Rogério Carvalho pede ação do BC contra o desemprego e critica reforma da Previdência

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 28/02/2019 às 23:18:00

 

Em pronunciamento 
na quarta-feira (27), o 
senador Rogério Carvalho (PT-SE) manifestou preocupação com o nível de desemprego no país e criticou a reforma da Previdência, proposta pelo governo.
O senador disse que o desemprego formal aumentou de 2018 para 2019. O parlamentar salientou que a soma do número de desempregados com o de subempregados chega a 27 milhões de cidadãos. Para Rogério Carvalho, é preciso que as políticas do Banco Central atentem para esse problema.
- O Banco Central (...) não pode fechar os olhos para o nível de emprego. E é preciso que a gente paute nesta Casa que o Banco Central, quando olhar a taxa de juros, olhe também a taxa de desemprego - afirmou.
Rogério Carvalho também criticou a proposta de reforma da Previdência. Ele classificou como grave o aumento do tempo de contribuição, em especial dos que trabalham na zona rural. E repudiou a mudança nos critérios para a condição de trabalhador rural.
- Minha mãe, por exemplo, trabalhadora rural, nasceu na roça, viveu a vida inteira trabalhando no campo e nunca teve carteira assinada. Portanto, ela jamais poderia se aposentar - disse.
A proposta da capitalização, que é um dos pontos da reforma da Previdência, também preocupa o senador.
- Eu tenho uma preocupação, porque o modelo de previdência que foi apresentado, sob a forma de capitalização não resolve o problema da crise fiscal de imediato. Porque o recurso novo não fica no caixa, ele vai para os fundos. Na verdade, [isso] significa ir para o sistema financeiro - afirmou. (Agência Senado)

Em pronunciamento  na quarta-feira (27), o  senador Rogério Carvalho (PT-SE) manifestou preocupação com o nível de desemprego no país e criticou a reforma da Previdência, proposta pelo governo.
O senador disse que o desemprego formal aumentou de 2018 para 2019. O parlamentar salientou que a soma do número de desempregados com o de subempregados chega a 27 milhões de cidadãos. Para Rogério Carvalho, é preciso que as políticas do Banco Central atentem para esse problema.
- O Banco Central (...) não pode fechar os olhos para o nível de emprego. E é preciso que a gente paute nesta Casa que o Banco Central, quando olhar a taxa de juros, olhe também a taxa de desemprego - afirmou.
Rogério Carvalho também criticou a proposta de reforma da Previdência. Ele classificou como grave o aumento do tempo de contribuição, em especial dos que trabalham na zona rural. E repudiou a mudança nos critérios para a condição de trabalhador rural.
- Minha mãe, por exemplo, trabalhadora rural, nasceu na roça, viveu a vida inteira trabalhando no campo e nunca teve carteira assinada. Portanto, ela jamais poderia se aposentar - disse.
A proposta da capitalização, que é um dos pontos da reforma da Previdência, também preocupa o senador.
- Eu tenho uma preocupação, porque o modelo de previdência que foi apresentado, sob a forma de capitalização não resolve o problema da crise fiscal de imediato. Porque o recurso novo não fica no caixa, ele vai para os fundos. Na verdade, [isso] significa ir para o sistema financeiro - afirmou. (Agência Senado)