Alunos de escola municipal são estimulados através de aulas de violino

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/05/2019 às 10:22:00

 

O som das cordas de um violino não é muito popular no Brasil, ainda mais no Nordeste, onde sanfona, acordeom, zabumba e instrumentos de percussão são mais enraizados. Porém, é esse o som que tem feito parte do ritmo no cotidiano de meninas e meninos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Santa Rita de Cássia, localizada no Novo Paraíso. Através do projeto Mais Educação, uma professora de Artes da unidade de ensino decidiu apresentar um novo mundo para os alunos que, hoje, ganharam outra inspiração pela notas agudas que saem das quatro cordas do instrumento.
As aulas, no entanto, começaram de maneira inusitada. Há cerca de três anos, ainda durante a gestão passada, a unidade de ensino requisitou os violinos à Secretaria Municipal da Educação (Semed), no entanto, o professor que daria as aulas, pouco depois de os instrumentos serem adquiridos, saiu da escola. Os violinos, assim, só saíram do armário em abril do ano passado, com a chegada da professora de Artes Deborah Prado. "Eu vim designada apenas para ser professora de Artes, mas, quando vi os instrumentos, resolvi incluir as aulas, já que tenho formação em música e, especificamente, com violino. Fui de sala em sala para aproximar o instrumento aos alunos, mostrar com é e ver quem se interessava em aprender a tocar. Com um ano de projeto sendo desenvolvido, alguns já saíram, muitos entraram, mas, com certeza, muita coisa mudou para esses alunos", contou Déborah.
As aulas acontecem todas as segundas e quartas-feiras, das 8h às 10h, mesclando iniciantes e avançados, no contraturno das aulas formais, ou seja, eles estudam à tarde e as aulas de violino acontecem pela manhã. "Às 8h, a aula é para os iniciantes e, antes das 9h, os alunos mais avançados chegam para podermos fazer a junção das turmas, para que os mais novos possam fazer o acompanhamento e, assim, consigam se soltar mais, se sentir mais à vontade", explicou a professora.

O som das cordas de um violino não é muito popular no Brasil, ainda mais no Nordeste, onde sanfona, acordeom, zabumba e instrumentos de percussão são mais enraizados. Porém, é esse o som que tem feito parte do ritmo no cotidiano de meninas e meninos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Santa Rita de Cássia, localizada no Novo Paraíso. Através do projeto Mais Educação, uma professora de Artes da unidade de ensino decidiu apresentar um novo mundo para os alunos que, hoje, ganharam outra inspiração pela notas agudas que saem das quatro cordas do instrumento.
As aulas, no entanto, começaram de maneira inusitada. Há cerca de três anos, ainda durante a gestão passada, a unidade de ensino requisitou os violinos à Secretaria Municipal da Educação (Semed), no entanto, o professor que daria as aulas, pouco depois de os instrumentos serem adquiridos, saiu da escola. Os violinos, assim, só saíram do armário em abril do ano passado, com a chegada da professora de Artes Deborah Prado. "Eu vim designada apenas para ser professora de Artes, mas, quando vi os instrumentos, resolvi incluir as aulas, já que tenho formação em música e, especificamente, com violino. Fui de sala em sala para aproximar o instrumento aos alunos, mostrar com é e ver quem se interessava em aprender a tocar. Com um ano de projeto sendo desenvolvido, alguns já saíram, muitos entraram, mas, com certeza, muita coisa mudou para esses alunos", contou Déborah.
As aulas acontecem todas as segundas e quartas-feiras, das 8h às 10h, mesclando iniciantes e avançados, no contraturno das aulas formais, ou seja, eles estudam à tarde e as aulas de violino acontecem pela manhã. "Às 8h, a aula é para os iniciantes e, antes das 9h, os alunos mais avançados chegam para podermos fazer a junção das turmas, para que os mais novos possam fazer o acompanhamento e, assim, consigam se soltar mais, se sentir mais à vontade", explicou a professora.