Saúde confirma morte de criança por dengue

Geral

 

Milton Alves Júnior
Na manhã de ontem o 
Governo do Estado de 
Sergipe, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), confirmou a morte de uma criança de cinco anos vítima de Dengue. Este é o quarto caso de óbito causado pela doença somente neste ano de 2019. De acordo com familiares, a criança começou a passar mal na sexta-feira, 3, quando necessitou ser levado duas vezes às pressas para o Hospital de Nossa Senhora das Dores, e uma ao Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória com febre alta. Na última quinta-feira, 09, voltou a apresentar problemas de saúde e faleceu.
Diante das suspeitas, exames foram realizados na criança, e, no início da manhã dessa segunda, saiu a confirmação de morte provocada pela Dengue. Os últimos casos confirmados foram oficializadas no dia 19 de fevereiro, quando uma criança de seis meses perdeu a vida enquanto era acolhida pelo Hospital de Urgência de Sergipe (Huse); em 20 de abril foi a vez de uma criança de sete anos também morrer vítima da doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. Além das mortes, o que tem gerado preocupação aos gestores da saúde pública são os dados nada positivos.
Com base em dados levantados pelo Ministério da Saúde, a SES confirmou que os casos de dengue aumentaram 330% no Estado de Sergipe, se comparado com o mesmo período do ano passado. Os órgãos que promovem ações de combate à endemias enaltece que a luta contra o mosquito transmissor da dengue é um dever compartilhado entre Estado e a população. Mércia Feitosa, coordenadora do núcleo de Vigilância Epidemiológica, enalteceu ao JORNAL DO DIA a necessidade de todos os brasileiros de modo geral se unir no combate ao mosquito que segue provocando dor e sofrimento em Sergipe e nas demais unidades federativas do Brasil.
 "Esse trabalho é de todos e por isso enaltecemos que a Secretaria de Saúde vem dialogando com todos os municípios sobre a necessidade de ampliar as ações de controle dos criadouros, emitimos nota orientando os coordenadores municipais de vigilância para que façam ações integradas com outros setores nos municípios como educação, assistência social. E frente ao resultado do índice de infestação no Lira estamos enviamos o carro fumacê", declarou.

Milton Alves Júnior

Na manhã de ontem o  Governo do Estado de  Sergipe, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), confirmou a morte de uma criança de cinco anos vítima de Dengue. Este é o quarto caso de óbito causado pela doença somente neste ano de 2019. De acordo com familiares, a criança começou a passar mal na sexta-feira, 3, quando necessitou ser levado duas vezes às pressas para o Hospital de Nossa Senhora das Dores, e uma ao Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória com febre alta. Na última quinta-feira, 09, voltou a apresentar problemas de saúde e faleceu.
Diante das suspeitas, exames foram realizados na criança, e, no início da manhã dessa segunda, saiu a confirmação de morte provocada pela Dengue. Os últimos casos confirmados foram oficializadas no dia 19 de fevereiro, quando uma criança de seis meses perdeu a vida enquanto era acolhida pelo Hospital de Urgência de Sergipe (Huse); em 20 de abril foi a vez de uma criança de sete anos também morrer vítima da doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. Além das mortes, o que tem gerado preocupação aos gestores da saúde pública são os dados nada positivos.
Com base em dados levantados pelo Ministério da Saúde, a SES confirmou que os casos de dengue aumentaram 330% no Estado de Sergipe, se comparado com o mesmo período do ano passado. Os órgãos que promovem ações de combate à endemias enaltece que a luta contra o mosquito transmissor da dengue é um dever compartilhado entre Estado e a população. Mércia Feitosa, coordenadora do núcleo de Vigilância Epidemiológica, enalteceu ao JORNAL DO DIA a necessidade de todos os brasileiros de modo geral se unir no combate ao mosquito que segue provocando dor e sofrimento em Sergipe e nas demais unidades federativas do Brasil.
 "Esse trabalho é de todos e por isso enaltecemos que a Secretaria de Saúde vem dialogando com todos os municípios sobre a necessidade de ampliar as ações de controle dos criadouros, emitimos nota orientando os coordenadores municipais de vigilância para que façam ações integradas com outros setores nos municípios como educação, assistência social. E frente ao resultado do índice de infestação no Lira estamos enviamos o carro fumacê", declarou.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS