Prefeitura levará famílias do Barracão do Eduardo Gomes para abrigo temporário

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/05/2019 às 08:30:00

 

A Prefeitura de São Cristóvão enviou equipes da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, Procuradoria Geral, Secretaria Municipal de Infraestrutura e Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho para acompanharem de perto o cumprimento da ordem judicial, emitida pela Comarca de São Cristóvão, para evacuação do Galpão São Forró (no conjunto Eduardo Gomes). O barracão está com comprometimento em toda a estrutura física, o que colocava em risco as vidas dos moradores abrigados no local desde 2006. Neste primeiro momento, as três famílias serão direcionadas para um abrigo municipal, até que as mesmas consigam endereços para realizarem suas mudanças.
Segundo a procuradora-geral do municÍpio, Aline Magna Lima, a prefeitura está dando todo o suporte, dentro das obrigações legais que cabem ao município. "Estamos aqui acompanhando a ordem judicial que indicou que este local está condenado do ponto de vista físico. A Defesa Civil emitiu um relatório informando diversos pontos irregulares e nossa preocupação é com a vida de cada morador. Vamos direcionar estas pessoas para um local seguro, dando-lhes todo o suporte necessário para que eles possam se mudar para endereços com estrutura adequada o quanto antes", disse.
 A diretora de proteção social da Semast, Roberta da Hora frisou que os moradores foram comunicados que a decisão judicial poderia ser cumprida nesta segunda-feira (20). "Acompanhamos estas famílias desde 2017 sempre dialogando para a melhor forma delas mudarem deste local, inclusive, alertando sobre os riscos de desmoronamentos. Agora com a ordem judicial estamos juntos acompanhando este processo de mudança. A prefeitura está disponibilizando um local seguro para esse período de vulnerabilidade emocional. No segundo momento, a Semast vai disponibilizar aluguel social para que estas famílias consigam alugar casas que atendam as necessidades de moradia digna. A prefeitura está ajudando no processo de mudança e, principalmente, no apoio para acolher estas pessoas, de forma a preservar a integridade física de todos", enfatizou Roberta.

A Prefeitura de São Cristóvão enviou equipes da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, Procuradoria Geral, Secretaria Municipal de Infraestrutura e Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho para acompanharem de perto o cumprimento da ordem judicial, emitida pela Comarca de São Cristóvão, para evacuação do Galpão São Forró (no conjunto Eduardo Gomes). O barracão está com comprometimento em toda a estrutura física, o que colocava em risco as vidas dos moradores abrigados no local desde 2006. Neste primeiro momento, as três famílias serão direcionadas para um abrigo municipal, até que as mesmas consigam endereços para realizarem suas mudanças.
Segundo a procuradora-geral do municÍpio, Aline Magna Lima, a prefeitura está dando todo o suporte, dentro das obrigações legais que cabem ao município. "Estamos aqui acompanhando a ordem judicial que indicou que este local está condenado do ponto de vista físico. A Defesa Civil emitiu um relatório informando diversos pontos irregulares e nossa preocupação é com a vida de cada morador. Vamos direcionar estas pessoas para um local seguro, dando-lhes todo o suporte necessário para que eles possam se mudar para endereços com estrutura adequada o quanto antes", disse.
 A diretora de proteção social da Semast, Roberta da Hora frisou que os moradores foram comunicados que a decisão judicial poderia ser cumprida nesta segunda-feira (20). "Acompanhamos estas famílias desde 2017 sempre dialogando para a melhor forma delas mudarem deste local, inclusive, alertando sobre os riscos de desmoronamentos. Agora com a ordem judicial estamos juntos acompanhando este processo de mudança. A prefeitura está disponibilizando um local seguro para esse período de vulnerabilidade emocional. No segundo momento, a Semast vai disponibilizar aluguel social para que estas famílias consigam alugar casas que atendam as necessidades de moradia digna. A prefeitura está ajudando no processo de mudança e, principalmente, no apoio para acolher estas pessoas, de forma a preservar a integridade física de todos", enfatizou Roberta.