Projeto Odara: produtos feitos por detentas sergipanas são comercializados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 02/03/2019 às 15:00:00

 

Com o objetivo de fortalecer e estimular o trabalho, sobretudo em equipe, as mulheres detidas no Presídio Feminino (Prefem), gerido pela Secretaria de Justiça e do Direito ao Consumidor (Sejuc), localizado em Nossa Senhora do Socorro, realizam o Projeto  'Empoderar Mulheres para o mundo ficar Odara' voltado ao empoderamento de mulheres. 
Dentre os materiais feitos pelas mulheres do Prefem, se destaca o Kit Carnaval, que traz mensagens de conscientização e fortalecimento contra o assédio, sobretudo neste período de folia momesca. Os interessados podem adquirir, por exemplo, ecobags, lixeira para automóveis e porta-garrafa de água, por exemplo, com mensagens contra o assédio, além de bolsas, necessaires e produtos de tecido diversos feitos à mão.
Os produtos confeccionados pelas detentas estiveram disponíveis para comercialização durante esta semana, através do projeto Feirinha da Gambiarra, localizada no RioMar Shopping, em Aracaju (SE). No dia 17 de março, próxima data de edição da feirinha, os materiais voltarão à exposição.
Para a idealizadora pelo espaço, Isabele Ribeiro, o estímulo e valorização desses produtos, sobretudo confeccionados por mulheres detentas, é importante do ponto de vista social e de inclusão da mulher detenta à sociedade. 
"Desde o momento que o projeto chegou para mim, fiquei apaixonada, pois sempre quis trabalhar com materiais feitos a partir da ressocialização de detentas. Estamos apoiando e dando suporte à marca porque achamos muito importante que o projeto esteja inserido na sociedade, que as pessoas conheçam e comprem esses produtos", destacou Isabele.
A estudante Ana Flávia Gomides, de 21 anos, que visitava o estande, também ressaltou a iniciativa positiva do Prefem. "Acho não só importante, como necessário dar alternativas para mulheres em situação de prisão. Com isso, elas aprendem uma profissão e têm mais chances de ressocialização após a liberdade", destacou.
A artesã Riani Poderoso reforça a importância de profissionalizar e capacitar as detentas sergipanas, sobretudo através da arte. "Acho importante porque ter uma função dá sentido a vida, ainda mais dentro de um ambiente difícil como a prisão. Acredito que com o projeto elas se sentem mais úteis e, claro, tendo esses produtos expostos num local de muito acesso, como um shopping center, é permitir que a sociedade conheça esse trabalho também", complementou.
O projeto 'Empoderar Mulheres para o mundo ficar Odara' já existe há um ano e meio e traz eu sem título uma famosa canção do cantor Caetano Veloso, que fala sobre liberdade e paz. Através desta iniciativa, as detentas confeccionam diversos tipo de materiais, no Odara Ateliê - um espaço onde funcionava anteriormente uma fábrica de costura que atendia às demandas internas.

Com o objetivo de fortalecer e estimular o trabalho, sobretudo em equipe, as mulheres detidas no Presídio Feminino (Prefem), gerido pela Secretaria de Justiça e do Direito ao Consumidor (Sejuc), localizado em Nossa Senhora do Socorro, realizam o Projeto  'Empoderar Mulheres para o mundo ficar Odara' voltado ao empoderamento de mulheres. 
Dentre os materiais feitos pelas mulheres do Prefem, se destaca o Kit Carnaval, que traz mensagens de conscientização e fortalecimento contra o assédio, sobretudo neste período de folia momesca. Os interessados podem adquirir, por exemplo, ecobags, lixeira para automóveis e porta-garrafa de água, por exemplo, com mensagens contra o assédio, além de bolsas, necessaires e produtos de tecido diversos feitos à mão.
Os produtos confeccionados pelas detentas estiveram disponíveis para comercialização durante esta semana, através do projeto Feirinha da Gambiarra, localizada no RioMar Shopping, em Aracaju (SE). No dia 17 de março, próxima data de edição da feirinha, os materiais voltarão à exposição.
Para a idealizadora pelo espaço, Isabele Ribeiro, o estímulo e valorização desses produtos, sobretudo confeccionados por mulheres detentas, é importante do ponto de vista social e de inclusão da mulher detenta à sociedade. 
"Desde o momento que o projeto chegou para mim, fiquei apaixonada, pois sempre quis trabalhar com materiais feitos a partir da ressocialização de detentas. Estamos apoiando e dando suporte à marca porque achamos muito importante que o projeto esteja inserido na sociedade, que as pessoas conheçam e comprem esses produtos", destacou Isabele.
A estudante Ana Flávia Gomides, de 21 anos, que visitava o estande, também ressaltou a iniciativa positiva do Prefem. "Acho não só importante, como necessário dar alternativas para mulheres em situação de prisão. Com isso, elas aprendem uma profissão e têm mais chances de ressocialização após a liberdade", destacou.
A artesã Riani Poderoso reforça a importância de profissionalizar e capacitar as detentas sergipanas, sobretudo através da arte. "Acho importante porque ter uma função dá sentido a vida, ainda mais dentro de um ambiente difícil como a prisão. Acredito que com o projeto elas se sentem mais úteis e, claro, tendo esses produtos expostos num local de muito acesso, como um shopping center, é permitir que a sociedade conheça esse trabalho também", complementou.
O projeto 'Empoderar Mulheres para o mundo ficar Odara' já existe há um ano e meio e traz eu sem título uma famosa canção do cantor Caetano Veloso, que fala sobre liberdade e paz. Através desta iniciativa, as detentas confeccionam diversos tipo de materiais, no Odara Ateliê - um espaço onde funcionava anteriormente uma fábrica de costura que atendia às demandas internas.