Sergipe realiza ato Lula Livre e instala Comitê Estadual

Política


  • O deputado federal João Daniel discursa durante o ato em defesa da liberdade do ex-presidente Lula

 

No mapa da resistência 
à prisão de Luiz Inácio 
Lula da Silva, Sergipe instalou neste domingo (7), exatamente quando completou um ano da prisão do ex-presidente, o Comitê Estadual Lula Livre. Militantes e filiados do Partido dos Trabalhadores lotaram a sede estadual, onde foi realizado um ato político e cultural que congregou também outros partidos de esquerda - como o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) -, movimentos sociais, populares e sindical.
O presidente estadual do PT, o deputado federal João Daniel, ressaltou que este um ano da prisão política de Lula marca a resistência e a denúncia que não só o partido e toda militância tem feito da perseguição que o ex-presidente tem sido vítima, mas é também o momento em que se inicia a Jornada Lula Livre em todo Brasil e fora do país para ecoar essa denúncia. "Hoje no Brasil e no mundo se inicia essa jornada na defesa da democracia e na defesa da libertação imediata do presidente Lula. Queremos que a justiça seja justa. Não podemos aceitar um ano de prisão política. Um golpe foi dado no Brasil para retirar a presidenta Dilma e impedir Lula de disputar a eleição, e se elege um candidato que mantém essa prisão injusta e ilegal", declarou.
João Daniel acrescentou que a instalação do Comitê Estadual Lula Livre é o primeiro passo para organizar a militância em todo estado, não só do PT, mas todas as forças progressistas e democráticas para que um grande movimento ganhe corpo na defesa dessa libertação. "Estamos trabalhando para instalar em todas as cidades Comitês locais. Não podemos nos calar diante dessa prisão. Precisamos urgentemente da libertação do presidente Lula. Todos os brasileiros e brasileiras que têm respeito a nossa democracia não podem aceitar essa situação. Lula é o maior líder histórico desse país nos últimos 100 anos e por isso é necessária a sua libertação neste momento", acrescentou.
Luta por justiça - O ato teve a presença também da vice-governadora Eliane Aquino, o deputado estadual Iran Barbosa, ex-deputada estadual Ana Lúcia, a diretora presidente da Fundação Aperipê, Conceição Vieira, o vice-prefeito de Areia Branca, Francisco Chagas, os vereadores Artur (Estância) e Edésio (Itaporanga d'Ajuda). A vice-governadora avaliou como extremamente importante a realização do ato, não só pelos militantes do PT, mas por todos aqueles que lutam por justiça, igualdade e equidade. "Há um ano temos o maior líder político do país e que mais desenvolveu o nosso país e que cuidou das classes menos favorecidas numa prisão injusta e arbitrária e sem provas", disse.
Ela acrescentou que é hora de toda sociedade, a sociedade que clama por justiça e respeito, entender o que foi o processo contra Lula e a necessidade de que ele seja liberto e que a justiça faça justiça. "Temos aqui um espaço completamente lotado e isso já nos mostra o quanto a sociedade está entendendo a arbitrariedade que Lula está passando", registrou, ao parabenizar o diretório estadual, a militância do PT e toda sociedade que deseja justiça.
Além do ato político, o lançamento do Comitê Estadual Lula Livre em Sergipe teve a participação de muitos artistas da nossa cultura popular, que levaram sua mensagem nesse momento de resistência. Entre os que se apresentaram, Valdilécia Santos, Chiko Queiroga e Antônio Rogério, Muskito, Heitor Mendonça, o instrumentista Odair Caius, Cláudio Caducha, os índios Xokós, Arte Mania e Coletivo Ekédis e Ogans.
O ato também contou com a presença de representantes de diversos diretórios municipais do Partido dos Trabalhadores, indígenas da comunidade Xokó, Movimento Quilombola, Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Movimento Camponês Popular (MCP), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Fórum Estadual de Religiões de Matrizes Africanas, Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos (Motu), Pastoral Carcerária, Coletivo Quilombo, Levante Popular da Juventude, União Sergipana dos Estudantes Secundaristas (Uses), Juventude do PT, Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), União Geral dos Trabalhadores e Trabalhadoras (UGT/SE), movimento Hip Hop, Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, STR Tomar do Geru, União Brasileira de Mulheres de Sergipe (UBM/SE), entre outros.

No mapa da resistência  à prisão de Luiz Inácio  Lula da Silva, Sergipe instalou neste domingo (7), exatamente quando completou um ano da prisão do ex-presidente, o Comitê Estadual Lula Livre. Militantes e filiados do Partido dos Trabalhadores lotaram a sede estadual, onde foi realizado um ato político e cultural que congregou também outros partidos de esquerda - como o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) -, movimentos sociais, populares e sindical.
O presidente estadual do PT, o deputado federal João Daniel, ressaltou que este um ano da prisão política de Lula marca a resistência e a denúncia que não só o partido e toda militância tem feito da perseguição que o ex-presidente tem sido vítima, mas é também o momento em que se inicia a Jornada Lula Livre em todo Brasil e fora do país para ecoar essa denúncia. "Hoje no Brasil e no mundo se inicia essa jornada na defesa da democracia e na defesa da libertação imediata do presidente Lula. Queremos que a justiça seja justa. Não podemos aceitar um ano de prisão política. Um golpe foi dado no Brasil para retirar a presidenta Dilma e impedir Lula de disputar a eleição, e se elege um candidato que mantém essa prisão injusta e ilegal", declarou.
João Daniel acrescentou que a instalação do Comitê Estadual Lula Livre é o primeiro passo para organizar a militância em todo estado, não só do PT, mas todas as forças progressistas e democráticas para que um grande movimento ganhe corpo na defesa dessa libertação. "Estamos trabalhando para instalar em todas as cidades Comitês locais. Não podemos nos calar diante dessa prisão. Precisamos urgentemente da libertação do presidente Lula. Todos os brasileiros e brasileiras que têm respeito a nossa democracia não podem aceitar essa situação. Lula é o maior líder histórico desse país nos últimos 100 anos e por isso é necessária a sua libertação neste momento", acrescentou.

Luta por justiça - O ato teve a presença também da vice-governadora Eliane Aquino, o deputado estadual Iran Barbosa, ex-deputada estadual Ana Lúcia, a diretora presidente da Fundação Aperipê, Conceição Vieira, o vice-prefeito de Areia Branca, Francisco Chagas, os vereadores Artur (Estância) e Edésio (Itaporanga d'Ajuda). A vice-governadora avaliou como extremamente importante a realização do ato, não só pelos militantes do PT, mas por todos aqueles que lutam por justiça, igualdade e equidade. "Há um ano temos o maior líder político do país e que mais desenvolveu o nosso país e que cuidou das classes menos favorecidas numa prisão injusta e arbitrária e sem provas", disse.
Ela acrescentou que é hora de toda sociedade, a sociedade que clama por justiça e respeito, entender o que foi o processo contra Lula e a necessidade de que ele seja liberto e que a justiça faça justiça. "Temos aqui um espaço completamente lotado e isso já nos mostra o quanto a sociedade está entendendo a arbitrariedade que Lula está passando", registrou, ao parabenizar o diretório estadual, a militância do PT e toda sociedade que deseja justiça.
Além do ato político, o lançamento do Comitê Estadual Lula Livre em Sergipe teve a participação de muitos artistas da nossa cultura popular, que levaram sua mensagem nesse momento de resistência. Entre os que se apresentaram, Valdilécia Santos, Chiko Queiroga e Antônio Rogério, Muskito, Heitor Mendonça, o instrumentista Odair Caius, Cláudio Caducha, os índios Xokós, Arte Mania e Coletivo Ekédis e Ogans.
O ato também contou com a presença de representantes de diversos diretórios municipais do Partido dos Trabalhadores, indígenas da comunidade Xokó, Movimento Quilombola, Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Movimento Camponês Popular (MCP), Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), Fórum Estadual de Religiões de Matrizes Africanas, Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos (Motu), Pastoral Carcerária, Coletivo Quilombo, Levante Popular da Juventude, União Sergipana dos Estudantes Secundaristas (Uses), Juventude do PT, Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), União Geral dos Trabalhadores e Trabalhadoras (UGT/SE), movimento Hip Hop, Frente Brasil Popular, Frente Povo Sem Medo, STR Tomar do Geru, União Brasileira de Mulheres de Sergipe (UBM/SE), entre outros.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS