Não pode cair no esquecimento

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O prefeito Edvaldo Nogueira reuniu a bancada federal de Sergipe, na noite de quarta-feira, 20, em Brasília. Aos deputados e senadores, o gestor municipal externou o seu propósito de ampliar a interlocução com todos em defesa dos pleitos de Aracaju junto a
O prefeito Edvaldo Nogueira reuniu a bancada federal de Sergipe, na noite de quarta-feira, 20, em Brasília. Aos deputados e senadores, o gestor municipal externou o seu propósito de ampliar a interlocução com todos em defesa dos pleitos de Aracaju junto a

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/02/2019 às 07:32:00

 

O ex-governador Jackson Barreto (MDB), 
mesmo fora do Poder e em viagem pelas 
praias do Nordeste, continua antenado com as questões políticas do país e de Sergipe.
Em conversa ontem com a coluna, JB focou no governo federal. Disse que o episódio do laranjal do PSL, que acabou com a demissão de Gustavo Bebianno da Secretaria Geral da Presidência, foi apenas um "pano de fundo" para cobrir das manchetes o escândalo Flávio Bolsonaro, o primogênito do presidente Jair Bolsonaro. 
"Não se tem conhecimento das investigações sobre os imóveis comprados por Flávio Bolsonaro, no valor de R$ 4 milhões. Não tem como ter esse patrimônio com salário de deputado estadual. De onde veio esses recursos? E o escândalo do Queiroz, que empregou no gabinete do filho de Bolsonaro a mãe e esposa do chefe da milícia do Rio de Janeiro , um capitão que foi condecorado na Assembleia Legislativa por Flávio Bolsonaro e foi apontado como responsável pelo assassinato da vereadora Marielle?", questiona.
JB ainda questiona como está a investigação dos R$ 24 mil depositados na conta da mulher do presidente Bolsonaro e dos servidores da Assembleia Legislativa do Rio que passaram pelo gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro e fizeram transferências bancárias para uma conta mantida pelo motorista Queiroz? A promotoria abriu mão da investigação, renunciou? O que está sendo apurado?
"O que sinto é que está sendo feito um trabalho meticuloso, com logística e dedo militar, para não evoluir, não atingir o governo Bolsonaro. O que acho estranho é não haver mais repercussão na imprensa sobre o andamento desses casos. O que tem mais repercussão e é mais grave para o país: o filho do presidente envolvido em vários esc&ac irc;ndalos - como nomeação da família de chefe de milícia e dinheiro na conta do Queiroz e da mulher do presidente - ou o laranjal do PSL?", indaga.
Ressalta o ex-governador que o mais estranho é o fato do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e a Polícia Federal não estarem investigando esses escândalos. Avalia que nem a imprensa nem o povo brasileiro podem esquecer disso.
As investigações devem prosseguir com transparência e ampla divulgação, como ocorrem em relação a outros partidos e personalidades, a exemplo do PT e agora do PSDB, envolvendo além do operador Paulo Preto, o ex-ministro Aloysio Nunes. Se houver culpados, que sejam punidos, mesmo que isso venha a afetar a República e a primeira família. 

