UM CRIME COM ORIGEM E CONSEQUÊNCIAS

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 31/01/2019 às 06:38:00

 

* Rômulo Rodrigues
Faz uma semana que o Brasil vive sob o impacto de uma grande tragédia-crime exposta pela midiática da Globo que aproveita para recuperar audiência comovendo o país inteiro com narrativas de eficiência, solidariedade, aflição, dor e, empenho do governo que ela insinua combater; até que lhe renda bons retornos de BV'S, pelos serviços prestados.
Logo ela, uma das responsáveis pelo atual crime, pelo de Mariana e tantos outros. Com os crimes já tipificados como homicídios, danos irreparáveis ao meio ambiente, lesões corporais, enfim; crimes ambientais coletivos; o processo tem que ser montado para que seus responsáveis sejam levados às Barras dos Tribunais.
Em se tratando dos crimes de Mariana e Brumadinho, a origem está identificada e o principal criminoso também.
A origem está no escândalo da privatização da Vale do Rio Doce e o responsável maior é o Sr. Fernando Henrique Cardoso.
A Vale do Rio Doce foi criada em 1942 por Getúlio Vargas com a finalidade de impulsionar a Industrialização do Brasil. Em 1997, foi doada para o Capital Privado numa das patifarias  tucana, por R$ 3 bilhões, quando seu valor real era de R$ 93 bilhões; tendo funcionado durante 55 anos sem um único acidente ambiental e hoje, está transformada, pelo Capital Privado, no maior monstro devorador vidas humanas, animais e de biodiversidade de toda a história do País e, pasmem, seu atual Presidente foi nomeado por Aécio Neves e Joesley Baptista, à revelia de Temer, para atender a uma imposição do Mercado.
O resultado é o que está aí; o Capital Privado ficou com o lucro e o País e o povo amargando a dor e o prejuízo.
No rastro do hediondo crime da privatização da Vale-a origem do mal- encontrasse a sanha privatista de dizer que o mercado é o Deus e o investimento Estatal é o Diabo.
É ridículo e criminoso que Generais que conspiraram contra a Constituição Federal e, portanto, contra o Brasil, para botar Bolsonaro na Presidência -qual o segredo Villas Boas?- aceitem que militares de suas próprias Forças Armadas, com comprovadas competências para fazerem os trabalhos de buscas e resgates de vidas e corpos, sejam rebaixados para que um grupo de israelenses, sem o devido preparo, ocupem seus lugares em tarefas tão melindrosas; senão, o de dar os primeiros passos para criar uma Base Militar de espionagem do Brasil e da Venezuela.
É muito estranho que seus equipamentos sirvam só para localizar sobreviventes, pelas temperaturas quentes dos corpos, denunciados por Bombeiros mineiros e de outros Estados.
É provável que esta jogada absurda de Bolsonaro seja para que a lama de Brumadinho sirva para encobrir a lama de sua família assim como a questão da Tecnologia de dessalinização serviu para baixar a temperatura do escândalo Queiroz.
Porém, os escândalos não param por aí; o Advogado da Vale é Sergio Bermudes, que já foi sócio do presidente do PSL, hoje Secretário Geral da Presidência da República e é casado com uma filha do Ministro Fux, que quer livrar a cara de Flávio Bolsonaro. Precisa desenhar?
Se há algo positivo em todo o imbróglio; é Moro ter se revelado um soldado raso do bolsonarismo e dado brecha para que na imprensa francesa seja identificado como subordinado ao FBI.
A composição desse governo, egresso das milícias cariocas, guardadas as devidas aparências, é tão tóxica quanto as lamas de Mariana e Sobradinho; o Presidente do ENEM, que já avisou que vai submeter os próximos exames ao Presidente Bolsonaro, disse a antológica palavra, cidadãos.
O filho Senador escreveu: fundo do "posso"; o pai, Presidente disse que vai fazer uma retrospectiva do futuro, além de se referir a uma "bagagem de dejeitos" e chamar seu comparsa israelense de Benjamin Natanael; o Ministro da Educação bradou que daqui para a frente Universidade será para a Elite Intelectualizada e não para filho de pobre.
Como nas redações do último ENEM o Nordeste teve 14 notas de 1000 pontos e o Sul apenas uma, deve ter confundido Nordeste com Elite, já que é colombiano. Se for decretado que Universidade não será mais para todos; por critérios cognitivos; será só para nordestinos.
Lembrando que todo o ataque americano à Venezuela é por causa do Petróleo e do Nióbio e que Israel tem interesse no Nióbio do Brasil, que fica em Minas Gerais, dá para desconfiar da farsa da ajuda; afinal, não existe almoço de graça.
O processo da Vale por crime ambiental em Mariana está há 3 anos com os desembagrinhos do TRF-4, sem julgamento, e o da Boate Kiss, com 249 mortes, há 6 anos, enquanto eles julgaram Lula e condenaram em 6 meses.
É triste e doloroso que no meio da tragédia se veja a dor do Sr, Rimaque Cangussu, pai da Médica do Trabalho, soterrada no refeitório. Logo ele que desejou a morte de Dilma, comemorou a morte de D. Marisa e torce pela morte de Jean Wyllys, enfrentar tal realidade.
Quem resumiu bem o quadro atual foi o Haddad: o Bolsonaro é o herdeiro ideológico da Facção das Forças Armadas ligada aos torturadores, que não aceitou a abertura democrática e partiu para o crime; esquadrão da morte, garimpo, jogo do bicho. É a mesma linhagem que nos deu as milícias.
Essa herança agora ronda o Planalto.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues

