Moradores de Brumadinho receberão benefícios do INSS adiantado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/02/2019 às 06:20:00

 

Marcelo Brandão 
Agência Brasil 
O governo vai antecipar o pagamento dos benefícios assistenciais referentes ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para os moradores de Brumadinho (MG). Com isso, todas as pessoas do município que recebem benefícios como o Benefício de Prestação Continuada (BPC), por exemplo, estão incluídas na medida. Segundo o governo, mais de mil pessoas serão beneficiadas.
"A medida deve beneficiar mais de mil pessoas na cidade que possuem benefícios previdenciários e assistenciais, como o BPC, pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda. A medida valerá para todos os beneficiários registrados no município, independente de terem sido direta ou indiretamente afetados pela tragédia", informou o governo, em nota.
A informação foi passada pela assessoria do Palácio do Planalto e pelo porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros.
O governo também informou que tiveram início ontem (7) as obras para a construção de uma ponte na estrada interditada no bairro Alberto Flores, em Brumadinho. A previsão é de conclusão da obra em três semanas.
Reconstrução - O prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo, informou ontem (7) que negocia com um fundo internacional aporte de recursos para a reconstrução de estruturas danificadas na cidade, há duas semanas, com o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, pertencente à mineradora Vale. O investimento depende, contudo, da disponibilização de verbas por parte da mineradora.
Segundo o prefeito, o fundo, de origem canadense, entraria com 60% dos recursos a fundo perdido (ou seja, sem necessidade de ressarcimento). Já a Vale teria que aportar os 40% restantes, montante que poderia incluir os pagamentos e indenizações às famílias.
Ele calcula em aproximadamente R$ 150 milhões o total necessário para a retirada da lama, a recuperação do meio ambiente e a reconstrução de parte da cidade. O valor da reconstrução de uma ponte, por exemplo, para viabilizar o trânsito de alguns vilarejos ao centro, está orçado em R$ 10 milhões.

O governo vai antecipar o pagamento dos benefícios assistenciais referentes ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para os moradores de Brumadinho (MG). Com isso, todas as pessoas do município que recebem benefícios como o Benefício de Prestação Continuada (BPC), por exemplo, estão incluídas na medida. Segundo o governo, mais de mil pessoas serão beneficiadas.
"A medida deve beneficiar mais de mil pessoas na cidade que possuem benefícios previdenciários e assistenciais, como o BPC, pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda. A medida valerá para todos os beneficiários registrados no município, independente de terem sido direta ou indiretamente afetados pela tragédia", informou o governo, em nota.
A informação foi passada pela assessoria do Palácio do Planalto e pelo porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros.
O governo também informou que tiveram início ontem (7) as obras para a construção de uma ponte na estrada interditada no bairro Alberto Flores, em Brumadinho. A previsão é de conclusão da obra em três semanas.

Reconstrução -
O prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo, informou ontem (7) que negocia com um fundo internacional aporte de recursos para a reconstrução de estruturas danificadas na cidade, há duas semanas, com o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, pertencente à mineradora Vale. O investimento depende, contudo, da disponibilização de verbas por parte da mineradora.Segundo o prefeito, o fundo, de origem canadense, entraria com 60% dos recursos a fundo perdido (ou seja, sem necessidade de ressarcimento). Já a Vale teria que aportar os 40% restantes, montante que poderia incluir os pagamentos e indenizações às famílias.
Ele calcula em aproximadamente R$ 150 milhões o total necessário para a retirada da lama, a recuperação do meio ambiente e a reconstrução de parte da cidade. O valor da reconstrução de uma ponte, por exemplo, para viabilizar o trânsito de alguns vilarejos ao centro, está orçado em R$ 10 milhões.