Trio suspeito de homicídio no São Conrado é preso

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/02/2019 às 08:24:00

 

A Polícia Civil prendeu ontem três dos sete suspeitos responsáveis pelo homicídio de Jonathan Gabriel Dantas da Silva, mais conhecido como "Lobão". O crime aconteceu no dia 21 de agosto do ano passado e teria envolvimento com a facção criminosa "Preás". O crime que aconteceu no final do ano passado, também é resultado desta disputa do tráfico.
 "Apuramos que o crime é consequência de uma rivalidade antiga de uma associação criminosa rival conhecida como 'Preás', inclusive, a maioria dos integrantes estão presos e um já faleceu em Carmópolis. A rivalidade das facções é por causa da disputa pelo controle de pontos de venda de drogas de entorpecentes na região", explicou o delegado responsável pela operação, Mário Leony. Ele explica que "Lobão" era novo no Bairro, morando em uma residência cedida por familiares de integrantes do tráfico. Assim, ele foi executado pelos "Preás" por causa de um dos pontos de venda de entorpecentes.
"O Jonathan tinha se mudado há pouco tempo pra uma casa no São Conrado, onde integrantes de uma outra Facção tinham residido e sido expulsos. A expulsão foi por conta da disputa pelo " cais", um ponto de venda do tráfico.  Entretanto, quando a vítima se mudou, os suspeitos integrantes da associação criminosa 'Preás' desconfiaram que o Jonathan poderia ser uma espécie de olheiro da outra facção que buscava uma retaliação, uma vingança dos outros que foram expulsos. Assim, o executaram", esclareceu.

A Polícia Civil prendeu ontem três dos sete suspeitos responsáveis pelo homicídio de Jonathan Gabriel Dantas da Silva, mais conhecido como "Lobão". O crime aconteceu no dia 21 de agosto do ano passado e teria envolvimento com a facção criminosa "Preás". O crime que aconteceu no final do ano passado, também é resultado desta disputa do tráfico.
 "Apuramos que o crime é consequência de uma rivalidade antiga de uma associação criminosa rival conhecida como 'Preás', inclusive, a maioria dos integrantes estão presos e um já faleceu em Carmópolis. A rivalidade das facções é por causa da disputa pelo controle de pontos de venda de drogas de entorpecentes na região", explicou o delegado responsável pela operação, Mário Leony. Ele explica que "Lobão" era novo no Bairro, morando em uma residência cedida por familiares de integrantes do tráfico. Assim, ele foi executado pelos "Preás" por causa de um dos pontos de venda de entorpecentes.
"O Jonathan tinha se mudado há pouco tempo pra uma casa no São Conrado, onde integrantes de uma outra Facção tinham residido e sido expulsos. A expulsão foi por conta da disputa pelo " cais", um ponto de venda do tráfico.  Entretanto, quando a vítima se mudou, os suspeitos integrantes da associação criminosa 'Preás' desconfiaram que o Jonathan poderia ser uma espécie de olheiro da outra facção que buscava uma retaliação, uma vingança dos outros que foram expulsos. Assim, o executaram", esclareceu.