Polícia e Energisa flagram desvio de energia em churrascaria

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Desvio de energia foi constatada em pousada
Desvio de energia foi constatada em pousada

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/05/2019 às 23:28:00

 

Uma diligência conjunta realizada ontem de manhã por equipes da Polícia Civil e da distribuidora Energisa terminou com a descoberta de um desvio de energia elétrica no prédio onde funciona uma pousada-churrascaria na Rua Tomar do Geru, bairro José Conrado de Araújo (zona oeste de Aracaju). Um inquérito foi instaurado para apurar a prática, considerada crime, e que foi constatada inicialmente por fiscais da companhia. 
Uma perícia mais detalhada foi feita na caixa de distribuição de energia do imóvel, com acompanhamento de peritos do Instituto de Criminalística e do coordenador-geral de Perícias, Nestor Joaquim de Barros. Eles constataram que, das três fases que interligam a fiação do imóvel à rede elétrica, uma estava conectada sem passar pelo medidor de energia, o que caracteriza o desvio de energia. A ligação clandestina é conhecida como "gato". 
O dono do prédio foi detido e levado à sede do Departamento de Crimes contra o Patrimônio (Depatri). Ele disse que não tinha conhecimento desse desvio e atribuiu a responsabilidade a um eletricista que tinha sido contratado por comerciantes que alugaram o imóvel e ali instalaram a pousada. O inquilino também foi levado para prestar depoimento. Ambos foram liberados e vão responder ao inquérito policial em liberdade, para apurar a responsabilidade pelo crime. Os suspeitos podem ser indiciados por furto. 
A Energisa informou que a prática de fazer "gatos" na rede de energia causa interferências no fornecimento de energia elétrica e oferece riscos de acidentes ou morte para quem faz estas ligações, além de prejudicar o recolhimento de imposto como o ICMS. Segundo a empresa, 25 pessoas foram indiciadas no ano passado por furto ou desvio de energia, mas outras 44 pessoas foram processadas e 2 mil casos suspeitos foram registrados somente neste ano, devido ao aumento dos trabalhos de fiscalização. 

Uma diligência conjunta realizada ontem de manhã por equipes da Polícia Civil e da distribuidora Energisa terminou com a descoberta de um desvio de energia elétrica no prédio onde funciona uma pousada-churrascaria na Rua Tomar do Geru, bairro José Conrado de Araújo (zona oeste de Aracaju). Um inquérito foi instaurado para apurar a prática, considerada crime, e que foi constatada inicialmente por fiscais da companhia. 
Uma perícia mais detalhada foi feita na caixa de distribuição de energia do imóvel, com acompanhamento de peritos do Instituto de Criminalística e do coordenador-geral de Perícias, Nestor Joaquim de Barros. Eles constataram que, das três fases que interligam a fiação do imóvel à rede elétrica, uma estava conectada sem passar pelo medidor de energia, o que caracteriza o desvio de energia. A ligação clandestina é conhecida como "gato". 
O dono do prédio foi detido e levado à sede do Departamento de Crimes contra o Patrimônio (Depatri). Ele disse que não tinha conhecimento desse desvio e atribuiu a responsabilidade a um eletricista que tinha sido contratado por comerciantes que alugaram o imóvel e ali instalaram a pousada. O inquilino também foi levado para prestar depoimento. Ambos foram liberados e vão responder ao inquérito policial em liberdade, para apurar a responsabilidade pelo crime. Os suspeitos podem ser indiciados por furto. 
A Energisa informou que a prática de fazer "gatos" na rede de energia causa interferências no fornecimento de energia elétrica e oferece riscos de acidentes ou morte para quem faz estas ligações, além de prejudicar o recolhimento de imposto como o ICMS. Segundo a empresa, 25 pessoas foram indiciadas no ano passado por furto ou desvio de energia, mas outras 44 pessoas foram processadas e 2 mil casos suspeitos foram registrados somente neste ano, devido ao aumento dos trabalhos de fiscalização.