Crescimento da Inteligência Artificial

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 02/03/2019 às 14:24:00

 

Informações divulgadas pelo ECAD - Escritório Central de Arrecadação apontam que a quantidade de artistas remunerados aumentou 25% em relação a 2017. Para o ECAD, os artistas podem comemorar os números do ano que passou: mesmo em meio a uma crise econômica, o trabalho permanente das associações de música e do Ecad de conscientizar a sociedade sobre o pagamento de direitos autorais resultou em grandes cifras para a cadeia produtiva da música. Foram distribuídos  R$ 971 milhões em direitos autorais para artistas e demais titulares, além das associações. A quantidade de beneficiados teve um aumento de 25%, indo de 259 mil (2017) para mais de 326 mil compositores, intérpretes, músicos, editoras e gravadoras remunerados em 2018. 
 Conforme o ECAD, cerca de 66% do valor total foram repassados ao repertório nacional, contribuindo para o fortalecimento da indústria musical brasileira.  O segmento que apresentou maior crescimento na distribuição de direitos autorais foi o de Cinema, com mais de 400% de aumento no valor total repassado.

Saumíneo Nascimento

Uma publicação da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (WIPO), aponta que desde que a inteligência artificial foi discutida pela primeira vez na década de 1950, já foram publicados mais de 6 milhões de documentos científicos, e temos aproximadamente 340.000 pedidos de patentes relacionados a inteligência artificial, cabendo destacar que o crescimento da inteligência artificial é mais recente, pois a maioria dos pedidos de patentes relacionados à inteligência artificial foram publicados a partir de 2013.

O Diretor Geral da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (WIPO), Francis Gurry tem afirmado que a atividade de patenteamento no campo da inteligência artificial está avançando em ritmo acelerado, o que deverá produzir um número muito importante de novos produtos, aplicações e técnicas baseadas em inteligência artificial e que transformarão nosso trabalho diário, e que eles determinarão como nos relacionaremos com as máquinas que criamos.

 O estudo da WIPO apresenta algumas conclusões que são relevantes, a exemplo de: as patentes relacionadas à inteligência artificial estão aumentando rapidamente e, desde 2013, mais da metade das invenções identificadas foram publicadas; as empresas constituem 26 dos 30 principais requerentes de patente no campo da inteligência artificial, enquanto as quatro restantes são universidades ou organizações públicas de pesquisa; no final de 2016, a International Business Machines Corp. (IBM) possuía o maior portfólio de pedidos de patentes no campo da inteligência artificial, com 8.290 invenções, seguido pela empresa norte-americana Microsoft Corp. com 5.930. Para completar a lista dos cinco principais candidatos estão: a Toshiba Corp. (5.223), o Grupo Samsung da República da Coreia (5.102) e o Grupo NEC do Japão (4.406); as organizações chinesas são 3 das 4 instituições acadêmicas que estão entre os 30 melhores requerentes de patentes, e a Academia Chinesa de Ciências é classificada como a 17ª , com mais de 2.500 famílias de patentes; e por fim, entre as instituições acadêmicas, as da China representam 17 das melhores entre as 20 mais  em patentes relacionadas à inteligência artificial e elas também possuem 10 das 20 publicações científicas mais importantes relacionados com a inteligência artificial.

A inteligência artificial vem avançando de forma tão rápida que já se discute se ela será a nova internet, ou seja, uma inovação que vai remodelar completamente o nosso mundo antes de se tornar algo tão comum quer não vale a pena comentá-la.

INPI lança sistema eletrônico

de Indicações Geográficas (e-IG)

O Instituto Nacional de Propriedade Industrial - INPI informou que foi disponibilizado no dia 21 de fevereiro, o sistema eletrônico para o serviço de Indicações Geográficas, o e-IG, conforme aprovado pela Resolução nº 233, de 18 de janeiro de 2019. A partir de agora, o peticionamento em papel fica extinto.  Segundo o INPI, além de mais rápido, o sistema permitirá ao usuário fazer um pedido ou protocolar petições pela internet a partir de qualquer lugar e dia da semana. O sistema também auxilia o usuário no preenchimento dos formulários e na apresentação de documentos.

Para acessar o sistema, basta usar o mesmo login e senha cadastrados no sistema da Guia de Recolhimento da União (GRU). Na solicitação do serviço, o usuário precisará do número da GRU, que deve ser paga antes de dar início ao processo. Não é necessário possuir token (assinatura eletrônica).

O INPI alerta que apenas continuam com formulários em papel as Declarações de Estabelecimento na Área Delimitada e de Único Produtor/Prestador de Serviço, na página do INPI na internet é possível acessar os formulários.

Artistas e outros profissionais da música

receberam R$ 971 milhões do Ecad em 2018

Informações divulgadas pelo ECAD - Escritório Central de Arrecadação apontam que a quantidade de artistas remunerados aumentou 25% em relação a 2017. Para o ECAD, os artistas podem comemorar os números do ano que passou: mesmo em meio a uma crise econômica, o trabalho permanente das associações de música e do Ecad de conscientizar a sociedade sobre o pagamento de direitos autorais resultou em grandes cifras para a cadeia produtiva da música. Foram distribuídos  R$ 971 milhões em direitos autorais para artistas e demais titulares, além das associações. A quantidade de beneficiados teve um aumento de 25%, indo de 259 mil (2017) para mais de 326 mil compositores, intérpretes, músicos, editoras e gravadoras remunerados em 2018. 
 Conforme o ECAD, cerca de 66% do valor total foram repassados ao repertório nacional, contribuindo para o fortalecimento da indústria musical brasileira.  O segmento que apresentou maior crescimento na distribuição de direitos autorais foi o de Cinema, com mais de 400% de aumento no valor total repassado.