O ex-governador Jackson Barreto (MDB),  mesmo fora do Poder e em viagem pelas  praias do Nordeste, continua antenado com as questões políticas do país e de Sergipe.Em conversa ontem com a coluna, JB focou no governo federal. Disse que o episódio do laranjal do PSL, que acabou com a demissão de Gustavo Bebianno da Secretaria Geral da Presidência, foi apenas um "pano de fundo" para cobrir das manchetes o escândalo Flávio Bolsonaro, o primogênito do presidente Jair Bolsonaro. 
"Não se tem conhecimento das investigações sobre os imóveis comprados por Flávio Bolsonaro, no valor de R$ 4 milhões. Não tem como ter esse patrimônio com salário de deputado estadual. De onde veio esses recursos? E o escândalo do Queiroz, que empregou no gabinete do filho de Bolsonaro a mãe e esposa do chefe da milícia do Rio de Janeiro , um capitão que foi condecorado na Assembleia Legislativa por Flávio Bolsonaro e foi apontado como responsável pelo assassinato da vereadora Marielle?", questiona.
JB ainda questiona como está a investigação dos R$ 24 mil depositados na conta da mulher do presidente Bolsonaro e dos servidores da Assembleia Legislativa do Rio que passaram pelo gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro e fizeram transferências bancárias para uma conta mantida pelo motorista Queiroz? A promotoria abriu mão da investigação, renunciou? O que está sendo apurado?
"O que sinto é que está sendo feito um trabalho meticuloso, com logística e dedo militar, para não evoluir, não atingir o governo Bolsonaro. O que acho estranho é não haver mais repercussão na imprensa sobre o andamento desses casos. O que tem mais repercussão e é mais grave para o país: o filho do presidente envolvido em vários esc&ac irc;ndalos - como nomeação da família de chefe de milícia e dinheiro na conta do Queiroz e da mulher do presidente - ou o laranjal do PSL?", indaga.
Ressalta o ex-governador que o mais estranho é o fato do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e a Polícia Federal não estarem investigando esses escândalos. Avalia que nem a imprensa nem o povo brasileiro podem esquecer disso.
As investigações devem prosseguir com transparência e ampla divulgação, como ocorrem em relação a outros partidos e personalidades, a exemplo do PT e agora do PSDB, envolvendo além do operador Paulo Preto, o ex-ministro Aloysio Nunes. Se houver culpados, que sejam punidos, mesmo que isso venha a afetar a República e a primeira família. 

Alfinetada

Falando da política local, Jackson Barreto (MDB) criticou o ex-deputado federal Valadares Filho (PSB) por ter se referido ao governador Belivaldo Chagas (PSD) como cínico. Disse JB: "O país passa por dificuldades. O Estado de Sergipe mais grave ainda. O governador, de forma sincera, convoca a todos para juntos encontrarmos caminhos e recebe agressão do menino mimado e derrotado que nunca soube o que é trabalho. Desarme o espírito! Chamar o governador de cínico é uma agressão sem cabimento. Será que 300 mil votos de diferença não são capazes de levá-lo a uma mudança de comportamento?".

2º escalão 1 

Já de volta a Sergipe, Belivaldo Chagas deu continuidade ontem a reforma do 2º escalão do governo. Empossou pela manhã Carlos Melo como diretor presidente da Deso, que retornou à Casa, e  Paulo Sobral na presidência da Cohidro, em substituição a Melo.

2º escalão 2

Em 31 de janeiro Belivaldo nomeou o engenheiro civil Ancelmo Luiz de Souza para a presidência do DER, em substituição a Antônio Vasconcelos. Informações de bastidores dão conta que ele deve fazer mudanças no Detran e na Adema.

Em maus lençóis

A assessoria jurídica do prefeito Valmir Monteiro (PSC-Lagarto) perdeu prazo para apresentação de agravo em recurso especial junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) referente à ação movida pelo Ministério Público de Sergipe. O ministro relator João Otávio de Noronha, que é presidente do tribunal, não reconheceu o pedido. O processo é referente à acusação de atos de improbidade administrativa na gestão do matadouro de Lagarto, que resultou no seu afastamento da prefeitura por pouco mais de um mês.

Reconciliação

O deputado estadual Ibrain Monteiro (PSC) revela que seu pai, o prefeito Valmir Monteiro, e o deputado federal Gustinho Ribeiro (SD), já voltaram a se entender politicamente. A relação entre os dois ficou estremecida quando a esposa de Gustinho, a vice-prefeita Hilda Ribeiro (SD), assumiu o comando do município de Lagarto com o afastamento do prefeito e exonerou boa parte do secretariado. 

A causa

Segundo Ibrain, o desentendimento foi gerado pelo "entorno dos dois lados". Revela, inclusive, que o comando da Secretaria Municipal de Saúde é indicação do deputado Gustinho Ribeiro.

Satisfação

O líder do governo na Assembleia Legislativa, o estreante deputado Zezinho Sobral (PSD), disse que está muito satisfeito com a atuação dos colegas parlamentar nesses primeiros dias de trabalho legislativo. Destacou a ação da Assembleia na questão do fechamento dos matadouros municipais e na área da saúde, no que diz respeito a polêmica Carreta do Câncer. "A Assembleia realmente está sendo a Casa do povo", festeja,

Insiste na CPI da Toga

Ao prestar contas do início do seu mandato, em pronunciamento ontem no Senado, o senador Alessandro Vieira (PPS-SE) disse que vai insistir na criação da CPI dos Tribunais Superiores, que visa investigar possíveis excessos cometidos pelas Cortes. Ele lamentou o arquivamento, pelo presidente da Casa, Davi Alcolumbre, do seu primeiro requerimento apresentado, mas informou que agora o texto atenderá todos os requisitos exigidos pelo regimento.

Crea no Congresso 

O presidente do Crea-SE, Arício Resende Silva, e comitiva se reuniram na quinta-feira passada com a bancada federal de Sergipe. Pediram apoio a projetos que estão em tramitação e debate no Senado e na Câmara dos Deputados, como a federalização do plenário do Confea, o fim do uso da modalidade pregão eletrônico para a contratação de serviços de engenharia e o reconhecimento da carreira típica de Estado para a Engenharia e a Agronomia. 

Reforma da Previdência 1

Do deputado federal Fábio Henrique (PDT) sobre a reforma da Previdência entregue ao Congresso Nacional pelo presidente Jair Bolsonaro, na última quarta-feira: "Em uma análise ainda preliminar, temos discordâncias com a reforma da previdência encaminhada por Bolsonaro. Entendo que prejudica os professores, penaliza os trabalhadores rurais e chega a ser cruel com idosos de baixa renda. Não votarei em nada que penalize os pequenos".

Reforma da Previdência 2

Do senador Rogério Carvalho (PT): "Chega a proposta da Reforma da Previdência. Ainda não houve tempo para analisarmos o conteúdo, mas a preocupação existe. Pelo que vimos, os cortes são para aqueles que mais precisam, e nós não vamos permitir isso! Muito menos a capitalização da Previdência". 

Reforma da Previdência 3

Do vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo: "A reforma da Previdência proposta por Bolsonaro vai colocar a conta nas costas do trabalhador, que ganha um salário mínimo, e deixar de fora empresas sonegadoras do INSS. Juntas, elas devem mais de R$ 426 bilhões, valor muito superior ao rombo da Previdência. Os privilegiados têm de arcar com as suas responsabilidades e entrar no cálculo".

Reforma da previdência 4

Da deputada federal Joice Hasselmnn (PSL-PR), vice-líder do partido na Câmara dos Deputados, em razão das dificuldades para a definição da relatoria da Proposta de Emenda à Constituição (PEC): "Deputados que juraram amor eterno ao presidente, agora se afastam. Se o texto é muito duro, a gente começa a discutir em cima do texto duro e começa a apanhar em cima dele." 

Reforma da Previdência 5

As principais centrais sindicais do Brasil já decidiram em assembleia, realizada anteontem, organizar protestos contra a  reforma da Previdência . A Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Força Sindical, a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e outras entidades sindicais já marcaram manifestações em várias cidades do país nos dias 8 de março, 1º de abril e 1º de maio.

Velho Chico

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, não descarta que rejeitos advindos do rompimento da barragem da empresa Vale em Brumadinho (MG) contaminem o Rio São Francisco. Ele participou de audiência pública na comissão externa sobre o desastre. A tragédia ocorreu no dia 25 de janeiro e até o momento 171 mortes foram confirmadas. Segundo a Defesa Civil, 139 pessoas continuam desaparecidas.

Veja essa ...

Do deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC), pré-candidato declarado a prefeito de Aracaju em 2020: "Quando se dirigirem a mim, me tratem como prefeito".

Curtas

Hoje o governador Belivaldo Chagas pega a estrada para o Sertão sergipano, onde visita Feira Nova, Monte Alegre, Nossa Senhora da Glória e Canindé. Serão entregues pavimentações nos quatro municípios e assinada ordem de serviço para obras complementares na Orla de Canindé. 

Durante posse ontem do diretor da Deso, Carlos Melo, o governador e o prefeito Valmir Monteiro (PSC-Lagarto) assinaram termo de cooperação sobre a duplicação da adutora Piauitinga. A obra, cujos recursos já estão garantidos, irá garantir abastecimento do município e região. 

Jackson Barreto, que participou ontem da posse de Carlos Melo, viajou em seguida para Santa Rosa de Lima visando participar à noite da festa de aniversário da tia Janoca, que completou 99 anos.

O ex-governador já está arrumando as malas para o carnaval em Orlando, nos Estados Unidos, com a família. Só retornará dia 15 de março.