Bairro Cidade Nova está sem água há uma semana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/01/2019 às 06:51:00

 

Com o apoio de caminhões pipa, a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), tenta minimizar os problemas gerados no Bairro Cidade Nova, na Zona Norte de Aracaju, com a suspensão do serviço de água. Por problemas operacionais na rede, a ausência do serviço na região se estende desde a última segunda-feira, 21, e atinge diretamente mais de 20 mil contribuintes. Enquanto sobram críticas por parte dos usuários do sistema, a direção da companhia garantiu ao JORNAL DO DIA que desde a noite da última quinta-feira, 24, o serviço está gradativamente sendo restabelecido, mas segue multiplicando os esforços a fim de solucionar os impasses em geral.
Na quinta-feira cinco caminhões-pipa foram utilizados para ofertar água às famílias; ontem foram mais seis. Conforme enaltecido pela Deso, no decorrer das ações de reparação do serviço alguns problemas foram detectados e posteriormente corrigidos. Ainda segundo a empresa estatal responsável pelo fornecimento em todo o Estado de Sergipe, o ponto mais crítico, próximo a TV Sergipe, na manhã de ontem já havia água. Fraca e não em todas as residências, mas o sistema começava a ser reparado. A empresa reforçou que já no início da tarde de ontem mais de 90% das casas já passaram a receber a água através da rede.
Apesar da garantia de normalização dos serviços, a comerciante Margarida Pinto pede ao Governo do Estado que multiplique os investimentos junto à Companhia de Saneamento caso deseje que a população não permaneça sofrendo com a precariedade do serviço, conforme avaliado pela crítica. Se mostrando insatisfeita com o serviço ofertado, ela relata as dificuldades sofridas ao longo dos últimos anos. "Passei essa semana toda sem conseguir lavar os pratos e tomar mais de um banho no dia. Na quinta-feira foi pior; não tinha água mais pra nada. Nessa sexta realmente começou a voltar, mas muito pouco ao ponto de ser suficiente apenas para escovar os dentes", disse.
Situação semelhante é enfrentada por moradores de bairros pertencentes a Zona de Expansão da capital sergipana. Na Aruana, por exemplo, apenas nos primeiros 25 dias deste ano foram contabilizadas seis interrupções. "A impressão que passa é que estão realizando serviços de melhorias diárias, mas que na realidade essas obras não param e o serviço no final das contas nunca atende à missão da Deso. Eu mesmo já contei cinco oportunidades em que minha família e vizinhos ficaram sem água esse ano por mais de 12 horas seguidas. Pagamos caro por um serviço distante do que desejamos", lamentou o morador do Conjunto Franco Freire II, Anderson Santana.
Suspensão - Conforme oficialmente divulgado pela Deso, somente entre a segunda-feira, 21, até a noite de ontem, a Companhia necessitou suspender o fornecimento de água nas cidades sergipanas de: Japoatã, Indiaroba, Siriri, Santana do São Francisco, Itabaiana, Moita Bonita, Neópolis - por três vezes -, Itaporanga d'Ajuda - por duas vezes -, e Japaratuba - também por três momentos. Essas suspensões ocorreram em virtude de manutenções corretivas e por reparar atos infracionais provocados por vândalos.
A Companhia de Saneamento de Sergipe - DESO informa que, em razão da redução da vazão da piscina de transbordo, desde o final da manhã de ontem o abastecimento de água no município de Salgado ocorre em sistema de revezamento. A fim de garantir o abastecimento a toda a população, as equipes da Companhia organizaram a cidade em dois lados: Lado 1 (Área da estação, Fórum, Conjunto Totonho Costa, Conjunto Josias Carvalho e adjacências) e Lado 2 (Centro, Cj Flora Batista, rodoviária, Praça do Mercado, Praça da Igreja e adjacências). O fornecimento de água acontecerá alternadamente entre os lados 1 e 2, sendo a manobra iniciada hoje pelo lado 2. Isso significa que, hoje será abastecido o lado 1, e assim sucessivamente. (Milton Alves Júnior)

