Plenária histórica unifica UFS contra ataques de Bolsonaro e Lorenzoni

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
REALIZADA HO HALL DO CAMPUS DE SÃO CRISTÓVÃO, A PLENÁRIA REUNIU PROFESSORES, ESTUDANTES E FUNCIONÁRIOS EM DEFESA DA UNIVERSIDADE PÚBLICA
REALIZADA HO HALL DO CAMPUS DE SÃO CRISTÓVÃO, A PLENÁRIA REUNIU PROFESSORES, ESTUDANTES E FUNCIONÁRIOS EM DEFESA DA UNIVERSIDADE PÚBLICA

A plenária unificada ocorreu no hall de entrada do Campus de São Cristóvão da UFS
A plenária unificada ocorreu no hall de entrada do Campus de São Cristóvão da UFS

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/05/2019 às 08:11:00

 

O hall da Reitoria da 
Universidade Fede-
ral de Sergipe (UFS) ficou lotada ontem, em assembleia unificada de alunos, funcionários  em defesa da Universidade Pública. A plenária foi convocada às pressas em menos de 24 horas.
Na mesa da plenária os coordenadores gerais do Sintufs, Juliana Cordeiro e Wagner Vieira, os diretores da Adufs, Saulo Henrique e Romero Venâncio, e a vice-reitora da instituição, Iara Campelo.  "O ministro Onyx Lorenzoni não faz ideia do vespeiro que mexeu ao declarar dados falsos sobre a produção científica e a pós-graduação na UFS pra justificar corte de verbas, tal como a proposta do corte de verbas de custeio, que afetam diretamente os trabalhadores terceirizados e programas de Assistência Estudantil", destacaram os participantes;
A vice-reitora leu a nota de esclarecimento do Gabinete do Reitor, publicada na noite desta quinta-feira. Representações da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), coletivo Afronte!,  movimento "Em Frente" , Sindiscose, Centro Acadêmico de Filosofia (Cafil), Artes Visuais (Cenarte) Letras (Cales) e Diretório Livre de Geografia (Daligeo) se posicionaram no debate acerca dos próximos rumos do movimento.  Um abaixo assinado organizado pelas Centrais Sindicais e Frentes de mobilização, contra a Reforma da Previdência, foi organizado no decorrer da atividade, que contou com a assinatura de presença de 170 pessoas.
A representação do deputado federal João Daniel (PT) comunicou que o parlamentar fará um depoimento sobre o assunto em plenário na próxima semana. O vereador de Aracaju Camilo Daniel (PT) apresentará uma Moção de Repúdio ao Ministro Onyx Lorenzoni na Câmara Municipal de Aracaju.
A professora aposentada Claudete Sales fez questão de comparecer ao espaço e demarcar posição. "Nunca na minha vida pensei que ia voltar pra uma assembleia na UFS, mas aqui estou. A gente se aposenta da Universidade, mas o carinho e o respeito ficam. Vamos pra batalha, não perco mais uma assembleia".  A estudante de Artes Visuais da UFS Lauremberg Santana se emocionou ao relatar uma briga familiar envolvendo a defesa da educação pública. "Se defender a UFS é virar vagabundo, eu sou vagabunda e com orgulho".
Encaminhamentos - A plenária aprovou a entrada com o pedido de Direito de Resposta junto à Globo News, além de uma ação judicial por Improbidade Administrativa contra Onyx Lorenzoni. Aprovou a criação de um Fórum Amplo em Defesa da UFS, envolvendo técnicos, professores, estudantes e a administração acadêmica, para dar prosseguimento às lutas contra o corte de verbas e em defesa da Autonomia Universitária. A plenária aprovou a construção de espaços junto à Rádio UFS FM, no sentido de ampliar a mobilização, divulgação e fortalecimento da Comunicação Pública Universitária.
Um ato público na Praça da Democracia foi marcado para segunda-feira (6) a partir das 16h, para dar prosseguimento às ações em defesa da UFS e fortalecer o dia 15 de maio, quando ocorre a Paralisação Nacional da Educação Pública contra a Reforma da Previdência. Para além desta data, foi apontada a necessidade de construir uma Grande Greve Geral para o dia 14 de junho para dar prosseguimento à luta contra a Reforma da Previdência.
A UFS possui 47 programas de pós-graduação, 4 programas de doutorado com nota 5, 90% dos estudantes de Mestrado e Doutorado de Sergipe e 30 mil estudantes de Graduação, com um orçamento anual na casa dos R$ 100 milhões de reais.

