Candidato próprio

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Mais uma ontem da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, que esteve no sábado em Aracaju: \"Na minha concepção cristã, a mulher deve ser submissa ao homem no casamento e isso é uma questão de fé. Isso não me faz menos capaz de
Mais uma ontem da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, que esteve no sábado em Aracaju: \"Na minha concepção cristã, a mulher deve ser submissa ao homem no casamento e isso é uma questão de fé. Isso não me faz menos capaz de

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 17/04/2019 às 07:25:00

 

Fundado há 33 anos, o PT é o único parti
do no país com várias tendências políti
cas. Em Sergipe, as correntes mais expressivas são a Construindo um Novo Brasil (CNB), Articulação de Esquerda, PT Classista e Esquerda Popular Socialista.
A mais radical é a Articulação de Esquerda, que tem como líderes o deputado estadual Iran Barbosa e a ex-deputada estadual Ana Lúcia. A PT Classista, liderada pelo deputado estadual Francisco Gualberto, é voltada para o movimento sindical; e a Esquerda Popular Socialista, do deputado federal João Daniel, é focada nos movimentos sociais do campo, tendo a sua força maior no interior com o MST. 
Já a Construindo um Novo Brasil é a tendência mais histórica do PT, que já governou a capital, o estado e o país. Era a corrente do ex-governador Marcelo Déda e do ex-senador José Eduardo Dutra. É a mesma do ex-presidente Lula, do ex-candidato a presidente Fernando Haddad, da vice-governadora Eliane Aquino, do senador Rogério Carvalho e do vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo.
Por ter várias tendências políticas o PT nunca foi um partido onde prevalece a unidade. Mas quando o assunto é candidatura própria a prefeito ou governador a legenda costuma se unir em torno do nome de um petista para disputar o pleito majoritário.
Foi assim quando Marcelo Déda colocou seu nome para disputar a prefeitura de Aracaju em 2000 e 2004 e o governo do estado em 2006 e 2010.  Em 2018, o PT se uniu em torno do nome de Eliane Aquino para disputar o governo do estado. Ela só não foi candidata à governadora porque fez a opção de ser a vice de Belivaldo Chagas (PSD).
Agora, o PT começa a demonstrar unidade em torno de uma candidatura própria para disputar a Prefeitura de Aracaju em 2020. Rogério Carvalho, que é o presidente licenciado do partido, e Márcio Macedo, já declararam isso à imprensa. A Articulação de Esquerda sempre defendeu candidatura própria e ontem foi a vez de Eliane Aquino declarar, pelas redes sociais, que também defende que o PT tenha candidatura própria em Aracaju.
Márcio Macedo é o nome que está se destacando para ser o candidato a prefeito de Aracaju em 2020. Diferente de Eliane, que não topou ser candidata ao governo em 2018, Márcio quer ir para a disputa. Ele, inclusive, vem conversando com lideranças petistas e de outros partidos em busca de apoio ao seu nome.
Macedp, que foi o segundo candidato a deputado federal mais votado em Aracaju, também busca o apoio popular. Tem visitado os bairros da capital e conversado com a população e lideranças comunitárias. 
Desta vez, o PT caminha mesmo para ter candidato próprio a prefeito de Aracaju porque, diferente de Eliane Aquino, Márcio Macedo quer ir para a disputa.
Isso representará o fim de um casamento de décadas entre PT e PC do B, uma vez que o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), de forma legitima, deverá disputar a reeleição...