Com o apoio de caminhões pipa, a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), tenta minimizar os problemas gerados no Bairro Cidade Nova, na Zona Norte de Aracaju, com a suspensão do serviço de água. Por problemas operacionais na rede, a ausência do serviço na região se estende desde a última segunda-feira, 21, e atinge diretamente mais de 20 mil contribuintes. Enquanto sobram críticas por parte dos usuários do sistema, a direção da companhia garantiu ao JORNAL DO DIA que desde a noite da última quinta-feira, 24, o serviço está gradativamente sendo restabelecido, mas segue multiplicando os esforços a fim de solucionar os impasses em geral.
Na quinta-feira cinco caminhões-pipa foram utilizados para ofertar água às famílias; ontem foram mais seis. Conforme enaltecido pela Deso, no decorrer das ações de reparação do serviço alguns problemas foram detectados e posteriormente corrigidos. Ainda segundo a empresa estatal responsável pelo fornecimento em todo o Estado de Sergipe, o ponto mais crítico, próximo a TV Sergipe, na manhã de ontem já havia água. Fraca e não em todas as residências, mas o sistema começava a ser reparado. A empresa reforçou que já no início da tarde de ontem mais de 90% das casas já passaram a receber a água através da rede.
Apesar da garantia de normalização dos serviços, a comerciante Margarida Pinto pede ao Governo do Estado que multiplique os investimentos junto à Companhia de Saneamento caso deseje que a população não permaneça sofrendo com a precariedade do serviço, conforme avaliado pela crítica. Se mostrando insatisfeita com o serviço ofertado, ela relata as dificuldades sofridas ao longo dos últimos anos. "Passei essa semana toda sem conseguir lavar os pratos e tomar mais de um banho no dia. Na quinta-feira foi pior; não tinha água mais pra nada. Nessa sexta realmente começou a voltar, mas muito pouco ao ponto de ser suficiente apenas para escovar os dentes", disse.
Situação semelhante é enfrentada por moradores de bairros pertencentes a Zona de Expansão da capital sergipana. Na Aruana, por exemplo, apenas nos primeiros 25 dias deste ano foram contabilizadas seis interrupções. "A impressão que passa é que estão realizando serviços de melhorias diárias, mas que na realidade essas obras não param e o serviço no final das contas nunca atende à missão da Deso. Eu mesmo já contei cinco oportunidades em que minha família e vizinhos ficaram sem água esse ano por mais de 12 horas seguidas. Pagamos caro por um serviço distante do que desejamos", lamentou o morador do Conjunto Franco Freire II, Anderson Santana.

Suspensão - Conforme oficialmente divulgado pela Deso, somente entre a segunda-feira, 21, até a noite de ontem, a Companhia necessitou suspender o fornecimento de água nas cidades sergipanas de: Japoatã, Indiaroba, Siriri, Santana do São Francisco, Itabaiana, Moita Bonita, Neópolis - por três vezes -, Itaporanga d'Ajuda - por duas vezes -, e Japaratuba - também por três momentos. Essas suspensões ocorreram em virtude de manutenções corretivas e por reparar atos infracionais provocados por vândalos.
A Companhia de Saneamento de Sergipe - DESO informa que, em razão da redução da vazão da piscina de transbordo, desde o final da manhã de ontem o abastecimento de água no município de Salgado ocorre em sistema de revezamento. A fim de garantir o abastecimento a toda a população, as equipes da Companhia organizaram a cidade em dois lados: Lado 1 (Área da estação, Fórum, Conjunto Totonho Costa, Conjunto Josias Carvalho e adjacências) e Lado 2 (Centro, Cj Flora Batista, rodoviária, Praça do Mercado, Praça da Igreja e adjacências). O fornecimento de água acontecerá alternadamente entre os lados 1 e 2, sendo a manobra iniciada hoje pelo lado 2. Isso significa que, hoje será abastecido o lado 1, e assim sucessivamente. (Milton Alves Júnior)