Ex-vereador de Canhoba é preso por tráfico

Cidades

 

Policiais civis da Delegacia de Aquidabã prenderam ontem o ex-vereador Lealdo Ramos dos Santos, 51 anos. Segundo a polícia, ele é acusado de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. A detenção ocorreu em cumprimento a mandado de prisão definitiva na manhã desta quinta-feira, em Canhoba.
De acordo com as informações, o mandado de prisão foi expedido em decorrência da prática dos crimes no final de 2007 e abertura de processos no ano seguinte. Na época, Lealdo era vereador da cidade de Canhoba. Ele foi detido e encaminhado para uma unidade policial, onde ficará à disposição do Poder Judiciário.  
Em dezembro de 2007, quando ainda estava no mandato, Lealdo foi preso em casa junto com o irmão, Adriano Ramos dos Santos, o 'Batoré', e ambis tinham sido flagrados com cerca de um quilo de crack e cocaína, além de um revólver com a numeração raspada e um carro com placa do Estado de São Paulo. Na época, apurou-se que Adriano estaria guardando as drogas na casa do irmão para depois distribuí-los, e que a denúncia foi investigada pela Polícia Federal.

Policiais civis da Delegacia de Aquidabã prenderam ontem o ex-vereador Lealdo Ramos dos Santos, 51 anos. Segundo a polícia, ele é acusado de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. A detenção ocorreu em cumprimento a mandado de prisão definitiva na manhã desta quinta-feira, em Canhoba.
De acordo com as informações, o mandado de prisão foi expedido em decorrência da prática dos crimes no final de 2007 e abertura de processos no ano seguinte. Na época, Lealdo era vereador da cidade de Canhoba. Ele foi detido e encaminhado para uma unidade policial, onde ficará à disposição do Poder Judiciário.  
Em dezembro de 2007, quando ainda estava no mandato, Lealdo foi preso em casa junto com o irmão, Adriano Ramos dos Santos, o 'Batoré', e ambis tinham sido flagrados com cerca de um quilo de crack e cocaína, além de um revólver com a numeração raspada e um carro com placa do Estado de São Paulo. Na época, apurou-se que Adriano estaria guardando as drogas na casa do irmão para depois distribuí-los, e que a denúncia foi investigada pela Polícia Federal.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS