Governo tenta acordo para reabrir três matadouros

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O matadouro de Itabaiana foi um dos primeiros a ser fechado no Estado
O matadouro de Itabaiana foi um dos primeiros a ser fechado no Estado

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/04/2019 às 10:16:00

 

O deputado Zezinho 
Sobral (PODE) des
tacou ontem durante a sessão da Assembleia Legislativa de Sergipe, uma reunião realizada no Ministério Público Estadual (MPE/SE), com a presença do governador Belivaldo Chagas (MDB) e o arcebispo de Aracaju, Dom João José da Costa. Na ocasião, ele enfatizou a possibilidade de reabertura de três abatedouros.
"O governo do estado tem o compromisso de favorecer o arranjo produtivo do debate de animais no nosso Estado, com os feirantes, marchantes e fateiras. O governador Belivaldo Chagas foi convidado para a essa reunião que contou com a participação do arcebispo, visando que se possa efetivamente dar andamento a essa solicitação", explica.
Zezinho Sobral anunciou que na oportunidade, foi identificado que três abatedouros, com a manifestação expressa dos prefeitos, podem reabrir.
"Isso de que estão em condições de terem como pequenos investimentos a sua abertura consolidada, o que não impede que qualquer outro prefeito como é o caso de Ribeirópolis, que tenham assinado o TAC e se comprometeram a fechar e não abrir, possam pedir ao Ministério Público que reveja essas questões. Capela tem uma lei aprovada para fazer uma cessão, Itabaiana também continua fazendo o pleito e Ribeirópolis ao que nos cabe suspendeu voluntariamente as suas atividades e assinou um TAC com o MPE com o objetivo de não mais dar prosseguimento, tendo em vista que a empresa que prestava serviços é a mesma que prestava serviços em Itabaiana", esclarece.
Ribeiropólis - Já o deputado estadual Georgeo Passos (REDE) fez um apelo para que a reabertura dos matadouros aconteça de forma igualitária para todos os municípios e não priorize apenas as cidades de Itabaiana, Lagarto e Capela que vão assinar um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), deixando de fora Ribeirópolis, que tem equipamentos, e que com algumas adaptações, pode prestar o serviço.
"Esperamos que o Governo do Estado não exclua nenhuma cidade e aquelas que tiverem condições possam assinar esse futuro TAC, assumindo os compromissos com o Ministério Público".
Ele destacou que a decisão aconteceu após conversa entre o governador Belivaldo Chagas e o procurador Geral de Justiça (Eduardo D'Ávila) na semana passada.
"Não podemos apenas limitar a abertura de três abatedouros quando outras cidades também poderão colaborar com essa situação. Agora, solução só chegou para esses municípios Fica aqui esse apelo para que a gente possa fazer com que as coisas aconteçam de forma tranquila e igualitária para todos os municípios", declarou.

O deputado Zezinho  Sobral (PODE) des tacou ontem durante a sessão da Assembleia Legislativa de Sergipe, uma reunião realizada no Ministério Público Estadual (MPE/SE), com a presença do governador Belivaldo Chagas (MDB) e o arcebispo de Aracaju, Dom João José da Costa. Na ocasião, ele enfatizou a possibilidade de reabertura de três abatedouros.
"O governo do estado tem o compromisso de favorecer o arranjo produtivo do debate de animais no nosso Estado, com os feirantes, marchantes e fateiras. O governador Belivaldo Chagas foi convidado para a essa reunião que contou com a participação do arcebispo, visando que se possa efetivamente dar andamento a essa solicitação", explica.
Zezinho Sobral anunciou que na oportunidade, foi identificado que três abatedouros, com a manifestação expressa dos prefeitos, podem reabrir.
"Isso de que estão em condições de terem como pequenos investimentos a sua abertura consolidada, o que não impede que qualquer outro prefeito como é o caso de Ribeirópolis, que tenham assinado o TAC e se comprometeram a fechar e não abrir, possam pedir ao Ministério Público que reveja essas questões. Capela tem uma lei aprovada para fazer uma cessão, Itabaiana também continua fazendo o pleito e Ribeirópolis ao que nos cabe suspendeu voluntariamente as suas atividades e assinou um TAC com o MPE com o objetivo de não mais dar prosseguimento, tendo em vista que a empresa que prestava serviços é a mesma que prestava serviços em Itabaiana", esclarece.

Ribeiropólis -
Já o deputado estadual Georgeo Passos (REDE) fez um apelo para que a reabertura dos matadouros aconteça de forma igualitária para todos os municípios e não priorize apenas as cidades de Itabaiana, Lagarto e Capela que vão assinar um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), deixando de fora Ribeirópolis, que tem equipamentos, e que com algumas adaptações, pode prestar o serviço.
"Esperamos que o Governo do Estado não exclua nenhuma cidade e aquelas que tiverem condições possam assinar esse futuro TAC, assumindo os compromissos com o Ministério Público".
Ele destacou que a decisão aconteceu após conversa entre o governador Belivaldo Chagas e o procurador Geral de Justiça (Eduardo D'Ávila) na semana passada.
"Não podemos apenas limitar a abertura de três abatedouros quando outras cidades também poderão colaborar com essa situação. Agora, solução só chegou para esses municípios Fica aqui esse apelo para que a gente possa fazer com que as coisas aconteçam de forma tranquila e igualitária para todos os municípios", declarou.