aplicado R$ 1,3 bilhão com o segmento em 2018, valor superior ao montante de R$ 1,1 bilhão financiado em 2017. Os recursos são oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).
Em Sergipe, foram aplicados R$ 112,4 milhões com o setor, com destaque para as contratações destinadas a pequenos produtores, que correspondem a 60% do total. O ponto forte é o custeio agrícola, que representa 76% do valor financiado.

Nordeste - Mais de seis mil contratos foram formalizados no período. O crédito contemplou empreendimentos rurais de pequeno porte, em todos os estados do Nordeste, norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. Ao todo, 53% das contratações foram destinadas a propriedades localizadas na região do Semiárido.
Entre as operações realizadas, o custeio representou 52% do valor total contratado, atendendo aos setores agrícola e pecuário. Os financiamentos incluíram itens como compra de vacinas, plantio, aquisição de ração, pagamento de mão de obra, entre outros.
Já as operações de investimento e comercialização responderam por 48% do montante aplicado. O crédito de longo prazo é utilizado na ampliação da produção e comercialização, compra de máquinas e equipamentos, reposição de peças e serviços de manutenção, expansão, modernização ou realocação de empreendimentos do seu agronegócio.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS