Policiamento será reforçado para os festejos juninos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/05/2019 às 23:09:00

 

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), por meio da Polícia Militar do Estado de Sergipe, começa a intensificar a partir de hoje o sistema de monitoramento direcionado para condutores automotivos que seguem, ou retornam de festividade juninas. Em decorrência da aproximação dos festejos alusivos à Santo Antônio, São João e São Pedro, a proposta dos órgãos é garantir o respeito unilateral dos motoristas e motociclistas para com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), bem como minimizar os riscos de acidentes e vítimas. Devido aos registros ainda corriqueiros de imprudência, a Lei Seca continua como alvo principal das operações.
Esse trabalho preventivo é coordenado por agentes do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), e da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran). Sobre o planejamento para os próximos 40 dias, o capitão Silveira, comandante da CPTran informou que dezenas de homens e viaturas serão utilizadas a fim de se fazer valer a legislação nacional. Se mostrando preocupado com a conduta de um grupo de condutores, o comandante lamenta que em dias de festa o número de acidentes costuma aumentar em virtude do desrespeito ao Código de Trânsito. Hoje a zona Sul de Aracaju realiza um evento onde mais de 10 mil pessoas estão sendo aguardadas.
Para evitar ampliação dos dados negativos, oito viaturas e 30 policiais estarão trabalhando apenas no monitoramento das vias com abordagens aleatórias e blitze montadas em pontos estratégicos. A Polícia Militar, por meio de outras corporações, também estará no local acompanhando o movimento de pessoas. "Na realidade é um trabalho em conjunto. Todo esse esforço para que consigamos mantar a ordem e fazer o cidadão compreender que precisa respeitar as leis. Testes rápidos de bafômetros serão utilizados em caso de suspeita por desrespeito à Lei Seca. Nossos trabalhos estão fortalecidos para garantir um festejo junino tranquilo para todos os motoristas e pedestres", disse.
Criada há 10 anos, a Lei Seca determina multa de R$ 2.934 e suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) caso o motorista seja flagrado com menos de 0,3 mg de álcool por litro de ar soprado ou se recuse a fazer o exame. Como forma alternativa de evitar complicações financeiras, ou, em especial, acidentes, o comando da CPTran chama a atenção dos forrozeiros para que optem por transportes alternativos, como táxis, ônibus ou veículos de aplicativos. Visando êxito operacional, o capitão Silveira não revelou os locais de blitze, mas garantiu que a partir das 19h o monitoramento já estará em execução.
 "Existe uma expectativa de muitos veículos circulando na região e por isso nosso trabalho começará mais cedo que o previsto do horário do evento. Estamos trabalhando dia e noite todos os dias em Aracaju e no interior para evitar desrespeitos, e quando se trata de período junino a mobilização é ainda maior. Mais uma vez enaltecemos a nossa recomendação de cautela e respeito às leis. O trabalho é em conjunto entre população, motoristas e passageiros", concluiu. (Milton Alves Júnior)

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), por meio da Polícia Militar do Estado de Sergipe, começa a intensificar a partir de hoje o sistema de monitoramento direcionado para condutores automotivos que seguem, ou retornam de festividade juninas. Em decorrência da aproximação dos festejos alusivos à Santo Antônio, São João e São Pedro, a proposta dos órgãos é garantir o respeito unilateral dos motoristas e motociclistas para com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), bem como minimizar os riscos de acidentes e vítimas. Devido aos registros ainda corriqueiros de imprudência, a Lei Seca continua como alvo principal das operações.
Esse trabalho preventivo é coordenado por agentes do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv), e da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran). Sobre o planejamento para os próximos 40 dias, o capitão Silveira, comandante da CPTran informou que dezenas de homens e viaturas serão utilizadas a fim de se fazer valer a legislação nacional. Se mostrando preocupado com a conduta de um grupo de condutores, o comandante lamenta que em dias de festa o número de acidentes costuma aumentar em virtude do desrespeito ao Código de Trânsito. Hoje a zona Sul de Aracaju realiza um evento onde mais de 10 mil pessoas estão sendo aguardadas.
Para evitar ampliação dos dados negativos, oito viaturas e 30 policiais estarão trabalhando apenas no monitoramento das vias com abordagens aleatórias e blitze montadas em pontos estratégicos. A Polícia Militar, por meio de outras corporações, também estará no local acompanhando o movimento de pessoas. "Na realidade é um trabalho em conjunto. Todo esse esforço para que consigamos mantar a ordem e fazer o cidadão compreender que precisa respeitar as leis. Testes rápidos de bafômetros serão utilizados em caso de suspeita por desrespeito à Lei Seca. Nossos trabalhos estão fortalecidos para garantir um festejo junino tranquilo para todos os motoristas e pedestres", disse.
Criada há 10 anos, a Lei Seca determina multa de R$ 2.934 e suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) caso o motorista seja flagrado com menos de 0,3 mg de álcool por litro de ar soprado ou se recuse a fazer o exame. Como forma alternativa de evitar complicações financeiras, ou, em especial, acidentes, o comando da CPTran chama a atenção dos forrozeiros para que optem por transportes alternativos, como táxis, ônibus ou veículos de aplicativos. Visando êxito operacional, o capitão Silveira não revelou os locais de blitze, mas garantiu que a partir das 19h o monitoramento já estará em execução.
 "Existe uma expectativa de muitos veículos circulando na região e por isso nosso trabalho começará mais cedo que o previsto do horário do evento. Estamos trabalhando dia e noite todos os dias em Aracaju e no interior para evitar desrespeitos, e quando se trata de período junino a mobilização é ainda maior. Mais uma vez enaltecemos a nossa recomendação de cautela e respeito às leis. O trabalho é em conjunto entre população, motoristas e passageiros", concluiu. (Milton Alves Júnior)