Fred Andrade em tom menor

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Uma impressão de serenidade pungente
Uma impressão de serenidade pungente

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/05/2019 às 22:35:00

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
Se gabar da própria 
sensibilidade não fica 
bonito pra ninguém. Mas, cá entre nós, os dias nublados pedem uma trilha composta em tom menor. Fred Andrade talvez se ria da observação, alheio às sugestões das nuvens escuras no céu. Ainda assim, a suíte que o músico jogou na rede, um dia desses, caiu como uma luva na paisagem repleta de poças deste outono quase inverno, o chove e não molha abafado de Aracaju.
 'A suíte dos meios tons' comunica uma impressão de serenidade pungente. Como se entabulasse conversa consigo mesmo, o compositor emenda um tema em outro, alinhavando uma longa peça para violão solo. Cada arpejo vibra de modo seguro e límpido, preenchendo os espaços com muito calma, dando tempo ao tempo, e assim renova um convite ensimesmado à introspecção.
 "Trata-se de um conjunto de micro peças que comecei a compor a alguns meses e que tem como curiosidade o fato de modular em meios tons, todos menores, fazendo um passeio nas doze tonalidades", ele próprio explica, músico formado, com mestrado e doutorado, senhor absoluto de suas cordas. Para quem mergulha na música, contudo, o seu valor objetivo pouco importa. Pauta e notação à parte, interessa apenas o seu poder de persuasão.
Leve como uma pluma, a tal suíte é capaz de aquietar até o mais tumultuado dos espíritos. Não à toa, ao me participar a boa nova, Fred deu um conselho dos mais oportunos: o ideal seria ouvir a composição sem nenhuma pressa, um copo de goró à mão. Só assim a sua intenção se revela por completo.
Músicos instrumentistas possuem notório pendor para a performance e o espetáculo. Guitarristas, em especial, tendem a se afirmar entre os próprios pares por força da habilidade expressa em termos de velocidade e precisão. Com 'A suíte dos meios tons', Fred prova mais uma vez que é um profissional de outra estirpe. Embora cometa sim acordes e melodias de quebrar os dedos, a sua música emociona, antes de tudo, tem alma e coração.
 'A suíte dos meios tons' está à disposição dos curiosos no Youtube, em registro cinematográfico delicado de Renata Morais.

Se gabar da própria  sensibilidade não fica  bonito pra ninguém. Mas, cá entre nós, os dias nublados pedem uma trilha composta em tom menor. Fred Andrade talvez se ria da observação, alheio às sugestões das nuvens escuras no céu. Ainda assim, a suíte que o músico jogou na rede, um dia desses, caiu como uma luva na paisagem repleta de poças deste outono quase inverno, o chove e não molha abafado de Aracaju.
 'A suíte dos meios tons' comunica uma impressão de serenidade pungente. Como se entabulasse conversa consigo mesmo, o compositor emenda um tema em outro, alinhavando uma longa peça para violão solo. Cada arpejo vibra de modo seguro e límpido, preenchendo os espaços com muito calma, dando tempo ao tempo, e assim renova um convite ensimesmado à introspecção.
 "Trata-se de um conjunto de micro peças que comecei a compor a alguns meses e que tem como curiosidade o fato de modular em meios tons, todos menores, fazendo um passeio nas doze tonalidades", ele próprio explica, músico formado, com mestrado e doutorado, senhor absoluto de suas cordas. Para quem mergulha na música, contudo, o seu valor objetivo pouco importa. Pauta e notação à parte, interessa apenas o seu poder de persuasão.
Leve como uma pluma, a tal suíte é capaz de aquietar até o mais tumultuado dos espíritos. Não à toa, ao me participar a boa nova, Fred deu um conselho dos mais oportunos: o ideal seria ouvir a composição sem nenhuma pressa, um copo de goró à mão. Só assim a sua intenção se revela por completo.
Músicos instrumentistas possuem notório pendor para a performance e o espetáculo. Guitarristas, em especial, tendem a se afirmar entre os próprios pares por força da habilidade expressa em termos de velocidade e precisão. Com 'A suíte dos meios tons', Fred prova mais uma vez que é um profissional de outra estirpe. Embora cometa sim acordes e melodias de quebrar os dedos, a sua música emociona, antes de tudo, tem alma e coração.
 'A suíte dos meios tons' está à disposição dos curiosos no Youtube, em registro cinematográfico delicado de Renata Morais.