Bombeiros estimam cerca de 200 desaparecidos após barragem se romper

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
ROMPIMENTO DA BARRAGEM EM BRUMADINHO PODE TER PROVOCADO UM MAIOR NÚMERO DE MORTOS DO QUE A DA BARRAGEM DE MARIANA, TAMBÉM DA VALE, HÁ TRÊS ANOS. 200 PESSOAS ESTÃO DESAPARECIDAS
ROMPIMENTO DA BARRAGEM EM BRUMADINHO PODE TER PROVOCADO UM MAIOR NÚMERO DE MORTOS DO QUE A DA BARRAGEM DE MARIANA, TAMBÉM DA VALE, HÁ TRÊS ANOS. 200 PESSOAS ESTÃO DESAPARECIDAS

Novo acidente provocado pela Vale pode ter destruído a cidade de Brumadinho (MG)
Novo acidente provocado pela Vale pode ter destruído a cidade de Brumadinho (MG)

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/01/2019 às 06:36:00

 

Léo Rodrigues 
Agência Brasil  
O Corpo de Bombei
ros informou on
tem à tarde  que aproximadamente 200 pessoas estão desaparecidas após o rompimento da Barragem da Mina Feijão, em Brumadinho (MG). A estrutura, que pertence à Vale, liberou no meio ambiente um volume ainda desconhecido de rejeitos de mineração.
O Hospital João XXIII, instituição pública vinculada ao estado de Minas Gerais e sediada em Belo Horizonte, acionou um plano de atendimento para múltiplas vítimas de catástrofes. Até o momento, a instituição confirmou a chegada de duas pacientes, de helicóptero.
Em nota, o Corpo de Bombeiros informou que o Sistema de Comando de Operações (SCO) está estruturado no Centro Social do Córrego do Feijão, em Brumadinho. "Vários órgãos, principalmente de segurança pública, estão no local e em reunião neste momento definindo as estratégias de atendimento", diz a nota.
Ao lado do Centro Social do Córrego do Feijão, há um campo de futebol que está sendo usado como área de avaliação e triagem das vítimas para atendimento médico, além de estacionamento de viaturas. Também foi estruturado um posto para arrecadação de alimento na Faculdade Asa de Brumadinho.
O Corpo de Bombeiros informou que está atuando com 51 militares, e que contam ainda com seis aeronaves.
O Corpo de Bombeiro alerta os órgãos de imprensa, que estão utilizando drones, pois estariam atrapalhando o sobrevoo das aeronaves da corporação. "As aeronaves estão resgatando inúmeras pessoas ilhadas em diversos pontos a todo momento".

O Corpo de Bombei ros informou on tem à tarde  que aproximadamente 200 pessoas estão desaparecidas após o rompimento da Barragem da Mina Feijão, em Brumadinho (MG). A estrutura, que pertence à Vale, liberou no meio ambiente um volume ainda desconhecido de rejeitos de mineração.
O Hospital João XXIII, instituição pública vinculada ao estado de Minas Gerais e sediada em Belo Horizonte, acionou um plano de atendimento para múltiplas vítimas de catástrofes. Até o momento, a instituição confirmou a chegada de duas pacientes, de helicóptero.
Em nota, o Corpo de Bombeiros informou que o Sistema de Comando de Operações (SCO) está estruturado no Centro Social do Córrego do Feijão, em Brumadinho. "Vários órgãos, principalmente de segurança pública, estão no local e em reunião neste momento definindo as estratégias de atendimento", diz a nota.Ao lado do Centro Social do Córrego do Feijão, há um campo de futebol que está sendo usado como área de avaliação e triagem das vítimas para atendimento médico, além de estacionamento de viaturas. Também foi estruturado um posto para arrecadação de alimento na Faculdade Asa de Brumadinho.
O Corpo de Bombeiros informou que está atuando com 51 militares, e que contam ainda com seis aeronaves.
O Corpo de Bombeiro alerta os órgãos de imprensa, que estão utilizando drones, pois estariam atrapalhando o sobrevoo das aeronaves da corporação. "As aeronaves estão resgatando inúmeras pessoas ilhadas em diversos pontos a todo momento".