O hall da Reitoria da  Universidade Fede- ral de Sergipe (UFS) ficou lotada ontem, em assembleia unificada de alunos, funcionários  em defesa da Universidade Pública. A plenária foi convocada às pressas em menos de 24 horas.
Na mesa da plenária os coordenadores gerais do Sintufs, Juliana Cordeiro e Wagner Vieira, os diretores da Adufs, Saulo Henrique e Romero Venâncio, e a vice-reitora da instituição, Iara Campelo.  "O ministro Onyx Lorenzoni não faz ideia do vespeiro que mexeu ao declarar dados falsos sobre a produção científica e a pós-graduação na UFS pra justificar corte de verbas, tal como a proposta do corte de verbas de custeio, que afetam diretamente os trabalhadores terceirizados e programas de Assistência Estudantil", destacaram os participantes;
A vice-reitora leu a nota de esclarecimento do Gabinete do Reitor, publicada na noite desta quinta-feira. Representações da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), coletivo Afronte!,  movimento "Em Frente" , Sindiscose, Centro Acadêmico de Filosofia (Cafil), Artes Visuais (Cenarte) Letras (Cales) e Diretório Livre de Geografia (Daligeo) se posicionaram no debate acerca dos próximos rumos do movimento.  Um abaixo assinado organizado pelas Centrais Sindicais e Frentes de mobilização, contra a Reforma da Previdência, foi organizado no decorrer da atividade, que contou com a assinatura de presença de 170 pessoas.
A representação do deputado federal João Daniel (PT) comunicou que o parlamentar fará um depoimento sobre o assunto em plenário na próxima semana. O vereador de Aracaju Camilo Daniel (PT) apresentará uma Moção de Repúdio ao Ministro Onyx Lorenzoni na Câmara Municipal de Aracaju.
A professora aposentada Claudete Sales fez questão de comparecer ao espaço e demarcar posição. "Nunca na minha vida pensei que ia voltar pra uma assembleia na UFS, mas aqui estou. A gente se aposenta da Universidade, mas o carinho e o respeito ficam. Vamos pra batalha, não perco mais uma assembleia".  A estudante de Artes Visuais da UFS Lauremberg Santana se emocionou ao relatar uma briga familiar envolvendo a defesa da educação pública. "Se defender a UFS é virar vagabundo, eu sou vagabunda e com orgulho".

Encaminhamentos - A plenária aprovou a entrada com o pedido de Direito de Resposta junto à Globo News, além de uma ação judicial por Improbidade Administrativa contra Onyx Lorenzoni. Aprovou a criação de um Fórum Amplo em Defesa da UFS, envolvendo técnicos, professores, estudantes e a administração acadêmica, para dar prosseguimento às lutas contra o corte de verbas e em defesa da Autonomia Universitária. A plenária aprovou a construção de espaços junto à Rádio UFS FM, no sentido de ampliar a mobilização, divulgação e fortalecimento da Comunicação Pública Universitária.
Um ato público na Praça da Democracia foi marcado para segunda-feira (6) a partir das 16h, para dar prosseguimento às ações em defesa da UFS e fortalecer o dia 15 de maio, quando ocorre a Paralisação Nacional da Educação Pública contra a Reforma da Previdência. Para além desta data, foi apontada a necessidade de construir uma Grande Greve Geral para o dia 14 de junho para dar prosseguimento à luta contra a Reforma da Previdência.
A UFS possui 47 programas de pós-graduação, 4 programas de doutorado com nota 5, 90% dos estudantes de Mestrado e Doutorado de Sergipe e 30 mil estudantes de Graduação, com um orçamento anual na casa dos R$ 100 milhões de reais.