Governo alinha ações para a agricultura sergipana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/04/2019 às 07:09:00

 

Após a visita da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, um novo alinhamento foi possível entre o governo do Estado e o governo Federal. A convite do secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, o secretário adjunto da Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento -
 MAPA, Ewerton Giovanni, esteve em Sergipe, e trouxe informações sobre planos do governo Federal para o Nordeste, e ações específicas que podem beneficiar o estado. Entre elas, está um programa que envolve os jovens do campo e atividades em residências agrícolas, que o governo Federal deve lançar ainda este mês. 
Segundo o secretário Ewerton Giovanni, o programa será destinado a jovens recém-formados nas ciências agrárias. Eles concorrerão a uma bolsa, a ser concedida pelo MAPA por tempo determinado, para que possam fazer uma troca de experiências com áreas já consolidadas das cadeias produtivas. "Faremos um alinhamento com a UFS e o Senar [Serviço Nacional de Aprendizagem Rural] para levantar possíveis parceiros para receber esses jovens. A ideia do MAPA é que eles saiam da residência agrícola com maior capacidade de prestar assessoria técnica; ao mesmo tempo em que os conhecimentos por eles adquiridos na academia sejam utilizados para fortalecer as cadeias produtivas em Sergipe", explicou o secretário da Agricultura, André Bomfim.  
A Seagri também irá buscar parcerias para fazer um estudo, visando à elaboração de um Plano de Desenvolvimento para o Alto Sertão. "O MAPA selecionou oito áreas do país como prioridade e, entre elas, está o Alto Sertão sergipano. Iremos, portanto, fazer um levantamento de todas as cadeias produtivas, especificando necessidades e principais entraves, para subsidiar o Ministério da Agricultura no direcionamento de ações para atender demandas da região", disse o gestor. 
Ainda segundo informado pelo secretário adjunto da Agricultura Familiar, o Ministério possui uma meta ligada à Bioeconomia, que é uma economia sustentável, preocupada com o consumo consciente em equilíbrio com o meio ambiente, e focada na utilização de recursos de base biológica, recicláveis e renováveis. Um mercado que se preocupa com o desenvolvimento de soluções para a saúde humana, a segurança hídrica, energética e alimentar, químicos renováveis, aumento da produtividade agropecuária e energética.
Dentro dessa perspectiva, o MAPA irá desenvolver programas voltados para o fortalecimento das iniciativas que têm por base culturas típicas de cada região. "Considerando a proposta, vislumbramos que nela se encaixa o trabalho das Catadoras de Mangaba, com os usos potenciais do fruto e os seus subprodutos. Vamos fazer uma apresentação e levá-las a Brasília, para acessar essa ação do MAPA", afirmou o secretário de Estado da Agricultura André Bomfim.

Após a visita da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, um novo alinhamento foi possível entre o governo do Estado e o governo Federal. A convite do secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, o secretário adjunto da Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA, Ewerton Giovanni, esteve em Sergipe, e trouxe informações sobre planos do governo Federal para o Nordeste, e ações específicas que podem beneficiar o estado. Entre elas, está um programa que envolve os jovens do campo e atividades em residências agrícolas, que o governo Federal deve lançar ainda este mês. 
Segundo o secretário Ewerton Giovanni, o programa será destinado a jovens recém-formados nas ciências agrárias. Eles concorrerão a uma bolsa, a ser concedida pelo MAPA por tempo determinado, para que possam fazer uma troca de experiências com áreas já consolidadas das cadeias produtivas. "Faremos um alinhamento com a UFS e o Senar [Serviço Nacional de Aprendizagem Rural] para levantar possíveis parceiros para receber esses jovens. A ideia do MAPA é que eles saiam da residência agrícola com maior capacidade de prestar assessoria técnica; ao mesmo tempo em que os conhecimentos por eles adquiridos na academia sejam utilizados para fortalecer as cadeias produtivas em Sergipe", explicou o secretário da Agricultura, André Bomfim.  
A Seagri também irá buscar parcerias para fazer um estudo, visando à elaboração de um Plano de Desenvolvimento para o Alto Sertão. "O MAPA selecionou oito áreas do país como prioridade e, entre elas, está o Alto Sertão sergipano. Iremos, portanto, fazer um levantamento de todas as cadeias produtivas, especificando necessidades e principais entraves, para subsidiar o Ministério da Agricultura no direcionamento de ações para atender demandas da região", disse o gestor. 
Ainda segundo informado pelo secretário adjunto da Agricultura Familiar, o Ministério possui uma meta ligada à Bioeconomia, que é uma economia sustentável, preocupada com o consumo consciente em equilíbrio com o meio ambiente, e focada na utilização de recursos de base biológica, recicláveis e renováveis. Um mercado que se preocupa com o desenvolvimento de soluções para a saúde humana, a segurança hídrica, energética e alimentar, químicos renováveis, aumento da produtividade agropecuária e energética.
Dentro dessa perspectiva, o MAPA irá desenvolver programas voltados para o fortalecimento das iniciativas que têm por base culturas típicas de cada região. "Considerando a proposta, vislumbramos que nela se encaixa o trabalho das Catadoras de Mangaba, com os usos potenciais do fruto e os seus subprodutos. Vamos fazer uma apresentação e levá-las a Brasília, para acessar essa ação do MAPA", afirmou o secretário de Estado da Agricultura André Bomfim.