Empresários são indiciados por mortes em tanque de posto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Os três homens morreram em acidente no dia dois de janeiro
Os três homens morreram em acidente no dia dois de janeiro

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/05/2019 às 23:08:00

 

A Polícia Civil concluiu o inquérito que apurou a morte de três homens que entraram no tanque de combustível de um posto de gasolina no povoado Cruz da Donzela, em Malhada dos Bois (Baixo São Francisco). Em 2 de janeiro deste ano, os desempregados José Márcio Vieira, Douglas dos Santos e Leandro Cerqueira Santos morreram depois de entrarem para fazer uma limpeza no compartimento. O proprietário do posto, José Carlos Gomes e o empresário Eunísio dos Santos, o 'Palitinho', dono da empresa contratada para o serviço, foram indiciados por três crimes de homicídio com dolo eventual - quando se assume o risco de morte. 
A investigação foi conduzida pela equipe da delegada de Malhada dos Bois, Maria Zulnária Soares. Ela explicou que José Carlos contratou Eunício para fazer o serviço de adaptação em um tanque desativado, o qual ele pretendia usar para revender um tipo de óleo diesel diferente do que vinha armazenando antes. "Nas primeiras oitivas já percebemos a dinâmica do ocorrido: o dono do posto São José tinha um dos tanques do estabelecimento desativado há 90 dias, pois ele comercializava um tipo de óleo diesel, que era o S500 e pretendia mudar para o S10, e contratou a empresa do senhor Eunício para fazer a limpeza desse tanque, para que ele pudesse passar a comercializar outro tipo de óleo", comentou.
A empresa de Eunício contratou José Márcio, que já fazia esse tipo de trabalho em postos de combustíveis, e este indicou o amigo Douglas para ajudar nos trabalhos. A delegada relatou que como ambos estavam desempregados e viviam de bicos, aceitaram o serviço. "Quando chegou ao local, José Márcio foi o primeiro a descer e Douglas, que ficou na boca do tanque, percebeu que José desfaleceu. Então ele chamou Palitinho e falou que José desmaiou. Douglas desceu pra ajudar e desfaleceu também, foi aí que Palitinho percebeu que a situação era grave e começou a pedir ajuda às pessoas que transitavam pelo local. Ele até tentou descer para ajudar, mas não conseguia passar do segundo degrau da escada", concluiu a delegada.
Leandro, que era mecânico de uma oficina vizinha ao posto, viu a movimentação e tentou retirar os dois desempregados de dentro do tanque, mas também desmaiou. Eles foram resgatados por outros homens, que conseguiram laçar os pés deles dentro do tanque e os puxaram para fora. Eles chegaram a ser levados ao Hospital Regional de Propriá, mas não resistiram. 

A Polícia Civil concluiu o inquérito que apurou a morte de três homens que entraram no tanque de combustível de um posto de gasolina no povoado Cruz da Donzela, em Malhada dos Bois (Baixo São Francisco). Em 2 de janeiro deste ano, os desempregados José Márcio Vieira, Douglas dos Santos e Leandro Cerqueira Santos morreram depois de entrarem para fazer uma limpeza no compartimento. O proprietário do posto, José Carlos Gomes e o empresário Eunísio dos Santos, o 'Palitinho', dono da empresa contratada para o serviço, foram indiciados por três crimes de homicídio com dolo eventual - quando se assume o risco de morte. 
A investigação foi conduzida pela equipe da delegada de Malhada dos Bois, Maria Zulnária Soares. Ela explicou que José Carlos contratou Eunício para fazer o serviço de adaptação em um tanque desativado, o qual ele pretendia usar para revender um tipo de óleo diesel diferente do que vinha armazenando antes. "Nas primeiras oitivas já percebemos a dinâmica do ocorrido: o dono do posto São José tinha um dos tanques do estabelecimento desativado há 90 dias, pois ele comercializava um tipo de óleo diesel, que era o S500 e pretendia mudar para o S10, e contratou a empresa do senhor Eunício para fazer a limpeza desse tanque, para que ele pudesse passar a comercializar outro tipo de óleo", comentou.
A empresa de Eunício contratou José Márcio, que já fazia esse tipo de trabalho em postos de combustíveis, e este indicou o amigo Douglas para ajudar nos trabalhos. A delegada relatou que como ambos estavam desempregados e viviam de bicos, aceitaram o serviço. "Quando chegou ao local, José Márcio foi o primeiro a descer e Douglas, que ficou na boca do tanque, percebeu que José desfaleceu. Então ele chamou Palitinho e falou que José desmaiou. Douglas desceu pra ajudar e desfaleceu também, foi aí que Palitinho percebeu que a situação era grave e começou a pedir ajuda às pessoas que transitavam pelo local. Ele até tentou descer para ajudar, mas não conseguia passar do segundo degrau da escada", concluiu a delegada.
Leandro, que era mecânico de uma oficina vizinha ao posto, viu a movimentação e tentou retirar os dois desempregados de dentro do tanque, mas também desmaiou. Eles foram resgatados por outros homens, que conseguiram laçar os pés deles dentro do tanque e os puxaram para fora. Eles chegaram a ser levados ao Hospital Regional de Propriá, mas não resistiram.