Setor de Serviços apresenta saldo positivo de empregos em janeiro

Geral

 

Análise realizada pelo 
Boletim Sergipe 
Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo negativo de 1.757 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em janeiro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (6.682) e desligamentos (-8.439) no período.
Das oito atividades avaliadas pelo Boletim no mês analisado, duas apresentaram saldo de contratações maior que o de demissões. Os setores de Serviços e de Serviços Industriais de Utilidade Pública criaram 170 e 37 novas vagas de trabalho, respectivamente.  Os demais setores registraram saldos negativos.
Foi observado que na Indústria da Transformação houve redução de 880 postos de trabalho no geral, sendo que a fabricação de embalagens de vidro e a fabricação de estruturas metálicas apresentaram resultados positivos, totalizando 86 e 95 novas vagas, respectivamente, enquanto que a Fabricação de Álcool apresentou resultado negativo de -780 postos de trabalho. No Comércio o saldo de empregos também ficou negativo, com a retração de 615 postos de trabalho. Já a Agropecuária, houve redução de 264 empregos e a Construção Civil contabilizou saldo negativo de 184 postos de trabalho, entretanto, a construção de edifícios foi a atividade que mais contratou, contabilizando 107 vagas no total. A Extrativa Mineral totalizou (-15) postos de emprego. Por fim, seis vagas a menos foram registradas na Administração Pública.
Desempenho dos Municípios - Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes a cidade de Estância assinalou a maior criação de empregos em janeiro deste ano, com a abertura de 127 postos de trabalho.

Análise realizada pelo  Boletim Sergipe  Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo negativo de 1.757 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em janeiro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (6.682) e desligamentos (-8.439) no período.
Das oito atividades avaliadas pelo Boletim no mês analisado, duas apresentaram saldo de contratações maior que o de demissões. Os setores de Serviços e de Serviços Industriais de Utilidade Pública criaram 170 e 37 novas vagas de trabalho, respectivamente.  Os demais setores registraram saldos negativos.
Foi observado que na Indústria da Transformação houve redução de 880 postos de trabalho no geral, sendo que a fabricação de embalagens de vidro e a fabricação de estruturas metálicas apresentaram resultados positivos, totalizando 86 e 95 novas vagas, respectivamente, enquanto que a Fabricação de Álcool apresentou resultado negativo de -780 postos de trabalho. No Comércio o saldo de empregos também ficou negativo, com a retração de 615 postos de trabalho. Já a Agropecuária, houve redução de 264 empregos e a Construção Civil contabilizou saldo negativo de 184 postos de trabalho, entretanto, a construção de edifícios foi a atividade que mais contratou, contabilizando 107 vagas no total. A Extrativa Mineral totalizou (-15) postos de emprego. Por fim, seis vagas a menos foram registradas na Administração Pública.

Desempenho dos Municípios -
Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes a cidade de Estância assinalou a maior criação de empregos em janeiro deste ano, com a abertura de 127 postos de trabalho.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS