Chambinho se apresenta em Aracaju

Cultura

 

O cantor e compositor Chambinho do Acordeon se apresenta este fim de semana em Aracaju, onde realiza o lançamento do CD 'Acredite'. Segundo o colega Paulo Corrêa, uma autoridade no assunto, este sábado, os frequentadores do Bar Cariri vão viver uma noite de forró pra ninguém botar defeito.
Quem ainda não ligou o nome à pessoa terá de ser lembrado do filme 'Gonzaga: De pai pra filho' (2012), de Breno Silveira, em que Chambinho interpreta o sanfoneiro na flor da idade. Ali, ele já dava mostras do respeito à tradição. Um papel assim não se conquista à toa.
O artista - Nivaldo Expedito de Carvalho, o Chambinho do Acordeon, nasceu em São Paulo no dia 07 de junho de 1980. Aos 08 anos de idade, mudou-se com a família para a pequena cidade de Jaicós, Piauí, onde aprendeu os primeiros acordes na sanfona com o avô Zezinho Barbosa. Essa primeira escola, tão afetiva, quanto autêntica, lhe deu não só os macetes dos velhos sanfoneiros nordestinos, como também o gosto pelo autêntico forró. 
Aos 11 anos de idade, Chambinho retornou para São Paulo, com uma bonita sanfona Mundiale a tiracolo. Mas o ambiente não estava muito favorável para xotes e baiões. Acabou investindo num teclado e atuando em grupos de samba e pagode. Após alguns anos tocando na noite, surgiu um convite muito especial: integrar a Banda Caiana, formada por mais 4 jovens que, assim como ele, buscavam um caminho de retomada da tradição nordestina. 
Com a Banda Caiana, que logo se destacou no nascente Forró Universitário, teve a oportunidade de se apresentar em algumas das mais importantes casas de forró de São Paulo, como KVA, Remelexo Brasil, Canto da Ema, Estância do Alto da Serra e Cooperativa Brasil. Pode ainda viajar pelo País inteiro, divulgando os dois CDs lançados pela gravadora Warner Music.
Aos poucos, Chambinho se tornou um sanfoneiro requisitado no competitivo universo musical paulistano. Logo veio o convite para acompanhar a célebre Banda de Pífanos de Caruaru, com a qual fez muitos shows e gravou o CD 'No século XXI, no Pátio do Forró' (Trama, 2002), premiado pelo Prêmio Tim e pelo Grammy Latino, na categoria música regional. No mesmo período, viajou para o Nordeste com Dantas do Forró, onde começou a cantar. Participou ainda, de uma divulgação internacional do Forró com o grupo Forró na Pressão em Açores, Portugal. Integrou o Trio Zabumbão, por 2 anos. Acompanhou grandes nomes do Forró como Família Gonzaga, Anastácia e o grande humorista João Claudio Moreno.
Hoje, trabalha em sua carreira solo, e tem em seu repertório músicas autênticas do Nordeste como o baião, xote, xaxado, côco e arrastapé. Músicas de Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Alceu Valença, Zé Ramalho, Trio Nordestino estão sempre em suas apresentações.
Por ser seguidor de Luiz Gonzaga e se identificar muito com o Rei do Baião, Chambinho resolveu participar do processo de seleção da Conspiração Filmes (parceria da Globo) para representar Luiz Gonzaga no Cinema e após vencer 5 mil candidatos, recebeu a honrosa missão de interpretar o Luiz Gonzaga filme 'Gonzaga - De Pai Para Filho', de Breno Silveira. Este, justificou sua escolha para o personagem ser Chambinho "pelo seu sorriso e o jeito de bater o pé"
Protagonista do filme, Chambinho estudou a fundo a vida e a música do Rei do Baião e aperfeiçoou um pouco mais seu jeito nordestino de puxar o seu fole e cantar o seu Forró.

O cantor e compositor Chambinho do Acordeon se apresenta este fim de semana em Aracaju, onde realiza o lançamento do CD 'Acredite'. Segundo o colega Paulo Corrêa, uma autoridade no assunto, este sábado, os frequentadores do Bar Cariri vão viver uma noite de forró pra ninguém botar defeito.
Quem ainda não ligou o nome à pessoa terá de ser lembrado do filme 'Gonzaga: De pai pra filho' (2012), de Breno Silveira, em que Chambinho interpreta o sanfoneiro na flor da idade. Ali, ele já dava mostras do respeito à tradição. Um papel assim não se conquista à toa.

O artista - Nivaldo Expedito de Carvalho, o Chambinho do Acordeon, nasceu em São Paulo no dia 07 de junho de 1980. Aos 08 anos de idade, mudou-se com a família para a pequena cidade de Jaicós, Piauí, onde aprendeu os primeiros acordes na sanfona com o avô Zezinho Barbosa. Essa primeira escola, tão afetiva, quanto autêntica, lhe deu não só os macetes dos velhos sanfoneiros nordestinos, como também o gosto pelo autêntico forró. 
Aos 11 anos de idade, Chambinho retornou para São Paulo, com uma bonita sanfona Mundiale a tiracolo. Mas o ambiente não estava muito favorável para xotes e baiões. Acabou investindo num teclado e atuando em grupos de samba e pagode. Após alguns anos tocando na noite, surgiu um convite muito especial: integrar a Banda Caiana, formada por mais 4 jovens que, assim como ele, buscavam um caminho de retomada da tradição nordestina. 
Com a Banda Caiana, que logo se destacou no nascente Forró Universitário, teve a oportunidade de se apresentar em algumas das mais importantes casas de forró de São Paulo, como KVA, Remelexo Brasil, Canto da Ema, Estância do Alto da Serra e Cooperativa Brasil. Pode ainda viajar pelo País inteiro, divulgando os dois CDs lançados pela gravadora Warner Music.
Aos poucos, Chambinho se tornou um sanfoneiro requisitado no competitivo universo musical paulistano. Logo veio o convite para acompanhar a célebre Banda de Pífanos de Caruaru, com a qual fez muitos shows e gravou o CD 'No século XXI, no Pátio do Forró' (Trama, 2002), premiado pelo Prêmio Tim e pelo Grammy Latino, na categoria música regional. No mesmo período, viajou para o Nordeste com Dantas do Forró, onde começou a cantar. Participou ainda, de uma divulgação internacional do Forró com o grupo Forró na Pressão em Açores, Portugal. Integrou o Trio Zabumbão, por 2 anos. Acompanhou grandes nomes do Forró como Família Gonzaga, Anastácia e o grande humorista João Claudio Moreno.
Hoje, trabalha em sua carreira solo, e tem em seu repertório músicas autênticas do Nordeste como o baião, xote, xaxado, côco e arrastapé. Músicas de Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Alceu Valença, Zé Ramalho, Trio Nordestino estão sempre em suas apresentações.
Por ser seguidor de Luiz Gonzaga e se identificar muito com o Rei do Baião, Chambinho resolveu participar do processo de seleção da Conspiração Filmes (parceria da Globo) para representar Luiz Gonzaga no Cinema e após vencer 5 mil candidatos, recebeu a honrosa missão de interpretar o Luiz Gonzaga filme 'Gonzaga - De Pai Para Filho', de Breno Silveira. Este, justificou sua escolha para o personagem ser Chambinho "pelo seu sorriso e o jeito de bater o pé"
Protagonista do filme, Chambinho estudou a fundo a vida e a música do Rei do Baião e aperfeiçoou um pouco mais seu jeito nordestino de puxar o seu fole e cantar o seu Forró.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS