Ocupe a Praça realiza homenagem ao escultor sergipano Véio

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/05/2019 às 22:54:00

 

Cícero Alves dos Santos, conhecido mundialmente como Véio, é um artista sergipano que ocupa uma posição singular na arte contemporânea. Em agradecimento à contribuição à cultura sergipana, a Prefeitura de Aracaju, através da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), por meio do Núcleo de Produção Digital (NPD) Orlando Vieira, realizou a primeira homenagem feita ao escultor no Estado. O encontro aconteceu na noite da última quarta-feira, no projeto Ocupe a Praça.
Natural de Nossa Senhora da Glória, Véio apresentou seu universo artístico aos admiradores presentes no encontro. O artista também falou a respeito da homenagem. "Apesar  de eu ter tido outras homenagens fora do país, eu sentia essa ausência do estado de fazer algo para que o sergipano conhecesse  os seus conterrâneos e os seus valores. Poder compartilhar um pouco de minha arte aqui na praça é ótimo, porque aqui existem pessoas que têm vontade e a intenção de participar. A praça é do povo e nós, artistas, precisamos de divulgação", afirmou Véio.
 De forma expressiva, a sintonia entre o doutor em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Rafael Alves, e Véio pode ser notada durante o Liquidifica Diálogos. O pesquisador conheceu o artista, em 2012, quando atuou na Fondation Cartier pour l' art contemporain. Desde então, estabeleceu relação com Véio e compartilhou as experiências da trajetória e estudos feitos ao homenageado.

Cícero Alves dos Santos, conhecido mundialmente como Véio, é um artista sergipano que ocupa uma posição singular na arte contemporânea. Em agradecimento à contribuição à cultura sergipana, a Prefeitura de Aracaju, através da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), por meio do Núcleo de Produção Digital (NPD) Orlando Vieira, realizou a primeira homenagem feita ao escultor no Estado. O encontro aconteceu na noite da última quarta-feira, no projeto Ocupe a Praça.
Natural de Nossa Senhora da Glória, Véio apresentou seu universo artístico aos admiradores presentes no encontro. O artista também falou a respeito da homenagem. "Apesar  de eu ter tido outras homenagens fora do país, eu sentia essa ausência do estado de fazer algo para que o sergipano conhecesse  os seus conterrâneos e os seus valores. Poder compartilhar um pouco de minha arte aqui na praça é ótimo, porque aqui existem pessoas que têm vontade e a intenção de participar. A praça é do povo e nós, artistas, precisamos de divulgação", afirmou Véio.
 De forma expressiva, a sintonia entre o doutor em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Rafael Alves, e Véio pode ser notada durante o Liquidifica Diálogos. O pesquisador conheceu o artista, em 2012, quando atuou na Fondation Cartier pour l' art contemporain. Desde então, estabeleceu relação com Véio e compartilhou as experiências da trajetória e estudos feitos ao homenageado.