'Estelionatário do Amor' é preso por golpes com veículos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 25/01/2019 às 06:28:00

 

Policiais civis da Delegacia de Defraudações e Combate à Pirataria (DDCP) e da 4ª Delegacia Metropolitana (4ª DM) cumpriram ontem um mandado de prisão preventiva contra Alex Fabiano Francisco da Silva, investigado pela prática de inúmeros estelionatos praticados no Estado. Também conhecido por "Leo Moral", ele já teve vários mandados de prisão expedidos em seu desfavor, decorrentes das diversas fraudes por ele aplicadas ao longo de sua carreira criminosa. 
Em 2011, ele foi preso após aplicar golpes em mulheres, ficando por isso conhecido como "Estelionatário do Amor". Na ocasião, ele conhecia as vítimas via internet e, após conquistá-las, em posse de seus documentos pessoais, aplicava os golpes, realizando em nome delas empréstimos, financiamentos, entre outros. Em 2014, foi preso no município de Estância (Sul) por se passar por empresário do cantor Galã do Brega, durante show em Carmópolis. O estelionatário deixou a prisão em maio de 2018, mas voltou a delinquir logo após ter ganhado a liberdade. 
Segundo a polícia, a DDCP foi procurada por cerca de dez vítimas, as quais se diziam lesadas por golpes perpetrados pelo infrator, todos ligados à comercialização de veículos. As investigações revelaram que Alex anunciava ser proprietário de um lava jato e de uma locadora de veículos, obtendo, com isso, a confiança das suas vítimas em meio a transações comerciais. Verificou-se que ele vendia ou trocava veículos que ele locava em empresas do ramo, bem como transacionava os bens obtidos ilicitamente em meio às negociações, havendo inclusive informações no sentido de que foram falsificados documentos para providenciar as transferências dos veículos junto ao Detran.
Os golpes somam prejuízos para as vítimas em torno de R$ 200 mil, sendo o proveito ilícito do infrator possivelmente empregado em uma vida de luxo, ostentada em rendes sociais, nas quais o acusado costumava postar fotos em viagens luxuosas, lanchas e veículos caros. Outros detalhes da investigação serão revelados hoje, em coletiva de imprensa na sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Policiais civis da Delegacia de Defraudações e Combate à Pirataria (DDCP) e da 4ª Delegacia Metropolitana (4ª DM) cumpriram ontem um mandado de prisão preventiva contra Alex Fabiano Francisco da Silva, investigado pela prática de inúmeros estelionatos praticados no Estado. Também conhecido por "Leo Moral", ele já teve vários mandados de prisão expedidos em seu desfavor, decorrentes das diversas fraudes por ele aplicadas ao longo de sua carreira criminosa. 
Em 2011, ele foi preso após aplicar golpes em mulheres, ficando por isso conhecido como "Estelionatário do Amor". Na ocasião, ele conhecia as vítimas via internet e, após conquistá-las, em posse de seus documentos pessoais, aplicava os golpes, realizando em nome delas empréstimos, financiamentos, entre outros. Em 2014, foi preso no município de Estância (Sul) por se passar por empresário do cantor Galã do Brega, durante show em Carmópolis. O estelionatário deixou a prisão em maio de 2018, mas voltou a delinquir logo após ter ganhado a liberdade. 
Segundo a polícia, a DDCP foi procurada por cerca de dez vítimas, as quais se diziam lesadas por golpes perpetrados pelo infrator, todos ligados à comercialização de veículos. As investigações revelaram que Alex anunciava ser proprietário de um lava jato e de uma locadora de veículos, obtendo, com isso, a confiança das suas vítimas em meio a transações comerciais. Verificou-se que ele vendia ou trocava veículos que ele locava em empresas do ramo, bem como transacionava os bens obtidos ilicitamente em meio às negociações, havendo inclusive informações no sentido de que foram falsificados documentos para providenciar as transferências dos veículos junto ao Detran.
Os golpes somam prejuízos para as vítimas em torno de R$ 200 mil, sendo o proveito ilícito do infrator possivelmente empregado em uma vida de luxo, ostentada em rendes sociais, nas quais o acusado costumava postar fotos em viagens luxuosas, lanchas e veículos caros. Outros detalhes da investigação serão revelados hoje, em coletiva de imprensa na sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP).