Briga na CMA: Comissão de Ética vai exigir retratação de Amintas

Cidades

 

Em uma reunião realizada na tarde de ontem, os vereadores da Comissão de Ética da Câmara Municipal de Aracaju confirmaram a apresentação de um convite ao vereador Cabo Amintas (PTB), para que ele peça desculpas publicamente pela briga protagonizada por ele e pelo líder do prefeito na Casa, Vinícius Porto. O episódio repercute desde a semana passada, quando gravações nas redes sociais mostraram o oposicionista discutindo rispidamente com Vinícius e sendo contido por outros colegas. 
A posição já tinha sido anunciada ao longo da semana pelo vereador Pastor Alves (PRB), que foi escolhido como relator da comissão. A jornalistas, ele adiantou que "houve agressões verbais" de Amintas contra o líder governista, configurando-se quebra de decoro parlamentar, e afirmou que o ex-policial "deve desculpas" aos colegas e à população, por conta da má repercussão causada pelo episódio. Ainda de acordo com Alves, pode ser aplicada uma advertência formal ou mesmo uma suspensão de 120 dias com substituição do vereador pelo suplente, caso a retratação não seja feita. 
A Comissão de Ética foi definida na quarta-feira passada, após passar cerca de dois meses sem a escolha de seu presidente - assumiu Manoel Marcos (PSDB). Ontem, confirmou-se ainda que o presidente da CMA, Nitinho Vitale (PSD), vai representar Amintas também por quebra de decoro, pelo fato de ter sido chamado de "chefe de quadrilha". Também em entrevistas à imprensa, o vereador do PTB disse que não está arrependido e que os próprios acusadores também cometem erros e maldades, "muitas vezes, usando não a voz, mas a caneta". 

Em uma reunião realizada na tarde de ontem, os vereadores da Comissão de Ética da Câmara Municipal de Aracaju confirmaram a apresentação de um convite ao vereador Cabo Amintas (PTB), para que ele peça desculpas publicamente pela briga protagonizada por ele e pelo líder do prefeito na Casa, Vinícius Porto. O episódio repercute desde a semana passada, quando gravações nas redes sociais mostraram o oposicionista discutindo rispidamente com Vinícius e sendo contido por outros colegas. 
A posição já tinha sido anunciada ao longo da semana pelo vereador Pastor Alves (PRB), que foi escolhido como relator da comissão. A jornalistas, ele adiantou que "houve agressões verbais" de Amintas contra o líder governista, configurando-se quebra de decoro parlamentar, e afirmou que o ex-policial "deve desculpas" aos colegas e à população, por conta da má repercussão causada pelo episódio. Ainda de acordo com Alves, pode ser aplicada uma advertência formal ou mesmo uma suspensão de 120 dias com substituição do vereador pelo suplente, caso a retratação não seja feita. 
A Comissão de Ética foi definida na quarta-feira passada, após passar cerca de dois meses sem a escolha de seu presidente - assumiu Manoel Marcos (PSDB). Ontem, confirmou-se ainda que o presidente da CMA, Nitinho Vitale (PSD), vai representar Amintas também por quebra de decoro, pelo fato de ter sido chamado de "chefe de quadrilha". Também em entrevistas à imprensa, o vereador do PTB disse que não está arrependido e que os próprios acusadores também cometem erros e maldades, "muitas vezes, usando não a voz, mas a caneta". 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS