STJ decide soltar genro de Valmir Monteiro

Cidades

 

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu ontem libertar o genro do prefeito de Lagarto (Centro-Sul), Valmir Monteiro (PSC). Igor Ribeiro Aragão estava preso desde 22 de fevereiro e é um dos investigados da 'Operação Leak', do Ministério Público Estadual (MPSE), que investiga irregularidades e denúncias de lavagem de dinheiro na administração do matadouro municipal. Em julgamento realizado na tarde de ontem, o ministro Rogério Schietti Cruz, da 6ª Turma do STJ, acolheu os embargos de declaração impetrados pelo advogado de defesa Guilherme Maluf. 
Os detalhes da liminar só devem ser conhecidos na próxima segunda-feira, quando o teor da decisão deve ser publicado no Diário da Justiça. Já o alvará de soltura deverá ser expedido e cumprido hoje. Valmir Monteiro, por sua parte, continua afastado do cargo e preso no Presídio Militar, pois já teve dois pedidos de liberdade negados pelo ministro Schietti. A previsão do advogado de Valmir, Evânio Moura, é de que a defesa aguarde o julgamento de um agravo de instrumento impetrado no Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE). 

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu ontem libertar o genro do prefeito de Lagarto (Centro-Sul), Valmir Monteiro (PSC). Igor Ribeiro Aragão estava preso desde 22 de fevereiro e é um dos investigados da 'Operação Leak', do Ministério Público Estadual (MPSE), que investiga irregularidades e denúncias de lavagem de dinheiro na administração do matadouro municipal. Em julgamento realizado na tarde de ontem, o ministro Rogério Schietti Cruz, da 6ª Turma do STJ, acolheu os embargos de declaração impetrados pelo advogado de defesa Guilherme Maluf. 
Os detalhes da liminar só devem ser conhecidos na próxima segunda-feira, quando o teor da decisão deve ser publicado no Diário da Justiça. Já o alvará de soltura deverá ser expedido e cumprido hoje. Valmir Monteiro, por sua parte, continua afastado do cargo e preso no Presídio Militar, pois já teve dois pedidos de liberdade negados pelo ministro Schietti. A previsão do advogado de Valmir, Evânio Moura, é de que a defesa aguarde o julgamento de um agravo de instrumento impetrado no Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE). 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS