Crime do sargento: segundo envolvido morre em confronto na Bahia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 25/01/2019 às 06:32:00

 

Gabriel Damásio
A Polícia Civil confir-
mou a morte do se-
gundo suspeito de envolvimento com o assassinato do sargento Ronaldo Bispo Santos, que foi vítima de um latrocínio no povoado Nova Descoberta, em Itaporanga D'Ajuda (Sul), no dia 9 de janeiro. Bruno Bispo Aragão, 21 anos, foi localizado ontem de madrugada no distrito de Barra do Jacuípe, em Camaçari (BA). Durante o cerco à casa, montado por policiais civis sergipanos e baianos, houve um tiroteio e o suspeito morreu baleado, a caminho do Hospital Meandro de Faria, em Camaçari.
O acusado, que atuava como traficante e possuía mandado de prisão, fugiu após o crime contra o militar. Ações da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) descobriram que o criminoso estava escondido em um condomínio de luxo, na região. "Bruno estava se escondendo naquela localidade, mas circulava pelos condomínios, não ficava isolado naquela residência. Ele circulava sem deixar nenhuma suspeita para que os moradores daquele local não desconfiassem que se tratava de um foragido," destacou o delegado André David, do Cope. Ele também confirmou que Bruno é o homem que aparece em imagens de câmeras de segurança atirando contra o sargento, depois de assaltar um mercadinho no povoado.
A operação, conduzida pelo Cope sergipano, foi apoiada pela Polícia Civil baiana, que acionou equipes da Coordenação de Operações Especiais (COE) e a da 12ª Delegacia de Polícia de Salvador. Com Bruno, os policiais apreenderam o revólver calibre 38 que foi usado para matar o sargento da PM, além de munições. O outro envolvido no crime, Walisson Teixeira Rodrigues, 24 anos, também morreu em confronto com policiais do Cope e do COE, no domingo passado, enquanto fugia em um táxi que foi interceptado na BR-235, em Laranjeiras (Vale do Cotinguiba). 

Gabriel Damásio

A Polícia Civil confir- mou a morte do se- gundo suspeito de envolvimento com o assassinato do sargento Ronaldo Bispo Santos, que foi vítima de um latrocínio no povoado Nova Descoberta, em Itaporanga D'Ajuda (Sul), no dia 9 de janeiro. Bruno Bispo Aragão, 21 anos, foi localizado ontem de madrugada no distrito de Barra do Jacuípe, em Camaçari (BA). Durante o cerco à casa, montado por policiais civis sergipanos e baianos, houve um tiroteio e o suspeito morreu baleado, a caminho do Hospital Meandro de Faria, em Camaçari.
O acusado, que atuava como traficante e possuía mandado de prisão, fugiu após o crime contra o militar. Ações da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) descobriram que o criminoso estava escondido em um condomínio de luxo, na região. "Bruno estava se escondendo naquela localidade, mas circulava pelos condomínios, não ficava isolado naquela residência. Ele circulava sem deixar nenhuma suspeita para que os moradores daquele local não desconfiassem que se tratava de um foragido," destacou o delegado André David, do Cope. Ele também confirmou que Bruno é o homem que aparece em imagens de câmeras de segurança atirando contra o sargento, depois de assaltar um mercadinho no povoado.
A operação, conduzida pelo Cope sergipano, foi apoiada pela Polícia Civil baiana, que acionou equipes da Coordenação de Operações Especiais (COE) e a da 12ª Delegacia de Polícia de Salvador. Com Bruno, os policiais apreenderam o revólver calibre 38 que foi usado para matar o sargento da PM, além de munições. O outro envolvido no crime, Walisson Teixeira Rodrigues, 24 anos, também morreu em confronto com policiais do Cope e do COE, no domingo passado, enquanto fugia em um táxi que foi interceptado na BR-235, em Laranjeiras (Vale do Cotinguiba).