Faz uma semana que o Brasil vive sob o impacto de uma grande tragédia-crime exposta pela midiática da Globo que aproveita para recuperar audiência comovendo o país inteiro com narrativas de eficiência, solidariedade, aflição, dor e, empenho do governo que ela insinua combater; até que lhe renda bons retornos de BV'S, pelos serviços prestados.
Logo ela, uma das responsáveis pelo atual crime, pelo de Mariana e tantos outros. Com os crimes já tipificados como homicídios, danos irreparáveis ao meio ambiente, lesões corporais, enfim; crimes ambientais coletivos; o processo tem que ser montado para que seus responsáveis sejam levados às Barras dos Tribunais.
Em se tratando dos crimes de Mariana e Brumadinho, a origem está identificada e o principal criminoso também.
A origem está no escândalo da privatização da Vale do Rio Doce e o responsável maior é o Sr. Fernando Henrique Cardoso.
A Vale do Rio Doce foi criada em 1942 por Getúlio Vargas com a finalidade de impulsionar a Industrialização do Brasil. Em 1997, foi doada para o Capital Privado numa das patifarias  tucana, por R$ 3 bilhões, quando seu valor real era de R$ 93 bilhões; tendo funcionado durante 55 anos sem um único acidente ambiental e hoje, está transformada, pelo Capital Privado, no maior monstro devorador vidas humanas, animais e de biodiversidade de toda a história do País e, pasmem, seu atual Presidente foi nomeado por Aécio Neves e Joesley Baptista, à revelia de Temer, para atender a uma imposição do Mercado.
O resultado é o que está aí; o Capital Privado ficou com o lucro e o País e o povo amargando a dor e o prejuízo.
No rastro do hediondo crime da privatização da Vale-a origem do mal- encontrasse a sanha privatista de dizer que o mercado é o Deus e o investimento Estatal é o Diabo.
É ridículo e criminoso que Generais que conspiraram contra a Constituição Federal e, portanto, contra o Brasil, para botar Bolsonaro na Presidência -qual o segredo Villas Boas?- aceitem que militares de suas próprias Forças Armadas, com comprovadas competências para fazerem os trabalhos de buscas e resgates de vidas e corpos, sejam rebaixados para que um grupo de israelenses, sem o devido preparo, ocupem seus lugares em tarefas tão melindrosas; senão, o de dar os primeiros passos para criar uma Base Militar de espionagem do Brasil e da Venezuela.
É muito estranho que seus equipamentos sirvam só para localizar sobreviventes, pelas temperaturas quentes dos corpos, denunciados por Bombeiros mineiros e de outros Estados.
É provável que esta jogada absurda de Bolsonaro seja para que a lama de Brumadinho sirva para encobrir a lama de sua família assim como a questão da Tecnologia de dessalinização serviu para baixar a temperatura do escândalo Queiroz.
Porém, os escândalos não param por aí; o Advogado da Vale é Sergio Bermudes, que já foi sócio do presidente do PSL, hoje Secretário Geral da Presidência da República e é casado com uma filha do Ministro Fux, que quer livrar a cara de Flávio Bolsonaro. Precisa desenhar?
Se há algo positivo em todo o imbróglio; é Moro ter se revelado um soldado raso do bolsonarismo e dado brecha para que na imprensa francesa seja identificado como subordinado ao FBI.
A composição desse governo, egresso das milícias cariocas, guardadas as devidas aparências, é tão tóxica quanto as lamas de Mariana e Sobradinho; o Presidente do ENEM, que já avisou que vai submeter os próximos exames ao Presidente Bolsonaro, disse a antológica palavra, cidadãos.
O filho Senador escreveu: fundo do "posso"; o pai, Presidente disse que vai fazer uma retrospectiva do futuro, além de se referir a uma "bagagem de dejeitos" e chamar seu comparsa israelense de Benjamin Natanael; o Ministro da Educação bradou que daqui para a frente Universidade será para a Elite Intelectualizada e não para filho de pobre.
Como nas redações do último ENEM o Nordeste teve 14 notas de 1000 pontos e o Sul apenas uma, deve ter confundido Nordeste com Elite, já que é colombiano. Se for decretado que Universidade não será mais para todos; por critérios cognitivos; será só para nordestinos.
Lembrando que todo o ataque americano à Venezuela é por causa do Petróleo e do Nióbio e que Israel tem interesse no Nióbio do Brasil, que fica em Minas Gerais, dá para desconfiar da farsa da ajuda; afinal, não existe almoço de graça.
O processo da Vale por crime ambiental em Mariana está há 3 anos com os desembagrinhos do TRF-4, sem julgamento, e o da Boate Kiss, com 249 mortes, há 6 anos, enquanto eles julgaram Lula e condenaram em 6 meses.
É triste e doloroso que no meio da tragédia se veja a dor do Sr, Rimaque Cangussu, pai da Médica do Trabalho, soterrada no refeitório. Logo ele que desejou a morte de Dilma, comemorou a morte de D. Marisa e torce pela morte de Jean Wyllys, enfrentar tal realidade.
Quem resumiu bem o quadro atual foi o Haddad: o Bolsonaro é o herdeiro ideológico da Facção das Forças Armadas ligada aos torturadores, que não aceitou a abertura democrática e partiu para o crime; esquadrão da morte, garimpo, jogo do bicho. É a mesma linhagem que nos deu as milícias.
Essa herança agora ronda o Planalto.

* Rômulo Rodrigues é militante político