GOLDEN SHOWER

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/03/2019 às 07:00:00

 

* Lelê Teles
Bolsonaro, seus filhos e o seu guru das estranjas, não fizeram outra coisa até aqui do que urinar.
Eles estão demarcando território. 
Nos ministérios, o cheiro é insuportável; no Palácio do Itamaraty, aquele meteoro agora flutua sob um fétido espelho de urina.
O Palhaço do Itamaraty não para demarcar seu território, cada exoneração é uma mijada. 
O último a sair apague as luzes. 
Daqui a pouco só restará aquele trecho do Samba do Ernesto (fomo e num encontremo ninguém).
Até o bisonhíssimo Guaidó balançou o pequeno instrumento antes de abotoar as calças ao deixar o palácio.
A Lava-Jato da educação o que é senão uma mijada? 
Eles querem chegar nas universidades dizendo: aqui quem manda agora é nóis.
Pissssss. 
E olha que os cabras, já tinham levantado a perna e urinado nas escolas com a tentativa de implantar a ideologia do partido laranja: hino, farda de reco, perseguição de professores... 
Mas o vídeo escatológico divulgado pelo espantalho do Planalto, difamando a maior festa popular do país que ele preside, mostra que os desajustados estão mijando e andando para o país. 
Eles sequer compreendem o país no qual vivem, uma vez que odeiam seus artistas e sua cultura.
Por isso, não param de levantar a perna e urinar, por todos os cantos, sua agenda de ódio e perseguição, sua ideologia paranóica e castradora, sua oligofrenia vexosa.
Moralistas sem moral. 
Aquele tuíte do inominável foi uma tentaviva de mijar no carnaval. 
É como se slogassem: Deus acima de tudo e golden shower em cima de todos.
Mas, como mostraram os blocos e as escolas de samba, a cultura resiste! 
Alguém providencie um banheiro químico pra essa gente. 
Palavra da salvação.
* Lelê Teles, jornalista, publicitário e roteirista

* Lelê Teles

Bolsonaro, seus filhos e o seu guru das estranjas, não fizeram outra coisa até aqui do que urinar.
Eles estão demarcando território. 
Nos ministérios, o cheiro é insuportável; no Palácio do Itamaraty, aquele meteoro agora flutua sob um fétido espelho de urina.
O Palhaço do Itamaraty não para demarcar seu território, cada exoneração é uma mijada. 
O último a sair apague as luzes. 
Daqui a pouco só restará aquele trecho do Samba do Ernesto (fomo e num encontremo ninguém).
Até o bisonhíssimo Guaidó balançou o pequeno instrumento antes de abotoar as calças ao deixar o palácio.
A Lava-Jato da educação o que é senão uma mijada? 
Eles querem chegar nas universidades dizendo: aqui quem manda agora é nóis.
Pissssss. 
E olha que os cabras, já tinham levantado a perna e urinado nas escolas com a tentativa de implantar a ideologia do partido laranja: hino, farda de reco, perseguição de professores... 
Mas o vídeo escatológico divulgado pelo espantalho do Planalto, difamando a maior festa popular do país que ele preside, mostra que os desajustados estão mijando e andando para o país. 
Eles sequer compreendem o país no qual vivem, uma vez que odeiam seus artistas e sua cultura.
Por isso, não param de levantar a perna e urinar, por todos os cantos, sua agenda de ódio e perseguição, sua ideologia paranóica e castradora, sua oligofrenia vexosa.
Moralistas sem moral. 
Aquele tuíte do inominável foi uma tentaviva de mijar no carnaval. 
É como se slogassem: Deus acima de tudo e golden shower em cima de todos.
Mas, como mostraram os blocos e as escolas de samba, a cultura resiste! 
Alguém providencie um banheiro químico pra essa gente. 
Palavra da salvação.

* Lelê Teles, jornalista, publicitário e roteirista