Dom Bosco em dez pontos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 31/01/2019 às 06:36:00

 

* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB
A Sagrada Liturgia celebra hoje a festa de São João Bosco, fundador da Família Salesiana. Pensei em tentar delinear em dez pontos sua rica e multiforme figura de santo educador.
1.º) Dom Bosco foi o santo dos sonhos. Aos 9 anos, sonhou qual seria sua missão neste mundo. Sob a proteção de Maria, deveria tornar-se "humilde, forte e robusto" para converter os meninos de "lobos ferozes em mansos cordeirinhos". Toda sua vida, a Virgem o acompanhou com os sonhos que indicavam sua vocação, a igreja que deveria construir em honra da Auxiliadora, o futuro de sua Congregação, a atividade missionária de seus filhos e o estado espiritual de seus jovens.
2.º) É conhecido, acima de tudo, como o Santo da Juventude, o educador da "razão, religião e carinho". Penetrou, como poucos, no coração dos jovens e identificou-se com os problemas e as angústias das novas gerações.
3.º) Santo da Juventude, Dom Bosco foi o santo da alegria. Dono de uma imperturbável serenidade, que o acompanhou nos momentos mais difíceis, nas provas mais duras da vida.
4.º) Dom Bosco é o santo da Auxiliadora, que o seguiu desde a infância, conduzido por sua santa mãe, Mamãe Margarida. Foi seu devoto fiel, divulgador do título de Auxiliadora dos cristãos e, no fim da vida, resumiu todas as suas admiráveis realizações com a expressão: "Foi Ela que tudo fez!".
5.º) É o santo da Eucaristia. Desde seminarista, venceu os conceitos da época e, como educador, queria que seus jovens comungassem com frequência e, se possível, diariamente. Toda sua educação religiosa era levar os jovens à Santa Missa e à Comunhão.
6.º) Santo da Eucaristia, era o santo do confessionário. Horas e horas, até o fim da vida, dedicou-se com afinco ao sagrado ministério da Penitência. Todos que encontrava necessitados de conversão, apontava o caminho da Reconciliação pelo sacramento do perdão de Deus.
7.º) Foi o santo do Papa. Com fé inabalável foi sempre fiel ao Romano Pontífice, vendo no Sucessor de Pedro o Vigário de Cristo na terra. Viveu com equilíbrio os anos difíceis do fim do poder temporal dos Papas com a unificação da Itália, que ele previu com clarividência.
8.º) Como santo da imprensa popular, seguindo o exemplo de seu patrono, São Francisco de Sales, exerceu atividade incansável, com ideias arrojadas e muito avançadas para seu tempo. Dizia que fazia questão de estar sempre na vanguarda do progresso.
9.º) Seu zelo incansável pela evangelização dos povos, pelo anúncio do nome de Jesus, com enormes sacrifícios, fê-lo o santo das missões, levando seus filhos à Argentina e Patagônia, à França, à Espanha, ao Uruguai, ao Brasil e, no último ano de vida, ao Chile.
10.º) Mas, o que poucos comentam é que Dom Bosco, vivendo uma profunda e íntima união com Deus em todas as suas atividades, foi o santo do sofrimento. Sofreu na infância pela perseguição de seu meio-irmão, Antônio. Sofreu na juventude pela pobreza para conseguir estudar e alcançar seu ideal do sacerdócio. Sofreu no início de seu ministério sacerdotal pela incompreensão de colegas, pela perseguição das autoridades, pelos atentados à sua vida. Sofreu pelos ataques da imprensa anticlerical que zombava de seu zelo vocacional e seu apego ao Pontífice Romano. Sofreu pela perseguição de dois de seus bispos (ele teve quatro em sua carreira) que nunca compreenderam seu carisma de educador e fundador de uma grande família religiosa. Dom Bosco sofreu na Igreja e fora dela.
Esse é o grande Santo, que seus filhos dos trinta e um grupos que integram a Família Salesiana, espalhados nos cinco continentes, festejam neste 31 de janeiro.
* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB é Arcebispo Emérito de Maceió (foi Bispo Auxiliar de Aracaju - 1975 a 1980)
dedvaldo@salesianorecife.org.br 

* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB

A Sagrada Liturgia celebra hoje a festa de São João Bosco, fundador da Família Salesiana. Pensei em tentar delinear em dez pontos sua rica e multiforme figura de santo educador.
1.º) Dom Bosco foi o santo dos sonhos. Aos 9 anos, sonhou qual seria sua missão neste mundo. Sob a proteção de Maria, deveria tornar-se "humilde, forte e robusto" para converter os meninos de "lobos ferozes em mansos cordeirinhos". Toda sua vida, a Virgem o acompanhou com os sonhos que indicavam sua vocação, a igreja que deveria construir em honra da Auxiliadora, o futuro de sua Congregação, a atividade missionária de seus filhos e o estado espiritual de seus jovens.
2.º) É conhecido, acima de tudo, como o Santo da Juventude, o educador da "razão, religião e carinho". Penetrou, como poucos, no coração dos jovens e identificou-se com os problemas e as angústias das novas gerações.
3.º) Santo da Juventude, Dom Bosco foi o santo da alegria. Dono de uma imperturbável serenidade, que o acompanhou nos momentos mais difíceis, nas provas mais duras da vida.
4.º) Dom Bosco é o santo da Auxiliadora, que o seguiu desde a infância, conduzido por sua santa mãe, Mamãe Margarida. Foi seu devoto fiel, divulgador do título de Auxiliadora dos cristãos e, no fim da vida, resumiu todas as suas admiráveis realizações com a expressão: "Foi Ela que tudo fez!".
5.º) É o santo da Eucaristia. Desde seminarista, venceu os conceitos da época e, como educador, queria que seus jovens comungassem com frequência e, se possível, diariamente. Toda sua educação religiosa era levar os jovens à Santa Missa e à Comunhão.
6.º) Santo da Eucaristia, era o santo do confessionário. Horas e horas, até o fim da vida, dedicou-se com afinco ao sagrado ministério da Penitência. Todos que encontrava necessitados de conversão, apontava o caminho da Reconciliação pelo sacramento do perdão de Deus.
7.º) Foi o santo do Papa. Com fé inabalável foi sempre fiel ao Romano Pontífice, vendo no Sucessor de Pedro o Vigário de Cristo na terra. Viveu com equilíbrio os anos difíceis do fim do poder temporal dos Papas com a unificação da Itália, que ele previu com clarividência.
8.º) Como santo da imprensa popular, seguindo o exemplo de seu patrono, São Francisco de Sales, exerceu atividade incansável, com ideias arrojadas e muito avançadas para seu tempo. Dizia que fazia questão de estar sempre na vanguarda do progresso.
9.º) Seu zelo incansável pela evangelização dos povos, pelo anúncio do nome de Jesus, com enormes sacrifícios, fê-lo o santo das missões, levando seus filhos à Argentina e Patagônia, à França, à Espanha, ao Uruguai, ao Brasil e, no último ano de vida, ao Chile.
10.º) Mas, o que poucos comentam é que Dom Bosco, vivendo uma profunda e íntima união com Deus em todas as suas atividades, foi o santo do sofrimento. Sofreu na infância pela perseguição de seu meio-irmão, Antônio. Sofreu na juventude pela pobreza para conseguir estudar e alcançar seu ideal do sacerdócio. Sofreu no início de seu ministério sacerdotal pela incompreensão de colegas, pela perseguição das autoridades, pelos atentados à sua vida. Sofreu pelos ataques da imprensa anticlerical que zombava de seu zelo vocacional e seu apego ao Pontífice Romano. Sofreu pela perseguição de dois de seus bispos (ele teve quatro em sua carreira) que nunca compreenderam seu carisma de educador e fundador de uma grande família religiosa. Dom Bosco sofreu na Igreja e fora dela.
Esse é o grande Santo, que seus filhos dos trinta e um grupos que integram a Família Salesiana, espalhados nos cinco continentes, festejam neste 31 de janeiro.

* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB é Arcebispo Emérito de Maceió (foi Bispo Auxiliar de Aracaju - 1975 a 1980)dedvaldo@salesianorecife.org.br