Bolsonaro diz que vai conversar com Vélez sobre os rumos da educação

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/03/2019 às 07:08:00

 

Andreia Verdélio
Agência Brasil  
O presidente Jair Bolsonaro disse ontem(28) que vai conversar com o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, sobre o futuro da pasta. Segundo ele, Vélez "não tem tato político". Em três meses de governo, várias mudanças já ocorreram no Ministério da Educação (MEC), com exonerações de cargos de confiança.
"Tem problema sim, ele [Vélez] é novo no assunto, não tem o tato político, vou conversar com ele e tomar as decisões que tiver que tomar", disse Bolsonaro. "É educação, tem que dar certo no Brasil, é o mais importante", afirmou.
O presidente conversou com a imprensa após cerimônia no Clube do Exército, em Brasília. Bolsonaro não mencionou se Vélez permanecerá no cargo.
"Não vou ameaçar nenhum ministro publicamente. Vamos conversar e se tiver alguma coisa que não esteja dentro da normalidade, a gente acerta", disse. "Falo com todos os ministros. Um ministério que teve ruído no passado, sempre a gente busca conciliar e acertar e estamos continuando nessa linha", disse.

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem(28) que vai conversar com o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, sobre o futuro da pasta. Segundo ele, Vélez "não tem tato político". Em três meses de governo, várias mudanças já ocorreram no Ministério da Educação (MEC), com exonerações de cargos de confiança.
"Tem problema sim, ele [Vélez] é novo no assunto, não tem o tato político, vou conversar com ele e tomar as decisões que tiver que tomar", disse Bolsonaro. "É educação, tem que dar certo no Brasil, é o mais importante", afirmou.
O presidente conversou com a imprensa após cerimônia no Clube do Exército, em Brasília. Bolsonaro não mencionou se Vélez permanecerá no cargo.
"Não vou ameaçar nenhum ministro publicamente. Vamos conversar e se tiver alguma coisa que não esteja dentro da normalidade, a gente acerta", disse. "Falo com todos os ministros. Um ministério que teve ruído no passado, sempre a gente busca conciliar e acertar e estamos continuando nessa linha", disse.