Sindicalistas dizem que falta planejamento ao governo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/06/2012 às 15:30:00

Kátia Azevedo
katiaazevedo@jornaldodiase.com.br

Sindicatos ligados às categorias de professores e servidores administrativos do estado acompanharam na tarde de ontem a chegada do projeto do Poder Executivo que concede reajuste de 6,5%% para o magistério e 5,2%  para os  demais servidores estaduais. O projeto deverá ser lido hoje em plenário.
Ontem também foi dia de críticas. "O governo não está dando tratamento adequado aos servidores da administração pública ao deixar de considerar que se trata de uma categoria profissional com perdas salariais históricas ao longo dos anos. O que estamos presenciando é que, por falta de planejamento, o Executivo está  sacrificando os servidores para manter salários deflacionados de outras esferas da administração pública", reagiu o presidente do Sintrase, Valdir Rodrigues.
O sindicalista também reclamou que o governo não chamou nenhum sindicato para conversar e que ao invés disso anunciou o projeto pelos meios de comunicação.
Valdir Rodrigues explicou que o parcelamento do retroativo em quatro vezes não será percebido por alguém que recebe R$ 30 mil reais, mas fará enorme diferença aos servidores que ganham R$ 545 e que agora passam a receber R$ 622. "Não dá nem 100 reais e dividir isso em quatro vezes parece brincadeira", disse.
Diante da situação, o sindicalista avisa que a diretoria do Sintrase se reunirá hoje com representantes da Comissão de Negociação para decidir qual medida adotará em defesa da categoria.
Magistério - Os professores também criticaram o reajuste e dizem que estão mobilizados para barrar o projeto na Assembléia. "Esperamos que os deputados não aprovem um reajuste de pouco mais de 6% para a categoria", disse a presidente do Sindicato dos Profissionais da Educação do Estado de Sergipe (SINTESE), Ângela Melo.