Gualberto: "Rodrigo Valadares já começou como um ancião na política"

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 20/03/2019 às 09:37:00

 

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã dessa terça-feira (19), para rebater os discursos feitos pelos também deputados Rodrigo Valadares (PTB) e Samuel Carvalho (PPS), no dia anterior, ainda sobre a polêmica com o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), que, segundo os membros da oposição teria desrespeitado o segmento evangélico pela não realização do show gospel durante as comemorações do aniversário da capital.
Na oportunidade Gualberto havia dito que "eu quero lembrar a vossa excelência que o Estado é laico". Em resposta, Rodrigo voltou à tribuna e o acusou de "dar as costas ao segmento evangélico" e de defender o prefeito que representa "o que há de mais atrasado, arcaico e o que há de ruim na política".
Gualberto explicou que, mesmo constando no calendário de eventos, o Estado e o município não são obrigados. "O Estado é laico! Ele pode ajudar no evento de várias denominações, mas não direcionei o discurso para denominação religiosa 'a' ou 'b'. Como eu não falo para intelectuais, mas para o povo me entender. Fui acusado pelo deputado Rodrigo que eu representava o atraso, pelos políticos que eu apoio, e ele a política nova".
"Rodrigo Valadares já começou como um ancião na política! Vossa excelência foi desleal, desonesto comigo. E espalhou a matéria na rede internacional de fofoqueiros. Essa prática política de nova não tem nada! É da era da pedra lascada!", disse, Gualberto, acrescentando que "o Estado e a Igreja atuaram juntos no mundo até a Idade Média. Daí surgiu as constituições como a nossa que abraçam o catolicismo, os evangélicos, os ateus, espíritas e qualquer outra denominação de fé", completou o deputado petista.
Gualberto disse que Rodrigo precisava compreender o que é projeto político e defende-lo com concepção. "Pare de se apresentar como novo tentando desmoralizar a história dessa Casa! Nós, os mais antigos, não somos os donos disso, somos parte! Igual aos que passaram por aqui! Pela prepotência apresentada acredito que o DNA veio da lua! Já deve ter ouvido falar em nuvem passageira. As conjunturas mudam e alguns fenômenos são nuvens passageiras", disse, associando ao presidente norte-americano, ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e a renovação política apresentada em Sergipe.

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã dessa terça-feira (19), para rebater os discursos feitos pelos também deputados Rodrigo Valadares (PTB) e Samuel Carvalho (PPS), no dia anterior, ainda sobre a polêmica com o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), que, segundo os membros da oposição teria desrespeitado o segmento evangélico pela não realização do show gospel durante as comemorações do aniversário da capital.
Na oportunidade Gualberto havia dito que "eu quero lembrar a vossa excelência que o Estado é laico". Em resposta, Rodrigo voltou à tribuna e o acusou de "dar as costas ao segmento evangélico" e de defender o prefeito que representa "o que há de mais atrasado, arcaico e o que há de ruim na política".
Gualberto explicou que, mesmo constando no calendário de eventos, o Estado e o município não são obrigados. "O Estado é laico! Ele pode ajudar no evento de várias denominações, mas não direcionei o discurso para denominação religiosa 'a' ou 'b'. Como eu não falo para intelectuais, mas para o povo me entender. Fui acusado pelo deputado Rodrigo que eu representava o atraso, pelos políticos que eu apoio, e ele a política nova".
"Rodrigo Valadares já começou como um ancião na política! Vossa excelência foi desleal, desonesto comigo. E espalhou a matéria na rede internacional de fofoqueiros. Essa prática política de nova não tem nada! É da era da pedra lascada!", disse, Gualberto, acrescentando que "o Estado e a Igreja atuaram juntos no mundo até a Idade Média. Daí surgiu as constituições como a nossa que abraçam o catolicismo, os evangélicos, os ateus, espíritas e qualquer outra denominação de fé", completou o deputado petista.
Gualberto disse que Rodrigo precisava compreender o que é projeto político e defende-lo com concepção. "Pare de se apresentar como novo tentando desmoralizar a história dessa Casa! Nós, os mais antigos, não somos os donos disso, somos parte! Igual aos que passaram por aqui! Pela prepotência apresentada acredito que o DNA veio da lua! Já deve ter ouvido falar em nuvem passageira. As conjunturas mudam e alguns fenômenos são nuvens passageiras", disse, associando ao presidente norte-americano, ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) e a renovação política apresentada em Sergipe.