Tarde demais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/02/2019 às 06:41:00

 

Depois que o pior acontece, não 
adianta chorar o leite derrama-
do. As sucessivas tragédias surpreendendo a população, em todas as regiões do Brasil, quase todos os dias, com mortos e feridos, não são imprevisíveis como as fatalidades impostas pela força da natureza. Crimes ambientais como os de Mariana e Brumadinho, no interior de Minas Gerais; incêndios como o do Centro de Treinamento do Flamengo, no Rio de Janeiro, são fruto de negligência e omissão. Ponto final.
O Ninho do Urubu, do Flamengo, foi alvo de ação recente do Ministério Público do Rio de Janeiro, em função das más condições oferecidas aos atletas de base. O processo, iniciado em 2015, faz menção a irregularidades no centro de treinamento e foi remetido ao MP-RJ na nesta sexta, após a tragédia, com saldo de pelo menos dez mortos. Tarde demais.
De acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, o Secretário de Defesa Civil Roberto Robadey, o alojamento em que estavam as vítimas da tragédia não tinha documentação. E, no entanto, mesmo após os problemas constatados 'in loco' pelo Ministério Público, funcionava normalmente.
Infelizmente, as tragédias se repetem, mas não provocam comoção capaz de obrigar as autoridades públicas a cuidar da segurança da população. Aqui mesmo, em Aracaju, vira e mexe um supermercado pega fogo. A Defesa Civil da capital já avisou que o armazenamento de produtos é realizado de maneira precária em pelo menos 80% dos estabelecimentos comerciais de Aracaju. O Hotel Palace, no Centro da Cidade, vacila sobre as cabeças dos transeuntes. E fica tudo por isso mesmo.

Depois que o pior acontece, não  adianta chorar o leite derrama- do. As sucessivas tragédias surpreendendo a população, em todas as regiões do Brasil, quase todos os dias, com mortos e feridos, não são imprevisíveis como as fatalidades impostas pela força da natureza. Crimes ambientais como os de Mariana e Brumadinho, no interior de Minas Gerais; incêndios como o do Centro de Treinamento do Flamengo, no Rio de Janeiro, são fruto de negligência e omissão. Ponto final.
O Ninho do Urubu, do Flamengo, foi alvo de ação recente do Ministério Público do Rio de Janeiro, em função das más condições oferecidas aos atletas de base. O processo, iniciado em 2015, faz menção a irregularidades no centro de treinamento e foi remetido ao MP-RJ na nesta sexta, após a tragédia, com saldo de pelo menos dez mortos. Tarde demais.
De acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, o Secretário de Defesa Civil Roberto Robadey, o alojamento em que estavam as vítimas da tragédia não tinha documentação. E, no entanto, mesmo após os problemas constatados 'in loco' pelo Ministério Público, funcionava normalmente.
Infelizmente, as tragédias se repetem, mas não provocam comoção capaz de obrigar as autoridades públicas a cuidar da segurança da população. Aqui mesmo, em Aracaju, vira e mexe um supermercado pega fogo. A Defesa Civil da capital já avisou que o armazenamento de produtos é realizado de maneira precária em pelo menos 80% dos estabelecimentos comerciais de Aracaju. O Hotel Palace, no Centro da Cidade, vacila sobre as cabeças dos transeuntes. E fica tudo por isso mesmo.