Garoto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Para ouvidos atentos
Para ouvidos atentos

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/05/2019 às 14:55:00

 

Preservar o legado da 
música brasileira e 
sua qualidade é um dos pilares do Selo Sesc. Compositor de Gente Humilde, o célebre Garoto (Aníbal Augusto Sardinha/1915-1955), não poderia ficar de fora deste acervo. Mais de três décadas depois, o Selo Sesc remasteriza e relança o disco Garoto. O álbum tem 11 faixas de clássicas composições do multi-instrumentista e ás do banjo, todas interpretadas pelo violonista e estudioso da obra do músico, Paulo Bellinati.
A obra de Garoto é abrangente e complexa. Como quem tem pressa, começou cedo, aos 11 anos de idade, tocando banjo. Seu talento excepcional foi rapidamente reconhecido por seus pares, grandes artistas de sua época, como Radamés Gnattali e Zé Menezes. Garoto acompanhou muitos deles nos estúdios das principais rádios de São Paulo, sua terra natal e do Rio de Janeiro. Chegou a tocar junto com Carmen Miranda em sua excursão pelos Estados Unidos.
 Garoto pertenceu a uma geração de músicos inovadores. Valsas, canções, sambas e, sobretudo choros, compõem a sua produção. Conhecida apenas por músicos e por restritos círculos de cultores, esta obra faz parte de uma produção reservada e permaneceu quase inacessível por 30 anos. Ao lado de Gente Humilde e Lamentos do Morro, estão neste disco algumas das mais inspiradas peças já escritas.
 Paulo Bellinati destaca que o relançamento de Garoto, pelo Selo Sesc, o faz lembrar do percurso percorrido para a gravação do disco em 1986 - o primeiro de sua carreira. "Há 30 anos, tocar Garoto me proporcionou vários encontros com alguns contemporâneos, seus amigos e parceiros com os quais tive a honra de conviver, coletar material, ouvir histórias incríveis e fortalecer o meu trabalho, como Radamés Gnattali e Rafael Rabello."
"O repertório selecionado e a precisão da interpretação permitem aos ouvidos mais atentos o reconhecimento dos traços geniais e pioneiros de Garoto. Este relançamento contribui para a difusão de uma obra icônica e a formação de público para as principais manifestações artísticas nacionais. O disco abre-se a todos, alcançando tanto músicos profissionais quanto o público em geral, interessado em conhecer a história da música brasileira, por meio de um de seus principais expoentes", ressalta Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo.

Preservar o legado da  música brasileira e  sua qualidade é um dos pilares do Selo Sesc. Compositor de Gente Humilde, o célebre Garoto (Aníbal Augusto Sardinha/1915-1955), não poderia ficar de fora deste acervo. Mais de três décadas depois, o Selo Sesc remasteriza e relança o disco Garoto. O álbum tem 11 faixas de clássicas composições do multi-instrumentista e ás do banjo, todas interpretadas pelo violonista e estudioso da obra do músico, Paulo Bellinati.
A obra de Garoto é abrangente e complexa. Como quem tem pressa, começou cedo, aos 11 anos de idade, tocando banjo. Seu talento excepcional foi rapidamente reconhecido por seus pares, grandes artistas de sua época, como Radamés Gnattali e Zé Menezes. Garoto acompanhou muitos deles nos estúdios das principais rádios de São Paulo, sua terra natal e do Rio de Janeiro. Chegou a tocar junto com Carmen Miranda em sua excursão pelos Estados Unidos.
 Garoto pertenceu a uma geração de músicos inovadores. Valsas, canções, sambas e, sobretudo choros, compõem a sua produção. Conhecida apenas por músicos e por restritos círculos de cultores, esta obra faz parte de uma produção reservada e permaneceu quase inacessível por 30 anos. Ao lado de Gente Humilde e Lamentos do Morro, estão neste disco algumas das mais inspiradas peças já escritas.
 Paulo Bellinati destaca que o relançamento de Garoto, pelo Selo Sesc, o faz lembrar do percurso percorrido para a gravação do disco em 1986 - o primeiro de sua carreira. "Há 30 anos, tocar Garoto me proporcionou vários encontros com alguns contemporâneos, seus amigos e parceiros com os quais tive a honra de conviver, coletar material, ouvir histórias incríveis e fortalecer o meu trabalho, como Radamés Gnattali e Rafael Rabello."
"O repertório selecionado e a precisão da interpretação permitem aos ouvidos mais atentos o reconhecimento dos traços geniais e pioneiros de Garoto. Este relançamento contribui para a difusão de uma obra icônica e a formação de público para as principais manifestações artísticas nacionais. O disco abre-se a todos, alcançando tanto músicos profissionais quanto o público em geral, interessado em conhecer a história da música brasileira, por meio de um de seus principais expoentes", ressalta Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo.