Governador reúne secretariado e reforça alinhamento da ações para equilíbrio do Estado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Aspecto da reunião do secretariado do governo estadual
Aspecto da reunião do secretariado do governo estadual

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 06/02/2019 às 05:27:00

 

O governador Belivaldo Chagas, ao lado da vice-governadora Eliane Aquino, reuniu o novo secretariado, nesta terça-feira (05), com o objetivo de apresentar e alinhar as diretrizes do governo, além de reforçar a união dos órgãos em prol do equilíbrio fiscal do Estado. Além disso, o governador colocou a necessidade de estreitamento das secretarias com escritório do governo em Brasília. Para isso, o governador nomeou Dernival Neto como novo chefe do escritório e frisou a importância de planejamento estratégico para nortear as ações estaduais nos próximos quatro anos.
"Temos uma equipe trabalhando num projeto único, que é fazer com que esse estado, nos próximos quatro anos, consiga reencontrar o equilíbrio nas finanças. Eu não estou preocupado em deixar obras feitas por cimento ou concreto. O que eu quero é reencontrar o equilíbrio que está perdido. Temos um déficit previdenciário de  mais de R$ 1 bilhão. Por isso, a ideia é trabalharmos de forma eficiente e planejada para que possamos resolver os problemas. Estamos reunindo o primeiro escalão e reuniremos o segundo em breve. É preciso que as coisas estejam claras para buscarmos economia", disse o governador.   
Planejamento Estratégico  - Na oportunidade, o governador falou da importância da relação do escritório em Brasília com a Superintendência de Planejamento da Secretaria Geral de Governo. "É preciso que tenhamos uma relação estreita com a Superintendência de Planejamento. As duas trabalharão em função de Sergipe", disse. 
As diretrizes do Governo serão implementadas por meio do planejamento estratégico, que será desenvolvido pela Superintendência de Planejamento. Serão feitos levantamentos de todos os contratos, dos projetos em andamento, convênios e acompanhamento das ações do governo. 
O superintendente de Planejamento da Secretaria Geral de Governo, Marcel Resende, explicou que o planejamento estratégico vai envolver várias etapas. "Primeiramente, envolvendo uma etapa com toda a alta gestão do Governo, verificando quais as prioridades dos secretários, quais são as principais políticas a serem desenvolvidas, quais são os planos. Em seguida, vamos seguir com oficinas para que a gente tenha o planejamento do governo para os próximos quatro anos bem delineado. O planejamento estratégico é fundamental porque é como se fosse um plano de voo para o governo, ou seja, é o que o governo quer para os próximos quatro anos. Quais são suas prioridades e projetos. E também dar uma forma de governança para acompanhar os resultados, as metas e estabelecer medidas corretivas para que a gente consiga atingir nossas metas".
A vice-governadora Eliane Aquino falou da responsabilidade que é colocar as finanças estaduais em dia. "Talvez, tenhamos umas das piores responsabilidades dos últimos anos. A gente pode ter o sonho que tiver, mas se não equilibrarmos na parte fiscal, o Estado não anda. Estou à disposição para visitar as áreas. O planejamento será importante para conseguir visualizar o que é prioridade. Essas medidas são fundamentais para que a gente possa  voltar a sonhar e consiga impulsionar o estado", frisou. 

O governador Belivaldo Chagas, ao lado da vice-governadora Eliane Aquino, reuniu o novo secretariado, nesta terça-feira (05), com o objetivo de apresentar e alinhar as diretrizes do governo, além de reforçar a união dos órgãos em prol do equilíbrio fiscal do Estado. Além disso, o governador colocou a necessidade de estreitamento das secretarias com escritório do governo em Brasília. Para isso, o governador nomeou Dernival Neto como novo chefe do escritório e frisou a importância de planejamento estratégico para nortear as ações estaduais nos próximos quatro anos.
"Temos uma equipe trabalhando num projeto único, que é fazer com que esse estado, nos próximos quatro anos, consiga reencontrar o equilíbrio nas finanças. Eu não estou preocupado em deixar obras feitas por cimento ou concreto. O que eu quero é reencontrar o equilíbrio que está perdido. Temos um déficit previdenciário de  mais de R$ 1 bilhão. Por isso, a ideia é trabalharmos de forma eficiente e planejada para que possamos resolver os problemas. Estamos reunindo o primeiro escalão e reuniremos o segundo em breve. É preciso que as coisas estejam claras para buscarmos economia", disse o governador.   

Planejamento Estratégico  - Na oportunidade, o governador falou da importância da relação do escritório em Brasília com a Superintendência de Planejamento da Secretaria Geral de Governo. "É preciso que tenhamos uma relação estreita com a Superintendência de Planejamento. As duas trabalharão em função de Sergipe", disse. 
As diretrizes do Governo serão implementadas por meio do planejamento estratégico, que será desenvolvido pela Superintendência de Planejamento. Serão feitos levantamentos de todos os contratos, dos projetos em andamento, convênios e acompanhamento das ações do governo. 
O superintendente de Planejamento da Secretaria Geral de Governo, Marcel Resende, explicou que o planejamento estratégico vai envolver várias etapas. "Primeiramente, envolvendo uma etapa com toda a alta gestão do Governo, verificando quais as prioridades dos secretários, quais são as principais políticas a serem desenvolvidas, quais são os planos. Em seguida, vamos seguir com oficinas para que a gente tenha o planejamento do governo para os próximos quatro anos bem delineado. O planejamento estratégico é fundamental porque é como se fosse um plano de voo para o governo, ou seja, é o que o governo quer para os próximos quatro anos. Quais são suas prioridades e projetos. E também dar uma forma de governança para acompanhar os resultados, as metas e estabelecer medidas corretivas para que a gente consiga atingir nossas metas".
A vice-governadora Eliane Aquino falou da responsabilidade que é colocar as finanças estaduais em dia. "Talvez, tenhamos umas das piores responsabilidades dos últimos anos. A gente pode ter o sonho que tiver, mas se não equilibrarmos na parte fiscal, o Estado não anda. Estou à disposição para visitar as áreas. O planejamento será importante para conseguir visualizar o que é prioridade. Essas medidas são fundamentais para que a gente possa  voltar a sonhar e consiga impulsionar o estado", frisou.