Policiais e assaltantes trocam tiros na Tancredo Neves

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/05/2019 às 22:26:00

 

Gabriel Damásio 
Uma troca de tiros entre policiais e um grupo de assaltantes surpreendeu quem passava pela Avenida Tancredo Neves, no Conjunto Costa e Silva (zona oeste), durante a noite desta terça-feira. Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) conseguiu interceptar um veículo Fiesta Hatch roubado, que estava com cinco homens armados e estava voltando de um assalto cometido em uma praça do povoado Oiteiros, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). Um dos suspeitos, identificado como Luiz Marques Oliveira Santos, 28 anos, foi rendido e preso em flagrante, enquanto os outros conseguiram escapar por um matagal. 
Segundo as informações apuradas, o grupo começou a agir no final da manhã, quando dois assaltantes renderam o dono do carro, um homem que chegava para buscar a noiva em uma loja no bairro Garcia (zona sul). O motorista contou que eles chegaram ao local a pé, o abordaram com um revólver, perguntaram se ele era policial e o obrigaram-no a deitar no chão, entregando-lhes a chave do Fiesta e o celular. Em seguida, eles fugiram com o carro. 
À noite, o veículo foi visto por testemunhas em alguns assaltos ocorridos nas cidades de Nossa Senhora do Socorro, Laranjeiras e Maruim. Um destes roubos aconteceu na praça do Oiteiros, onde um grupo de jovens estava sentado e foi obrigado a entregar celulares e outros pertences. Os criminosos fugiram em direção à BR-235, o que fez as informações chegarem à PRF. Segundo o órgão, o roubo do Fiesta já tinha sido informado à Central de Comando e Controle Regional da PRF em Sergipe (C3R), o que fez os policiais identificarem rapidamente as características do carro usado nos assaltos. 
Durante as buscas, os agentes da PRF localizaram o veículo na entrada de Aracaju e começaram a seguir os assaltantes, que perceberam a presença da polícia e tentaram uma fuga. A perseguição terminou em um semáforo na Tancredo, onde aconteceu a abordagem e a troca de tiros. Apesar do susto e do risco, ninguém ficou ferido. Quatro ocupantes do carro foram vistos correndo para o matagal enquanto atiravam contra os policiais. O quinto, Luiz Marques, acabou preso. Imagens que circularam nas redes sociais mostram o momento em que ele deita no chão e é revistado pelos policiais. O carro também foi vasculhado e, dentro dele, os agentes apreenderam oito telefones celulares que foram roubados pela dupla nos assaltos praticados horas antes. O Fiesta e alguns dos celulares foram devolvidos aos respectivos proprietários.
O suspeito foi levado à Central de Flagrantes, no Santos Dumont (zona norte) e autuado em flagrante por roubo majorado. Ontem à tarde, em audiência de custódia no Fórum Gumercindo Bessa, Marques teve sua prisão preventiva decretada pela juíza Cléa Monteiro Alves Schlingmann. Em seu despacho, ela considerou que o acusado confessou o crime, foi reconhecido por algumas das vítimas dos roubos e teve celulares encontrados em seu poder. Ela justificou a prisão afirmando que tem "o fim precípuo de reduzir o risco de nova violação à esfera de direitos inalienáveis da sociedade, bem como garantia da ordem pública, e havendo fundadas razões para se supor seja os indiciados autores do crime indicado". 

Gabriel Damásio 

Uma troca de tiros entre policiais e um grupo de assaltantes surpreendeu quem passava pela Avenida Tancredo Neves, no Conjunto Costa e Silva (zona oeste), durante a noite desta terça-feira. Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) conseguiu interceptar um veículo Fiesta Hatch roubado, que estava com cinco homens armados e estava voltando de um assalto cometido em uma praça do povoado Oiteiros, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). Um dos suspeitos, identificado como Luiz Marques Oliveira Santos, 28 anos, foi rendido e preso em flagrante, enquanto os outros conseguiram escapar por um matagal. 
Segundo as informações apuradas, o grupo começou a agir no final da manhã, quando dois assaltantes renderam o dono do carro, um homem que chegava para buscar a noiva em uma loja no bairro Garcia (zona sul). O motorista contou que eles chegaram ao local a pé, o abordaram com um revólver, perguntaram se ele era policial e o obrigaram-no a deitar no chão, entregando-lhes a chave do Fiesta e o celular. Em seguida, eles fugiram com o carro. 
À noite, o veículo foi visto por testemunhas em alguns assaltos ocorridos nas cidades de Nossa Senhora do Socorro, Laranjeiras e Maruim. Um destes roubos aconteceu na praça do Oiteiros, onde um grupo de jovens estava sentado e foi obrigado a entregar celulares e outros pertences. Os criminosos fugiram em direção à BR-235, o que fez as informações chegarem à PRF. Segundo o órgão, o roubo do Fiesta já tinha sido informado à Central de Comando e Controle Regional da PRF em Sergipe (C3R), o que fez os policiais identificarem rapidamente as características do carro usado nos assaltos. 
Durante as buscas, os agentes da PRF localizaram o veículo na entrada de Aracaju e começaram a seguir os assaltantes, que perceberam a presença da polícia e tentaram uma fuga. A perseguição terminou em um semáforo na Tancredo, onde aconteceu a abordagem e a troca de tiros. Apesar do susto e do risco, ninguém ficou ferido. Quatro ocupantes do carro foram vistos correndo para o matagal enquanto atiravam contra os policiais. O quinto, Luiz Marques, acabou preso. Imagens que circularam nas redes sociais mostram o momento em que ele deita no chão e é revistado pelos policiais. O carro também foi vasculhado e, dentro dele, os agentes apreenderam oito telefones celulares que foram roubados pela dupla nos assaltos praticados horas antes. O Fiesta e alguns dos celulares foram devolvidos aos respectivos proprietários.
O suspeito foi levado à Central de Flagrantes, no Santos Dumont (zona norte) e autuado em flagrante por roubo majorado. Ontem à tarde, em audiência de custódia no Fórum Gumercindo Bessa, Marques teve sua prisão preventiva decretada pela juíza Cléa Monteiro Alves Schlingmann. Em seu despacho, ela considerou que o acusado confessou o crime, foi reconhecido por algumas das vítimas dos roubos e teve celulares encontrados em seu poder. Ela justificou a prisão afirmando que tem "o fim precípuo de reduzir o risco de nova violação à esfera de direitos inalienáveis da sociedade, bem como garantia da ordem pública, e havendo fundadas razões para se supor seja os indiciados autores do crime indicado".