Maria quer agilidade no atendimento a pacientes com doenças raras

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/03/2019 às 22:58:00

 

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) sugeriu que a Assembleia Legislativa apresente uma Moção de Apelo ao Governo do Estado para que dê celeridade aos serviços do Centro de Referência para tratamento das doenças raras. "Estamos sugerindo que a Assembleia faça esse apelo, pois estará representando o desejo e sentimento de todos os 24 deputados e não apenas de um", explicou.
Ao se colocar à disposição para elaborar a Moção e, também, para servir à Frente Parlamentar que vai cuidar das doenças raras em Sergipe, a deputada ressaltou que esse mesmo apelo deve ser encaminhado aos Governos municipais para que possam se somar e contribuir com esse processo. "É importante nos colocarmos à disposição para servir ao próximo, pois esse deve ser o nosso propósito de vida, sobretudo, quando vemos pessoas abnegadas que se dispõem a estar nessa luta para minimizar a dor do outro.
Maria considera de extrema relevância a conclusão desse empreendimento com a mais breve urgência para que os profissionais tenham as devidas condições de trabalho, bem como os pacientes possam se sentir mais confortáveis e acolhidos em local apropriado.
Reportando-se aos que trabalham em favor da causa, a exemplo da médica Ana Jovina e do presidente da Associação de Renais Crônicos, com quem, quando prefeita de Itabaiana, estabeleceu parcerias para facilitar aos pacientes renais crônicos, Maria ressaltou que todos os envolvidos abraçam a causa com amor por estar em missão. "Essa é uma bandeira que deve ser abraçada por toda a sociedade", disse, acrescentando que, "esses abnegados despertam em nós o desejo e a oportunidade de fazermos algo pelo ser humano".
A deputada se colocou à disposição para elaborar a Moção e, também, para servir à Frente Parlamentar que vai cuidar das doenças raras em Sergipe. "É importante estarmos sempre prontos para servir ao próximo, pois esse deve ser o nosso propósito de vida, sobretudo, quando vemos pessoas que se dispõem a estar nessa luta para minimizar a dor do outro", afirmou.

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) sugeriu que a Assembleia Legislativa apresente uma Moção de Apelo ao Governo do Estado para que dê celeridade aos serviços do Centro de Referência para tratamento das doenças raras. "Estamos sugerindo que a Assembleia faça esse apelo, pois estará representando o desejo e sentimento de todos os 24 deputados e não apenas de um", explicou.
Ao se colocar à disposição para elaborar a Moção e, também, para servir à Frente Parlamentar que vai cuidar das doenças raras em Sergipe, a deputada ressaltou que esse mesmo apelo deve ser encaminhado aos Governos municipais para que possam se somar e contribuir com esse processo. "É importante nos colocarmos à disposição para servir ao próximo, pois esse deve ser o nosso propósito de vida, sobretudo, quando vemos pessoas abnegadas que se dispõem a estar nessa luta para minimizar a dor do outro.
Maria considera de extrema relevância a conclusão desse empreendimento com a mais breve urgência para que os profissionais tenham as devidas condições de trabalho, bem como os pacientes possam se sentir mais confortáveis e acolhidos em local apropriado.
Reportando-se aos que trabalham em favor da causa, a exemplo da médica Ana Jovina e do presidente da Associação de Renais Crônicos, com quem, quando prefeita de Itabaiana, estabeleceu parcerias para facilitar aos pacientes renais crônicos, Maria ressaltou que todos os envolvidos abraçam a causa com amor por estar em missão. "Essa é uma bandeira que deve ser abraçada por toda a sociedade", disse, acrescentando que, "esses abnegados despertam em nós o desejo e a oportunidade de fazermos algo pelo ser humano".A deputada se colocou à disposição para elaborar a Moção e, também, para servir à Frente Parlamentar que vai cuidar das doenças raras em Sergipe. "É importante estarmos sempre prontos para servir ao próximo, pois esse deve ser o nosso propósito de vida, sobretudo, quando vemos pessoas que se dispõem a estar nessa luta para minimizar a dor do outro", afirmou.