Advogado é morto a tiros em Aquidabã: polícia suspeita de assalto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Jarbas Feitosa de Carvalho Júnior tinha 33 anos
Jarbas Feitosa de Carvalho Júnior tinha 33 anos

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 12/03/2019 às 06:24:00

 

O advogado Jarbas Feitosa de Carvalho Júnior, 33 anos, foi assassinado por volta do meio-dia de ontem na estrada de acesso ao povoado Papel, em Aquidabã (Baixo São Francisco). Segundo as primeiras informações da polícia, ele estava em uma fazenda da região e foi abordado por dois homens em uma moto, que anunciaram o assalto e acertaram dois tiros na vítima, sendo um no rosto e outro em uma das axilas. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu enquanto era levado ao hospital da cidade. Os criminosos fugiram.
Segundo informações do delegado Marcos Garcia, responsável pela delegacia local, Jarbas tinha ido de moto à fazenda com um amigo, para negociar a compra de um cavalo para criar em sua fazenda. Enquanto concluía o negócio e aguardava um empregado amarrar os outros animais, o advogado foi surpreendido pelos bandidos e não esboçou nenhuma reação, tendo inclusive obedecido a ordem para lhes entregar o celular e um pacote com cerca de R$ 5 mil em dinheiro, que seriam usados na compra. 
Garcia disse ontem que todas as hipóteses estão sendo consideradas na investigação do crime, mas que a mais forte delas aponta que os criminosos podem ter sido orientados por alguém que tinha conhecimento da presença do advogado com o dinheiro naquela região. Segundo o delegado, a apuração da polícia "já tem alguns rumos a serem tomados". Casado e pai de três filhos, incluindo um bebê de seis meses, Jarbas Júnior era representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Aquidabã, onde morava e trabalhava como assessor jurídico da Prefeitura. O corpo foi liberado ontem à noite pelo Instituto Médico-Legal (IML) e será enterrado hoje no cemitério da cidade. 
Em nota, a OAB Sergipe lamentou o crime e cobrou das autoridades uma investigação rápida do caso. "Jarbas Feitoza de Carvalho Filho era um jovem advogado, muito querido pelos seus pares. Com carreira promissora, o causídico já se dedicava aos assuntos institucionais, exercendo o cargo de representante local da OAB/SE no município de Aquidabã. (...) De logo, a OAB/SE anuncia que acompanhará de perto as investigações para rigorosa apuração da morte violenta do jovem advogado, exigindo das autoridades competentes a tomada das providências cabíveis para elucidação do fato e punição exemplar dos culpados, nos termos da lei vigente", afirma a nota. 

O advogado Jarbas Feitosa de Carvalho Júnior, 33 anos, foi assassinado por volta do meio-dia de ontem na estrada de acesso ao povoado Papel, em Aquidabã (Baixo São Francisco). Segundo as primeiras informações da polícia, ele estava em uma fazenda da região e foi abordado por dois homens em uma moto, que anunciaram o assalto e acertaram dois tiros na vítima, sendo um no rosto e outro em uma das axilas. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu enquanto era levado ao hospital da cidade. Os criminosos fugiram.
Segundo informações do delegado Marcos Garcia, responsável pela delegacia local, Jarbas tinha ido de moto à fazenda com um amigo, para negociar a compra de um cavalo para criar em sua fazenda. Enquanto concluía o negócio e aguardava um empregado amarrar os outros animais, o advogado foi surpreendido pelos bandidos e não esboçou nenhuma reação, tendo inclusive obedecido a ordem para lhes entregar o celular e um pacote com cerca de R$ 5 mil em dinheiro, que seriam usados na compra. 
Garcia disse ontem que todas as hipóteses estão sendo consideradas na investigação do crime, mas que a mais forte delas aponta que os criminosos podem ter sido orientados por alguém que tinha conhecimento da presença do advogado com o dinheiro naquela região. Segundo o delegado, a apuração da polícia "já tem alguns rumos a serem tomados". Casado e pai de três filhos, incluindo um bebê de seis meses, Jarbas Júnior era representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Aquidabã, onde morava e trabalhava como assessor jurídico da Prefeitura. O corpo foi liberado ontem à noite pelo Instituto Médico-Legal (IML) e será enterrado hoje no cemitério da cidade. 
Em nota, a OAB Sergipe lamentou o crime e cobrou das autoridades uma investigação rápida do caso. "Jarbas Feitoza de Carvalho Filho era um jovem advogado, muito querido pelos seus pares. Com carreira promissora, o causídico já se dedicava aos assuntos institucionais, exercendo o cargo de representante local da OAB/SE no município de Aquidabã. (...) De logo, a OAB/SE anuncia que acompanhará de perto as investigações para rigorosa apuração da morte violenta do jovem advogado, exigindo das autoridades competentes a tomada das providências cabíveis para elucidação do fato e punição exemplar dos culpados, nos termos da lei vigente", afirma a nota.