Fundado há 33 anos, o PT é o único parti do no país com várias tendências políti cas. Em Sergipe, as correntes mais expressivas são a Construindo um Novo Brasil (CNB), Articulação de Esquerda, PT Classista e Esquerda Popular Socialista.
A mais radical é a Articulação de Esquerda, que tem como líderes o deputado estadual Iran Barbosa e a ex-deputada estadual Ana Lúcia. A PT Classista, liderada pelo deputado estadual Francisco Gualberto, é voltada para o movimento sindical; e a Esquerda Popular Socialista, do deputado federal João Daniel, é focada nos movimentos sociais do campo, tendo a sua força maior no interior com o MST. 
Já a Construindo um Novo Brasil é a tendência mais histórica do PT, que já governou a capital, o estado e o país. Era a corrente do ex-governador Marcelo Déda e do ex-senador José Eduardo Dutra. É a mesma do ex-presidente Lula, do ex-candidato a presidente Fernando Haddad, da vice-governadora Eliane Aquino, do senador Rogério Carvalho e do vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo.
Por ter várias tendências políticas o PT nunca foi um partido onde prevalece a unidade. Mas quando o assunto é candidatura própria a prefeito ou governador a legenda costuma se unir em torno do nome de um petista para disputar o pleito majoritário.
Foi assim quando Marcelo Déda colocou seu nome para disputar a prefeitura de Aracaju em 2000 e 2004 e o governo do estado em 2006 e 2010.  Em 2018, o PT se uniu em torno do nome de Eliane Aquino para disputar o governo do estado. Ela só não foi candidata à governadora porque fez a opção de ser a vice de Belivaldo Chagas (PSD).
Agora, o PT começa a demonstrar unidade em torno de uma candidatura própria para disputar a Prefeitura de Aracaju em 2020. Rogério Carvalho, que é o presidente licenciado do partido, e Márcio Macedo, já declararam isso à imprensa. A Articulação de Esquerda sempre defendeu candidatura própria e ontem foi a vez de Eliane Aquino declarar, pelas redes sociais, que também defende que o PT tenha candidatura própria em Aracaju.
Márcio Macedo é o nome que está se destacando para ser o candidato a prefeito de Aracaju em 2020. Diferente de Eliane, que não topou ser candidata ao governo em 2018, Márcio quer ir para a disputa. Ele, inclusive, vem conversando com lideranças petistas e de outros partidos em busca de apoio ao seu nome.
Macedp, que foi o segundo candidato a deputado federal mais votado em Aracaju, também busca o apoio popular. Tem visitado os bairros da capital e conversado com a população e lideranças comunitárias. 
Desta vez, o PT caminha mesmo para ter candidato próprio a prefeito de Aracaju porque, diferente de Eliane Aquino, Márcio Macedo quer ir para a disputa.
Isso representará o fim de um casamento de décadas entre PT e PC do B, uma vez que o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), de forma legitima, deverá disputar a reeleição...

O dono da vez 1   

Em conversa com a coluna o presidente do Diretório Municipal do PT, Jeferson Lima, disse que o vácuo de 12 anos sem o partido ter um candidato próprio a prefeito de Aracaju fortalece a tendência de candidatura própria em 2020. Lembra que desde 2008 o PT não disputa a prefeitura da capital e enfatiza que a definição mesmo só no próximo ano, após cumprimento de um calendário de definição dos rumos da legenda.

O dono da vez 2

Revela Jeferson que o partido já conversou com o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). "Deixamos bem claro para Edvaldo que temos uma aliança com ele e independente dela o PT está se fortalecendo para 2020. A aliança é em relação a 2016. Em 2020 é uma nova discussão".

Consciente da realidade

Segundo Jeferson, o prefeito está ciente disso. "Tanto é que na posse recente de Cássio Murilo como presidente da Funcaju, Edvaldo afirmou que a presença de Cássio na fundação representava a continuidade do projeto iniciado em 2017, com a sua gestão, quando Silvio Santos era o presidente e se afastou em 2018 por disputar mandato de deputado estadual", afirmou, ressaltando que Edvaldo também declarou que a aliança do PCdoB com o PT não se consolida pensando nas eleições, por está focado no desenvolvimento da cidade, que é o que o preocupa.

Outra prioridade 

O presidente do PT de Aracaju conversou ontem com o presidente estadual licenciado do partido, senador Rogério Carvalho, sobre a eleição para vereador na capital.  "O PT está se preparando para ter chapa forte para a Câmara Municipal em 2020, quando pretendemos ter um maior número de candidatos e eleger de três a quatro vereadores em Aracaju", disse Jeferson, que é pré-candidato a vereador, lembrando que em 2016 o partido elegeu apenas Iran Barbosa, que hoje está na Assembleia Legislativa.

À portas fechadas

Ontem, durante a sessão plenária da Câmara Municipal de Aracaju, o presidente Nitinho Vitale (PSD) pediu aos assessores que deixassem o plenário e a sala de imprensa, ficando somente os vereadores para uma reunião fechada. Entre as discussões, a realização de concurso público da CMA, questões internas administrativas e atual situação dos aposentados da Casa.

Nova polêmica 1

Antes da reunião, o vereador Cabo Amintas provocou mais uma polêmica no plenário da Câmara ao exibir um vídeo postado pelo vereador Thiaguinho Batalha (PMB) nos stories de seu Instagram. Isso porque o vídeo mostra Edvaldo Nogueira dizendo que "quem manda na Câmara é o prefeito", em uma reunião com aliados.

Nova polêmica 2

Antes de exibir o vídeo Amintas provocou os colegas: "Eu tenho uma pergunta para os colegas vereadores. Quem manda na Câmara de Aracaju? Nada pessoal, mas na minha casa mando eu. Quem manda na Câmara de Vereadores? Quero deixar bem claro que o vídeo que eu vou exibir aqui foi gravado pela equipe de um vereador aliado do prefeito. Ao invés de tentar colocar qualquer culpa no vereador Cabo Amintas, como gostam de fazer. Esse vídeo foi postado na rede social do vereador Thiaguinho Batalha. Se ele postou na rede social, é público". 

Agora é impeachment 1

Depois de ter entrado duas vezes com pedido de instalação da CPI Lava Toga, para investigar as ações dos ministros dos tribunais superiores, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) quer agora o impeachment dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e Dias Toffoli. Ontem ele apresentou uma denúncia de crime de responsabilidade contra os dos ministros, alegando que incorreram em abuso de poder ao instaurarem um inquérito e executarem medidas judiciais por conta própria, sem a participação do Ministério Público.

Agora é impeachment 2

"O desrespeito desses dois ministros ao básico do direito brasileiro exige uma reação. Eles avançaram qualquer linha razoável na democracia. Abusaram flagrantemente do poder que têm para constranger denunciantes e críticos", afirmou o senador, destacando que este é o primeiro pedido de impeachment que tem como lastro a manifestação da procuradora-geral da República, Raquel Doge, apontando os fatos concretos de abuso de autoridade por parte dos ministros.

Agora é impeachment 3

O pedido de impeachment segue para a Mesa Diretora e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, deve decidir se ele será arquivado ou se terá prosseguimento. Caso seja aceito, será instalada uma comissão de 21 senadores para emitir parecer. A decisão final caberá ao Plenário. O quórum para o impeachment de um ministro do STF é de dois terços da Casa, ou 54 senadores. Pelo que vimos da CPI Lava Toga, o pedido de impeachment deve ir pelo mesmo caminho.

Apoiam o impeachment 

O pedido de impeachment de Moraes e Toffoli também será subscrito por outros senadores. Já estão confirmados os apoios de Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Lasier Martins (Pode-RS), Jorge Kajuru (PSB-GO) e Reguffe (sem partido-DF). A denúncia pode levar ao impeachment de Toffoli, que é presidente do STF, e de Moraes.

Inquérito

O pedido de impeachment dos ministros tem a ver com a decisão de  Toffoli ter instaurado um inquérito para investigar injúrias e ameaças virtuais contra ministros do STF. E nomeado relator do inquérito, Alexandre de Moraes ter expedido mandados de busca e apreensão contra sete cidadãos e determinado o bloqueio das suas redes sociais.  Além do fato da procuradora-geral Raquel Doge ter arquivado o inquérito aberto por Dias Toffoli, par a apurar fake news, ameaças e ofensas contra ministros do tribunal. Para Dodge, o Supremo contrariou a Constituição ao determinar medidas no âmbito do inquérito sem consultar a Procuradoria. 

Veja essa ...

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, voltou ontem ao Twitter para agradecer ao Museu Americano de História Natural pelo cancelamento do evento da Câmara de Comércio Brasil-EUA com o presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ), que receberia no local o prêmio de "homem do ano". E afirmou: "Jair Bolsonaro é um homem perigoso. Seu racismo visível, homofobia e decisões destrutivas terão um impacto devastador no futuro do nosso planeta. Em nome da nossa cidade, obrigado @AMNH por cancelar este evento". O museu anunciou o cancelamento do evento na segunda-feira.

Curtas

Na Prosa Entre Amigos, comandado pelos petistas Dominguinhos  Machado e Mário Dias, o ex-prefeito Filadelfo Alexandre (PSD) reafirmou  pacto com o PT nas eleições 2020 em Estância e disse que a gestão do prefeito Gilson  Andrade (sem partido) é trivial.

Foi empossado ontem como novo superintendente da Polícia Federal em Sergipe, o delegado Marcos Renato da Silva Lima. A solenidade, que contou com a presença do diretor-geral da PF, Maurício Leite Valeixo, ocorreu no auditório do Tribunal de Contas do Estado, em Aracaju.

Valeixo, que desde 2018 está em Sergipe como delegado regional executivo, disse que estará focado no combate a corrupção, contribuindo assim para que os recursos públicos cheguem ao cidadão.

A partir da próxima segunda-feira os sergipanos vão ser afetados com mais um reajuste de energia elétrica a ser cobrado pela Energisa. Será de 2,80%. Mais um aumento que vai pesar no bolso do trabalhador, que sofre com perdas salariais, principalmente o servidor público.