Sob o reinado de Momo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 28/02/2019 às 23:26:00

 

Há quem aguarde a chegada do 
período carnavalesco o ano in-
teiro, contando os dias para cair na folia. Outros contam com o feriado para passar algum tempo de pernas pra cima, desfrutando sombra e água fresca, em companhia da família. De um modo ou de outro, uma coisa é certa: todo cuidado é pouco. No fim das contas, independente do roteiro escolhido, a maioria retorna ao batente na quarta-feira de cinzas.
Os cuidados com o corpo e a alimentação são indispensáveis. Quem se expõe muito ao sol, pulando Carnaval ou aproveitando o feriado na praia, deve tomar cuidados com a exposição à radiação solar, mesmo sob o resguardo indispensável do sombreiro. A recomendação dos médicos é que as pessoas consumam bastante líquido, como água e sucos de frutas diuréticas - abacaxi, melancia ou melão - o dia todo. O Carnaval é celebrado durante o período mais quente do ano, e isso também precisa ser levado em conta.
Para a maioria dos foliões, contudo, o carnaval é embalado mesmo a álcool. Problema nenhum, desde que os mais festeiros mantenham a compostura, não cometam assédio, pratiquem o sexo seguro e, sobretudo, se mantenham longe do volante. Nos feriados prolongados, os 66 mil quilômetros de rodovias federais brasileiras servem de palco para todo tipo de excessos. A média anual de acidentes fatais varia bastante. Mas não as consequências derivadas da imprudência criminosa conta-se em mortos e feridos.
O reinado de Momo costuma ser entendido como um período de férias para o juízo. No rastro da folia, muita gente toma um rumo errado. No fim das contas, tudo está resumido em uma marchinha que tem presença garantida no repertório de qualquer bandinha de frevo. Nessas horas, melhor não ignorar o apelo deliberado das campanhas educativas. Se beber, não dirija. Respeite as mina. Use a camisinha e o filtro solar.

Há quem aguarde a chegada do  período carnavalesco o ano in- teiro, contando os dias para cair na folia. Outros contam com o feriado para passar algum tempo de pernas pra cima, desfrutando sombra e água fresca, em companhia da família. De um modo ou de outro, uma coisa é certa: todo cuidado é pouco. No fim das contas, independente do roteiro escolhido, a maioria retorna ao batente na quarta-feira de cinzas.
Os cuidados com o corpo e a alimentação são indispensáveis. Quem se expõe muito ao sol, pulando Carnaval ou aproveitando o feriado na praia, deve tomar cuidados com a exposição à radiação solar, mesmo sob o resguardo indispensável do sombreiro. A recomendação dos médicos é que as pessoas consumam bastante líquido, como água e sucos de frutas diuréticas - abacaxi, melancia ou melão - o dia todo. O Carnaval é celebrado durante o período mais quente do ano, e isso também precisa ser levado em conta.
Para a maioria dos foliões, contudo, o carnaval é embalado mesmo a álcool. Problema nenhum, desde que os mais festeiros mantenham a compostura, não cometam assédio, pratiquem o sexo seguro e, sobretudo, se mantenham longe do volante. Nos feriados prolongados, os 66 mil quilômetros de rodovias federais brasileiras servem de palco para todo tipo de excessos. A média anual de acidentes fatais varia bastante. Mas não as consequências derivadas da imprudência criminosa conta-se em mortos e feridos.
O reinado de Momo costuma ser entendido como um período de férias para o juízo. No rastro da folia, muita gente toma um rumo errado. No fim das contas, tudo está resumido em uma marchinha que tem presença garantida no repertório de qualquer bandinha de frevo. Nessas horas, melhor não ignorar o apelo deliberado das campanhas educativas. Se beber, não dirija. Respeite as mina. Use a camisinha e o filtro solar.