Convênio ampliará tratamento preventivo de câncer

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
SEM ESTRUTURA E COM EQUIPAMENTOS AMONTOADOS, HOSPITAL DE CIRURGIA DEIXARÁ DE ATENDER PACIENTES COM CÂNCER. TRATAMENTO SERÁ CONCENTRADO NO HUSE
SEM ESTRUTURA E COM EQUIPAMENTOS AMONTOADOS, HOSPITAL DE CIRURGIA DEIXARÁ DE ATENDER PACIENTES COM CÂNCER. TRATAMENTO SERÁ CONCENTRADO NO HUSE

Aspecto da assinatura do convênio no Palácio de Despachos
Aspecto da assinatura do convênio no Palácio de Despachos

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/03/2019 às 06:38:00

 

A partir de agora, Sergi-
pe faz parte do Progra-
ma de Rastreamento do Câncer de Colo de Útero e Mama, promovido pela Fundação Pio XII/Hospital de Câncer de Barretos. A assinatura do convênio entre o presidente da instituição, Henrique Prata, e o governador Belivaldo Chagas, ocorreu na tarde desta terça-feira (12) no Palácio de Despachos. O objetivo do programa é detectar precocemente esses tipos de câncer para encaminhamento de tratamento com reais condições de cura dos pacientes.
O governador Belivaldo Chagas afirmou que o governo está imbuído de investir na prevenção para poder tratar precocemente os casos de câncer que venham a ser identificados. "Os investimentos são de R$ 166 mil por mês, oferecendo às mulheres de 19 municípios sergipanos facilidades na realização de exames que identificarão precocemente casos de câncer de mama e colo de útero", acentuou.
A capacidade instalada do programa é de realizar 57 mamografias/dias e 70 exames Papanicolau/dia. O projeto terá início em julho deste ano e encerra-se em dezembro de 2023. Os procedimentos serão realizados em carretas adaptadas. Os exames serão executados por profissionais especializados que utilizarão equipamentos modernos. Haverá uma unidade fixa, instalada em Lagarto, e duas móveis que atenderão a região Centro-Sul e Agreste.
O governador agradeceu a Henrique Prata o apoio e a consultoria que está oferecendo ao Estado de Sergipe. "Nos últimos dois dias, visitamos as unidades de saúde da capital. Foram dois dias produtivos e de aprendizado. Vamos, a partir de agora, dispor da orientação da equipe do Hospital de Câncer de Barretos e, boa vontade para empregar os ensinamentos não vai faltar", destacou, ao dizer que as unidades móveis e a fixa do programa, vão ampliar o atendimento aos pacientes.
Belivaldo Chagas disse que está disposto a corrigir os erros identificados nas unidades da área da saúde do estado, com o intuito de colher resultados positivos. Ele também informou da mudança do projeto do Hospital do Câncer, a ser construído pelo Estado. Segundo o governador, o projeto pensado há seis anos não atende a atual demanda. O novo projeto, que será elaborado com a consultoria do Hospital de Barretos, ocupará 17 mil metros quadrados, e não mais os 20 mil metros quadrados de construção prevista.
Disse ainda que vai trabalhar para concentrar o atendimento ao paciente com câncer no Hospital de Urgência (Huse), desativando o atendimento do Hospital Cirurgia, por não dispor de infraestrutura adequada para atender as necessidades de um tratamento oncológico. Entretanto, Belivaldo garantiu que o Estado continuará ajudando o Cirurgia no que for possível, e espera que a Instituição melhore as suas instalações para continuar atendendo aos pacientes cardíacos.
O presidente da Fundação Pio XII e do Hospital de Câncer de Barretos, Henrique Prata, afirmou que a expansão do programa de prevenção do câncer é fundamental para a cura da doença. Segundo ele, identificando precocemente a doença, é possível garantir 95% de cura. "Os investimentos em prevenção se tornam mais baratos do que tratar do câncer. Estaremos salvando vidas com um custo muito menor", destacou.

A partir de agora, Sergi- pe faz parte do Progra- ma de Rastreamento do Câncer de Colo de Útero e Mama, promovido pela Fundação Pio XII/Hospital de Câncer de Barretos. A assinatura do convênio entre o presidente da instituição, Henrique Prata, e o governador Belivaldo Chagas, ocorreu na tarde desta terça-feira (12) no Palácio de Despachos. O objetivo do programa é detectar precocemente esses tipos de câncer para encaminhamento de tratamento com reais condições de cura dos pacientes.
O governador Belivaldo Chagas afirmou que o governo está imbuído de investir na prevenção para poder tratar precocemente os casos de câncer que venham a ser identificados. "Os investimentos são de R$ 166 mil por mês, oferecendo às mulheres de 19 municípios sergipanos facilidades na realização de exames que identificarão precocemente casos de câncer de mama e colo de útero", acentuou.
A capacidade instalada do programa é de realizar 57 mamografias/dias e 70 exames Papanicolau/dia. O projeto terá início em julho deste ano e encerra-se em dezembro de 2023. Os procedimentos serão realizados em carretas adaptadas. Os exames serão executados por profissionais especializados que utilizarão equipamentos modernos. Haverá uma unidade fixa, instalada em Lagarto, e duas móveis que atenderão a região Centro-Sul e Agreste.
O governador agradeceu a Henrique Prata o apoio e a consultoria que está oferecendo ao Estado de Sergipe. "Nos últimos dois dias, visitamos as unidades de saúde da capital. Foram dois dias produtivos e de aprendizado. Vamos, a partir de agora, dispor da orientação da equipe do Hospital de Câncer de Barretos e, boa vontade para empregar os ensinamentos não vai faltar", destacou, ao dizer que as unidades móveis e a fixa do programa, vão ampliar o atendimento aos pacientes.
Belivaldo Chagas disse que está disposto a corrigir os erros identificados nas unidades da área da saúde do estado, com o intuito de colher resultados positivos. Ele também informou da mudança do projeto do Hospital do Câncer, a ser construído pelo Estado. Segundo o governador, o projeto pensado há seis anos não atende a atual demanda. O novo projeto, que será elaborado com a consultoria do Hospital de Barretos, ocupará 17 mil metros quadrados, e não mais os 20 mil metros quadrados de construção prevista.
Disse ainda que vai trabalhar para concentrar o atendimento ao paciente com câncer no Hospital de Urgência (Huse), desativando o atendimento do Hospital Cirurgia, por não dispor de infraestrutura adequada para atender as necessidades de um tratamento oncológico. Entretanto, Belivaldo garantiu que o Estado continuará ajudando o Cirurgia no que for possível, e espera que a Instituição melhore as suas instalações para continuar atendendo aos pacientes cardíacos.
O presidente da Fundação Pio XII e do Hospital de Câncer de Barretos, Henrique Prata, afirmou que a expansão do programa de prevenção do câncer é fundamental para a cura da doença. Segundo ele, identificando precocemente a doença, é possível garantir 95% de cura. "Os investimentos em prevenção se tornam mais baratos do que tratar do câncer. Estaremos salvando vidas com um custo muito menor", destacou.