Setor de Serviços apresenta saldo positivo de empregos em janeiro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/03/2019 às 07:26:00

 

Análise realizada pelo 
Boletim Sergipe 
Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo negativo de 1.757 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em janeiro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (6.682) e desligamentos (-8.439) no período.
Das oito atividades avaliadas pelo Boletim no mês analisado, duas apresentaram saldo de contratações maior que o de demissões. Os setores de Serviços e de Serviços Industriais de Utilidade Pública criaram 170 e 37 novas vagas de trabalho, respectivamente.  Os demais setores registraram saldos negativos.
Foi observado que na Indústria da Transformação houve redução de 880 postos de trabalho no geral, sendo que a fabricação de embalagens de vidro e a fabricação de estruturas metálicas apresentaram resultados positivos, totalizando 86 e 95 novas vagas, respectivamente, enquanto que a Fabricação de Álcool apresentou resultado negativo de -780 postos de trabalho. No Comércio o saldo de empregos também ficou negativo, com a retração de 615 postos de trabalho. Já a Agropecuária, houve redução de 264 empregos e a Construção Civil contabilizou saldo negativo de 184 postos de trabalho, entretanto, a construção de edifícios foi a atividade que mais contratou, contabilizando 107 vagas no total. A Extrativa Mineral totalizou (-15) postos de emprego. Por fim, seis vagas a menos foram registradas na Administração Pública.
Desempenho dos Municípios - Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes a cidade de Estância assinalou a maior criação de empregos em janeiro deste ano, com a abertura de 127 postos de trabalho.

Análise realizada pelo  Boletim Sergipe  Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo negativo de 1.757 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em janeiro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (6.682) e desligamentos (-8.439) no período.
Das oito atividades avaliadas pelo Boletim no mês analisado, duas apresentaram saldo de contratações maior que o de demissões. Os setores de Serviços e de Serviços Industriais de Utilidade Pública criaram 170 e 37 novas vagas de trabalho, respectivamente.  Os demais setores registraram saldos negativos.
Foi observado que na Indústria da Transformação houve redução de 880 postos de trabalho no geral, sendo que a fabricação de embalagens de vidro e a fabricação de estruturas metálicas apresentaram resultados positivos, totalizando 86 e 95 novas vagas, respectivamente, enquanto que a Fabricação de Álcool apresentou resultado negativo de -780 postos de trabalho. No Comércio o saldo de empregos também ficou negativo, com a retração de 615 postos de trabalho. Já a Agropecuária, houve redução de 264 empregos e a Construção Civil contabilizou saldo negativo de 184 postos de trabalho, entretanto, a construção de edifícios foi a atividade que mais contratou, contabilizando 107 vagas no total. A Extrativa Mineral totalizou (-15) postos de emprego. Por fim, seis vagas a menos foram registradas na Administração Pública.

Desempenho dos Municípios -
Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes a cidade de Estância assinalou a maior criação de empregos em janeiro deste ano, com a abertura de 127 postos de trabalho.