Erro em marcação de consultas gera tumultos em posto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/02/2019 às 06:13:00

 

A manhã de ontem foi marcada por tumulto na Unidade de Saúde da Família Onésimo Pinto, localizado no Jardim Centenário, zona Norte de Aracaju. De acordo com os usuários do Sistema Único de Saúde, uma precariedade do serviço de distribuição de senhas e agendamento de consultas e exames tem gerado conflitos entre os próprios moradores. O fato é que dezenas de pacientes começaram a formar filas ainda na madrugada, e, por volta das 6h30, alguns moradores tentaram 'furar fila'. Diante do impasse e na expectativa de evitar problemas mais agravantes, a direção da unidade optou por acionar equipes da Guarda Municipal de Aracaju e da Polícia Militar do Estado de Sergipe.
Sem apresentar de forma clara nenhuma defesa aos usuários que costumam enfrentar filas antes mesmo do sol nascer, tampouco aprovar o ato dos pacientes que chegaram após as 6h, a Secretaria Municipal de Saúde, nesse episódio representada pela direção da USF Onésimo Pinto, destacou apenas que o expediente tem início às 7h e que formar fila é desnecessário já que o sistema de atendimento é via hora previamente marcada. De acordo com a supervisora, Karlyane Góis, a situação ficou incontrolável diante da invasão dos pacientes antes mesmo da distribuição das senhas. A funcionária destacou ainda que a situação enfrentada ontem trata-se de um ato 'atípico'.
"Mesmo sempre destacando que não há necessidade de chegar na unidade tão cedo, ainda nos deparamos com uma cultura de se chegar bem antes do início dos atendimentos, que é pontualmente às 7h. É de conhecimento de todos que apenas a partir desse horário é que as senhas para atendimento começam a ser distribuídas. Foi uma situação atípica que todos nós torcemos para que não volte a ocorrer", declarou. Quanto à implantação do sistema de prontuário, Karlyane Góis informou que os trâmites seguem procedidos gradativamente e que em breve o serviço estará à disposição dos pacientes aracajuanos. Nenhum paciente ou acompanhante chegou a ser detido no tumulto.
Para a diarista Maria Isabell, a Prefeitura de Aracaju precisa qualificar em curto prazo o sistema de marcação online de atendimentos em todos os 43 postos de saúde. "Chegar cedo é uma forma de tentar não voltar para casa sem atendimento, ou sem conseguir marcar uma consulta. Isso só vai mudar quando a gente realmente for pra frente do computador e olhar os dias disponíveis para marcar os atendimentos. Enquanto ficar nessa onda de distribuir senha, as pessoas - e eu me incluo nesse grupo -, vão permanecer formando filas nas madrugadas. É um sacrifício e uma humilhação muito grande", lamentou. (Milton Alves Júnior)

A manhã de ontem foi marcada por tumulto na Unidade de Saúde da Família Onésimo Pinto, localizado no Jardim Centenário, zona Norte de Aracaju. De acordo com os usuários do Sistema Único de Saúde, uma precariedade do serviço de distribuição de senhas e agendamento de consultas e exames tem gerado conflitos entre os próprios moradores. O fato é que dezenas de pacientes começaram a formar filas ainda na madrugada, e, por volta das 6h30, alguns moradores tentaram 'furar fila'. Diante do impasse e na expectativa de evitar problemas mais agravantes, a direção da unidade optou por acionar equipes da Guarda Municipal de Aracaju e da Polícia Militar do Estado de Sergipe.
Sem apresentar de forma clara nenhuma defesa aos usuários que costumam enfrentar filas antes mesmo do sol nascer, tampouco aprovar o ato dos pacientes que chegaram após as 6h, a Secretaria Municipal de Saúde, nesse episódio representada pela direção da USF Onésimo Pinto, destacou apenas que o expediente tem início às 7h e que formar fila é desnecessário já que o sistema de atendimento é via hora previamente marcada. De acordo com a supervisora, Karlyane Góis, a situação ficou incontrolável diante da invasão dos pacientes antes mesmo da distribuição das senhas. A funcionária destacou ainda que a situação enfrentada ontem trata-se de um ato 'atípico'.
"Mesmo sempre destacando que não há necessidade de chegar na unidade tão cedo, ainda nos deparamos com uma cultura de se chegar bem antes do início dos atendimentos, que é pontualmente às 7h. É de conhecimento de todos que apenas a partir desse horário é que as senhas para atendimento começam a ser distribuídas. Foi uma situação atípica que todos nós torcemos para que não volte a ocorrer", declarou. Quanto à implantação do sistema de prontuário, Karlyane Góis informou que os trâmites seguem procedidos gradativamente e que em breve o serviço estará à disposição dos pacientes aracajuanos. Nenhum paciente ou acompanhante chegou a ser detido no tumulto.
Para a diarista Maria Isabell, a Prefeitura de Aracaju precisa qualificar em curto prazo o sistema de marcação online de atendimentos em todos os 43 postos de saúde. "Chegar cedo é uma forma de tentar não voltar para casa sem atendimento, ou sem conseguir marcar uma consulta. Isso só vai mudar quando a gente realmente for pra frente do computador e olhar os dias disponíveis para marcar os atendimentos. Enquanto ficar nessa onda de distribuir senha, as pessoas - e eu me incluo nesse grupo -, vão permanecer formando filas nas madrugadas. É um sacrifício e uma humilhação muito grande", lamentou. (Milton Alves Júnior)