O amor em tempo de cólera

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Com os pés na fossa
Com os pés na fossa

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/01/2019 às 06:29:00

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
Se for para falar de 
amor em tempo de 
cólera, que seja como Tim Bernardes e Jards Macalé. O veterano acaba de jogar mais um single na rede, reafirmando o propósito de cantar o próprio espanto com o rumo dos acontecimentos. Depois de vinte anos sem dizer palavra, ele promete soltar o verbo, sem dó nem piedade de ninguém.
'O buraco da consolação', o single aqui em questão, é um samba canção com os pés na fossa e acenos a Lupicínio Rodrigues, um passeio desiludido pelas ruas de São Paulo, com a assinatura personalíssima, voz e guitarras, do enfant terrible à frente da banda O Terno.
O próprio Jards comentou a parceria. "É um samba-canção lindíssimo. Ao mesmo tempo em que revela a dor de um amor maduro, também trás um frescor inacreditável, tudo isso perpassado pelos nossos interesses nesse álbum que, pra mim, é um álbum de cabeceira".
Álbum inédito - "Buraco da Consolação" é parte do disco ainda inédito que conta com direção artística de Rômulo Fróes, produção musical de Kiko Dinucci e Thomas Harres e direção musical do próprio Macalé. 
O disco é o primeiro trabalho a reunir composições inéditas do professor desde 1998, quando o artista lançou 'O Q Eu Faço É Música'. O projeto aproximou Jards de novos parceiros, a exemplo de Ava Rocha, Clima, Rodrigo Campos, Kiko Dinucci, Rômulo Fróes, Thomas Harres, sem esquecer o parceiro de longa data Capinam. 
As gravações aconteceram nos estúdios da Red Bull em São Paulo e o álbum chega às plataformas de música em streaming no dia 8 de fevereiro.
O projeto foi selecionado pelo Natura Musical por meio de edital, com o apoio da Lei Rouanet. "O patrocínio do programa a este novo trabalho do Jards reverencia todo o legado que o artista ajudou a construir para música brasileira e aposta no que a ousadia dele é capaz de impulsionar. Jards tem o dom de instigar, provocar e inquietar. E essa injeção de vida é mais do que necessária para este momento e para o futuro da música", diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. 

Se for para falar de  amor em tempo de  cólera, que seja como Tim Bernardes e Jards Macalé. O veterano acaba de jogar mais um single na rede, reafirmando o propósito de cantar o próprio espanto com o rumo dos acontecimentos. Depois de vinte anos sem dizer palavra, ele promete soltar o verbo, sem dó nem piedade de ninguém.
'O buraco da consolação', o single aqui em questão, é um samba canção com os pés na fossa e acenos a Lupicínio Rodrigues, um passeio desiludido pelas ruas de São Paulo, com a assinatura personalíssima, voz e guitarras, do enfant terrible à frente da banda O Terno.
O próprio Jards comentou a parceria. "É um samba-canção lindíssimo. Ao mesmo tempo em que revela a dor de um amor maduro, também trás um frescor inacreditável, tudo isso perpassado pelos nossos interesses nesse álbum que, pra mim, é um álbum de cabeceira".

Álbum inédito - "Buraco da Consolação" é parte do disco ainda inédito que conta com direção artística de Rômulo Fróes, produção musical de Kiko Dinucci e Thomas Harres e direção musical do próprio Macalé. 
O disco é o primeiro trabalho a reunir composições inéditas do professor desde 1998, quando o artista lançou 'O Q Eu Faço É Música'. O projeto aproximou Jards de novos parceiros, a exemplo de Ava Rocha, Clima, Rodrigo Campos, Kiko Dinucci, Rômulo Fróes, Thomas Harres, sem esquecer o parceiro de longa data Capinam. 
As gravações aconteceram nos estúdios da Red Bull em São Paulo e o álbum chega às plataformas de música em streaming no dia 8 de fevereiro.
O projeto foi selecionado pelo Natura Musical por meio de edital, com o apoio da Lei Rouanet. "O patrocínio do programa a este novo trabalho do Jards reverencia todo o legado que o artista ajudou a construir para música brasileira e aposta no que a ousadia dele é capaz de impulsionar. Jards tem o dom de instigar, provocar e inquietar. E essa injeção de vida é mais do que necessária para este momento e para o futuro da música", diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura.