Setor de Serviços apresenta saldo positivo de empregos em fevereiro

Cidades

 

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo negativo de 2.162 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em fevereiro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (7.267) e desligamentos (-9.429) no período.
Das oito atividades avaliadas pelo Boletim no mês analisado, quatro apresentaram saldo de contratações maior que o de demissões. Os setores de Serviços e Comércio criaram 709 e 188 novas vagas de trabalho, respectivamente. Em seguida os Serviços Industriais de Utilidade Pública e o setor da Construção Civil geraram 33 e 17 postos de emprego, nesta ordem.
Os demais setores registraram saldos negativos. Foi observado que na Agropecuária houve redução de 1.658 postos de trabalho. Na Indústria de Transformação o saldo de empregos também ficou negativo, com o fechamento de 1.422 postos de trabalho. Já a Extrativa Mineral, registrou redução de 21 empregos e a Administração Pública contabilizou saldo negativo de 8 postos de trabalho.
Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes, cujos dados são disponibilizados para análise, a cidade de Aracaju assinalou a maior criação de empregos em fevereiro deste ano, com a abertura de 574 postos de trabalho.

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo negativo de 2.162 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em fevereiro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (7.267) e desligamentos (-9.429) no período.
Das oito atividades avaliadas pelo Boletim no mês analisado, quatro apresentaram saldo de contratações maior que o de demissões. Os setores de Serviços e Comércio criaram 709 e 188 novas vagas de trabalho, respectivamente. Em seguida os Serviços Industriais de Utilidade Pública e o setor da Construção Civil geraram 33 e 17 postos de emprego, nesta ordem.
Os demais setores registraram saldos negativos. Foi observado que na Agropecuária houve redução de 1.658 postos de trabalho. Na Indústria de Transformação o saldo de empregos também ficou negativo, com o fechamento de 1.422 postos de trabalho. Já a Extrativa Mineral, registrou redução de 21 empregos e a Administração Pública contabilizou saldo negativo de 8 postos de trabalho.
Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes, cujos dados são disponibilizados para análise, a cidade de Aracaju assinalou a maior criação de empregos em fevereiro deste ano, com a abertura de 574 postos de trabalho.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS