Incêndio destrói madeireira na Avenida Coelho e Campos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Não houve vítimas, mas a previsão é de destruição total
Não houve vítimas, mas a previsão é de destruição total

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 12/02/2019 às 06:34:00

 

Um incêndio de gran-
des proporções 
destruiu, na noite de ontem, a loja Serigy Madeiras, localizada na Avenida Coelho e Campos, centro da capital. O fogo começou por volta das 18h40 e se espalhou rapidamente, destruindo todo o espaço da madeireira e o estoque que ali estava armazenado. Não houve registro de feridos, pois o expediente já tinha sido encerrado quando o fogo começou. Até o fechamento desta edição, equipes do Corpo de Bombeiros estavam concentradas no local, controlando o avanço das chamas e impedindo que elas chegassem aos imóveis vizinhos. 
Pelo menos dois carros de combate (Auto-Bomba Tanque), com cerca de 10 soldados, foram enviados ao local para apagar o incêndio, mas houve pedido de reforço. Ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram posicionadas no local para possíveis atendimentos médicos. Equipes da Energisa e da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) foram igualmente mandadas para, respectivamente, desligar a energia elétrica e controlar o acesso de motoristas, desviando o trânsito no local. 
Moradores e curiosos também foram orientados a se afastar da região, por causa do forte cheiro de fumaça e da rápida propagação das chamas, principalmente devido à concentração de materiais como madeira e cola. As causas do incêndio, no entanto, só serão apuradas se houver um pedido formal dos proprietários da empresa ao Corpo de Bombeiros. 
Até o fechamento desta edição, os trabalhos ainda não tinham sido encerrados. Leia outras informações sobre o incêndio na edição de amanhã. 

Um incêndio de gran- des proporções  destruiu, na noite de ontem, a loja Serigy Madeiras, localizada na Avenida Coelho e Campos, centro da capital. O fogo começou por volta das 18h40 e se espalhou rapidamente, destruindo todo o espaço da madeireira e o estoque que ali estava armazenado. Não houve registro de feridos, pois o expediente já tinha sido encerrado quando o fogo começou. Até o fechamento desta edição, equipes do Corpo de Bombeiros estavam concentradas no local, controlando o avanço das chamas e impedindo que elas chegassem aos imóveis vizinhos. 
Pelo menos dois carros de combate (Auto-Bomba Tanque), com cerca de 10 soldados, foram enviados ao local para apagar o incêndio, mas houve pedido de reforço. Ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram posicionadas no local para possíveis atendimentos médicos. Equipes da Energisa e da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) foram igualmente mandadas para, respectivamente, desligar a energia elétrica e controlar o acesso de motoristas, desviando o trânsito no local. 
Moradores e curiosos também foram orientados a se afastar da região, por causa do forte cheiro de fumaça e da rápida propagação das chamas, principalmente devido à concentração de materiais como madeira e cola. As causas do incêndio, no entanto, só serão apuradas se houver um pedido formal dos proprietários da empresa ao Corpo de Bombeiros. 
Até o fechamento desta edição, os trabalhos ainda não tinham sido encerrados. Leia outras informações sobre o incêndio na edição de amanhã.