Federação dos Municípios de Sergipe tem novo presidente

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/02/2019 às 06:53:00

 

A partir dessa sexta-feira, 1º de fevereiro, a Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (FAMES) terá nova diretoria. E quem assume a Presidência no lugar de Marcos Barreto é o prefeito de Ilha das Flores, Christiano Cavalcante. A posse está marcada para o dia 17 de fevereiro com a presença de diretores da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), braço nacional da FAMES.
O novo presidente, que está no sexto ano do mandato de prefeito, conhece muito bem as dificuldades enfrentadas pelos municípios sergipanos e brasileiros. Apesar da pauta extensa em Brasília, ele entende que uma é prioritária: a revisão do Pacto Federativo. "Essa revisão consiste numa distribuição mais justa dos impostos entre municípios, estados e a União, que hoje fica com 50% do que se arrecada no país. Enquanto isso, os estados recebem 31% e as prefeituras apenas 19%. É uma situação insustentável porque são nos municípios onde há a maior demanda por serviços públicos. Iremos brigar por um Pacto que melhore a distribuição de recursos para os municípios, impactando de forma positiva no bem-estar da população", frisou Christiano Cavalcante.
Ele alerta que a situação financeira da grande maioria das prefeituras sergipanas é crítica, uma vez que o aumento dos gastos é bem maior que o da receita. "O país ainda está em crise econômica, e isso afeta toda a arrecadação. Temos esperança que o novo governo federal priorize a produção, faça as reformas previdenciária e tributária, e melhore a arrecadação sem aumentar impostos, pois a população não pode ser penalizada. Estaremos atentos e vigilantes para garantir que as administrações municipais não continuem sendo prejudicadas com políticas financeiras equivocadas, que privilegiam apenas os cofres da União", adverte o futuro presidente.
Na agenda do novo presidente está a 22ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que irá acontecer de 8 a 11 de abril. Assim como nas mobilizações anteriores, a Marcha deverá contar com a presença de mais de 4 mil prefeitos, que irão aprofundar as pautas municipalistas que tramitam no Congresso, no Judiciário e outras demandas que dependem exclusivamente do governo federal. "Até lá, iremos acompanhar a movimentação no Congresso e no Palácio do Planalto que proporcionem alívio às finanças municipais. Para construir um novo Brasil é preciso ter municípios fortes e em condições de prestar um bom serviço à população", destaca Christiano Cavalcante.

A partir dessa sexta-feira, 1º de fevereiro, a Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (FAMES) terá nova diretoria. E quem assume a Presidência no lugar de Marcos Barreto é o prefeito de Ilha das Flores, Christiano Cavalcante. A posse está marcada para o dia 17 de fevereiro com a presença de diretores da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), braço nacional da FAMES.
O novo presidente, que está no sexto ano do mandato de prefeito, conhece muito bem as dificuldades enfrentadas pelos municípios sergipanos e brasileiros. Apesar da pauta extensa em Brasília, ele entende que uma é prioritária: a revisão do Pacto Federativo. "Essa revisão consiste numa distribuição mais justa dos impostos entre municípios, estados e a União, que hoje fica com 50% do que se arrecada no país. Enquanto isso, os estados recebem 31% e as prefeituras apenas 19%. É uma situação insustentável porque são nos municípios onde há a maior demanda por serviços públicos. Iremos brigar por um Pacto que melhore a distribuição de recursos para os municípios, impactando de forma positiva no bem-estar da população", frisou Christiano Cavalcante.
Ele alerta que a situação financeira da grande maioria das prefeituras sergipanas é crítica, uma vez que o aumento dos gastos é bem maior que o da receita. "O país ainda está em crise econômica, e isso afeta toda a arrecadação. Temos esperança que o novo governo federal priorize a produção, faça as reformas previdenciária e tributária, e melhore a arrecadação sem aumentar impostos, pois a população não pode ser penalizada. Estaremos atentos e vigilantes para garantir que as administrações municipais não continuem sendo prejudicadas com políticas financeiras equivocadas, que privilegiam apenas os cofres da União", adverte o futuro presidente.
Na agenda do novo presidente está a 22ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que irá acontecer de 8 a 11 de abril. Assim como nas mobilizações anteriores, a Marcha deverá contar com a presença de mais de 4 mil prefeitos, que irão aprofundar as pautas municipalistas que tramitam no Congresso, no Judiciário e outras demandas que dependem exclusivamente do governo federal. "Até lá, iremos acompanhar a movimentação no Congresso e no Palácio do Planalto que proporcionem alívio às finanças municipais. Para construir um novo Brasil é preciso ter municípios fortes e em condições de prestar um bom serviço à população", destaca Christiano Cavalcante.