Valmir reassume em Itabaiana e promete obedecer MP

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/03/2019 às 06:20:00

 

Gabriel Damásio
O prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, reassumiu o cargo ontem à tarde, por volta das 12h. Ele chegou de carro à cidade serrana, vindo da capital, e foi recebido com festa pelos seus apoiadores e por aliados políticos, que se concentraram na porta da Câmara Municipal, no Centro do município. Um pouco mais cedo, a mesa diretora da Câmara foi notificada da decisão tomada anteontem pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), que autorizou o retorno de Valmir ao cargo - e a consequente saída da vice-prefeita Carminha Mendonça, que ocupava o cargo como interina desde o final de novembro. 
Na chegada, comemorada pelos aliados, Valmir agradeceu a Deus por voltar ao cargo e disse que a recepção foi um reconhecimento pelo que ele avalia como boa gestão desempenhada no município e por ter sido eleito vereador no passado com boas votações. "Eu fui vereador desde os 18 anos e sempre fui o mais votado. Estamos felizes, voltando para retomar o nosso trabalho", disse ele, ladeado dos deputados estaduais Gilmar Carvalho (PSC) e Talysson de Valmir (PR), seu filho. 
Ao ser perguntado pela reabertura do Matadouro Municipal de Itabaiana, cujas irregularidades na administração foram o principal motivo de sua prisão e afastamento do cargo, o prefeito garantiu que vai "obedecer em 100%" as decisões judiciais. "A gente não vai fazer nada sem a autorização do Ministério Público e do Judiciário. Acho que os poderes devem se entender e ver o que é melhor pra população", disse ele, que justificou ainda a decisão de manter o matadouro aberto mesmo com as orientações contrárias do próprio MP e de técnicos da área sanitária. "Nós sabíamos desses ricos, mas é porque uma prática secular, que vem há mais de 100 anos em Itabaiana. Todo mundo sabe a realidade [de quem vive dos matadouros]. A gente pensou nas camadas pobres, pois sabemos a dor do que é procurar o pão de cada dia e não ter. Por isso decidi manter o matadouro aberto", afirmou Valmir.
O prefeito de Itabaiana confirmou ainda que vai renomear alguns dos secretários que trabalharam na sua equipe de governo e acabaram afastados pela vice Carminha Mendonça, qualificando que todos eles foram honestos e desempenharam um bom trabalho à frente da administração municipal. No entanto, ele não citou o nome do seu ex-secretário de Agricultura Erotildes José de Jesus, que era responsável pela gestão do Matadouro e foi preso junto com Valmir na 'Operação Abate Final', do MPSE e da Polícia Civil. A investigação do suposto esquema de desvio das verbas arrecadadas com o abate de animais resultou na abertura de um processo criminal contra os gestores, pelos crimes de cobrança abusiva de tributos e associação criminosa. O TJSE considerou que as investigações já terminaram, o que não justificaria mais a manutenção das medidas cautelares. 

Gabriel Damásio

O prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, reassumiu o cargo ontem à tarde, por volta das 12h. Ele chegou de carro à cidade serrana, vindo da capital, e foi recebido com festa pelos seus apoiadores e por aliados políticos, que se concentraram na porta da Câmara Municipal, no Centro do município. Um pouco mais cedo, a mesa diretora da Câmara foi notificada da decisão tomada anteontem pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), que autorizou o retorno de Valmir ao cargo - e a consequente saída da vice-prefeita Carminha Mendonça, que ocupava o cargo como interina desde o final de novembro. 
Na chegada, comemorada pelos aliados, Valmir agradeceu a Deus por voltar ao cargo e disse que a recepção foi um reconhecimento pelo que ele avalia como boa gestão desempenhada no município e por ter sido eleito vereador no passado com boas votações. "Eu fui vereador desde os 18 anos e sempre fui o mais votado. Estamos felizes, voltando para retomar o nosso trabalho", disse ele, ladeado dos deputados estaduais Gilmar Carvalho (PSC) e Talysson de Valmir (PR), seu filho. 
Ao ser perguntado pela reabertura do Matadouro Municipal de Itabaiana, cujas irregularidades na administração foram o principal motivo de sua prisão e afastamento do cargo, o prefeito garantiu que vai "obedecer em 100%" as decisões judiciais. "A gente não vai fazer nada sem a autorização do Ministério Público e do Judiciário. Acho que os poderes devem se entender e ver o que é melhor pra população", disse ele, que justificou ainda a decisão de manter o matadouro aberto mesmo com as orientações contrárias do próprio MP e de técnicos da área sanitária. "Nós sabíamos desses ricos, mas é porque uma prática secular, que vem há mais de 100 anos em Itabaiana. Todo mundo sabe a realidade [de quem vive dos matadouros]. A gente pensou nas camadas pobres, pois sabemos a dor do que é procurar o pão de cada dia e não ter. Por isso decidi manter o matadouro aberto", afirmou Valmir.
O prefeito de Itabaiana confirmou ainda que vai renomear alguns dos secretários que trabalharam na sua equipe de governo e acabaram afastados pela vice Carminha Mendonça, qualificando que todos eles foram honestos e desempenharam um bom trabalho à frente da administração municipal. No entanto, ele não citou o nome do seu ex-secretário de Agricultura Erotildes José de Jesus, que era responsável pela gestão do Matadouro e foi preso junto com Valmir na 'Operação Abate Final', do MPSE e da Polícia Civil. A investigação do suposto esquema de desvio das verbas arrecadadas com o abate de animais resultou na abertura de um processo criminal contra os gestores, pelos crimes de cobrança abusiva de tributos e associação criminosa. O TJSE considerou que as investigações já terminaram, o que não justificaria mais a manutenção das medidas cautelares.