Chuvas voltam a provocar estragos na capital

Geral

 

Milton Alves Júnior
Segundo as perspectivas já 
apresentadas pelo Centro 
de Meteorologia do Estado de Sergipe, as chuvas e rajadas de vento em maior escala começam a ser registrados com maior frequência em todas as regiões do estado. Na madrugada de ontem, um temporal que durou cerca de quatro horas seguidas foi suficiente para derrubar árvores, destelhar residências, alagar ruas e inundar salas e corredores do setor de Raio X do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Diante do alagamento, profissionais da manutenção ligados à Secretaria de Estado da Saúde foram encaminhados ao local para solucionar o problema. Na manhã de ontem a SES informou que paciente necessitou ser transferido para outros setores.
De acordo com a Assessoria de Comunicação da maior unidade pública de Sergipe, o problema ocorreu por conta da obstrução de um cano da rede com materiais que estavam impedindo a passagem da água. Com a barreira criada, a água foi acumulando e invadindo as dependências internas do hospital. 
Aracaju - Na madrugada desta sexta-feira  foi registrada a primeira ocorrência relacionada as chuvas na capital. Ao todo foram cinco chamados para situações de risco de desabamento, risco de deslizamento, desabamento parcial de telhado e alagamento.
As demandas partiram de moradores dos bairros Bugio, Porto Dantas, Cidade Nova e bairro Suíssa. Todas as situações foram atendidas e as providências adotadas, conforme a avaliação de risco para cada situação.
Inundações foram registradas novamente em residências condomínios residenciais localizados no Conjunto Médici, zona Oeste de Aracaju. Diante da vulnerabilidade muitos moradores optaram por deixar as casas enquanto o nível da água não baixava.
"Nós temos uma cartilha de como devemos fazer em caso de invasão dessas águas. Infelizmente é um problema antigo, mas que nunca é resolvido pelo poder público e por isso somos obrigados a viver em sistema de alerta todas as vezes que a chuva decide cair um pouco mais forte. Sem dúvidas esse período de maio a inicio de agosto é um tormento para a gente", declarou a moradora Marta da Silva Santos, moradora da comunidade há 23 anos. Oo Centro de Meteorologia oficializou na tarde de ontem que este final de semana será de tempo nublado e chuvas intensas, porém rápidas, no interior sergipano.
O meteorologista Overland Amaral voltou a destacar que todos os estudos diários são repassados para os órgãos de segurança e prevenção de acidentes a fim de minimizar os riscos de sinistros que atinjam a integridade física da população. "São ações realmente naturais, constantes para este fim de estação. A perspectiva para este final de semana, por exemplo, é de instabilidade em todo o Estado. No litoral a tendência é de chuva no final da manhã e a noite. Já no domingo a instabilidade aumenta, mas a chuva só fica mais intensa na segunda, 20, e terça-feira, 21", revelou.

Milton Alves Júnior

Segundo as perspectivas já  apresentadas pelo Centro  de Meteorologia do Estado de Sergipe, as chuvas e rajadas de vento em maior escala começam a ser registrados com maior frequência em todas as regiões do estado. Na madrugada de ontem, um temporal que durou cerca de quatro horas seguidas foi suficiente para derrubar árvores, destelhar residências, alagar ruas e inundar salas e corredores do setor de Raio X do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Diante do alagamento, profissionais da manutenção ligados à Secretaria de Estado da Saúde foram encaminhados ao local para solucionar o problema. Na manhã de ontem a SES informou que paciente necessitou ser transferido para outros setores.
De acordo com a Assessoria de Comunicação da maior unidade pública de Sergipe, o problema ocorreu por conta da obstrução de um cano da rede com materiais que estavam impedindo a passagem da água. Com a barreira criada, a água foi acumulando e invadindo as dependências internas do hospital. 

Aracaju -
Na madrugada desta sexta-feira  foi registrada a primeira ocorrência relacionada as chuvas na capital. Ao todo foram cinco chamados para situações de risco de desabamento, risco de deslizamento, desabamento parcial de telhado e alagamento.As demandas partiram de moradores dos bairros Bugio, Porto Dantas, Cidade Nova e bairro Suíssa. Todas as situações foram atendidas e as providências adotadas, conforme a avaliação de risco para cada situação.
Inundações foram registradas novamente em residências condomínios residenciais localizados no Conjunto Médici, zona Oeste de Aracaju. Diante da vulnerabilidade muitos moradores optaram por deixar as casas enquanto o nível da água não baixava.
"Nós temos uma cartilha de como devemos fazer em caso de invasão dessas águas. Infelizmente é um problema antigo, mas que nunca é resolvido pelo poder público e por isso somos obrigados a viver em sistema de alerta todas as vezes que a chuva decide cair um pouco mais forte. Sem dúvidas esse período de maio a inicio de agosto é um tormento para a gente", declarou a moradora Marta da Silva Santos, moradora da comunidade há 23 anos. Oo Centro de Meteorologia oficializou na tarde de ontem que este final de semana será de tempo nublado e chuvas intensas, porém rápidas, no interior sergipano.
O meteorologista Overland Amaral voltou a destacar que todos os estudos diários são repassados para os órgãos de segurança e prevenção de acidentes a fim de minimizar os riscos de sinistros que atinjam a integridade física da população. "São ações realmente naturais, constantes para este fim de estação. A perspectiva para este final de semana, por exemplo, é de instabilidade em todo o Estado. No litoral a tendência é de chuva no final da manhã e a noite. Já no domingo a instabilidade aumenta, mas a chuva só fica mais intensa na segunda, 20, e terça-feira, 21", revelou.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS